Redes na internet organizam marcha contra a corrupção nesta quarta


Manifestantes montam
No dia 12 de Outubro, fóruns e grupos virtuais devem levar mais de 18 mil pessoas à Esplanada dos Ministérios
(foto) Manifestantes montam "pizza gigante" na Esplanada dos Ministérios
O método de mobilizar manifestações contra a corrupção pelas redes sociais terá um teste decisivo nesta quarta-feira. Se no Sete de Setembro a indignação levou cerca de 30 mil pessoas à Esplanada dos Ministérios, não necessariamente chamadas pela internet, a marcha desta quarta-feira será resultado quase que exclusivo do chamamento por fóruns e grupos virtuais. A expectativa do grupo organizador da marcha, o Movimento contra a Corrupção (MCC), é de que o número de participantes seja ainda maior do que o do último feriado – embora a Esplanada não fique lotada no 12 de Outubro, como costuma ficar durante a parada de 7 de Setembro.

Na página do movimento no Facebook, pouco mais de 18 mil internautas haviam confirmado presença na manifestação, até a noite dessa segunda. Segundo uma das líderes da marcha, Lucianna Kalil, o ato foi mais divulgado desta vez. “Panfletamos em outros lugares também”, disse. Além de contar com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a 2ª Marcha Contra a Corrupção reuniu oito grupos iniciados nas redes sociais, sendo um deles o Juventude Consciente, coordenado por estudantes do ensino médio.

Apesar do exemplo bem-sucedido em Brasília, nem sempre o número virtual representa a realidade nas ruas. Foi o que aconteceu na marcha organizada no Rio de Janeiro pelo grupo Todos Juntos contra a Corrupção. Na página do Facebook, 35 mil pessoas confirmaram presença, mas somente 2,5 mil manifestantes realmente compareceram à Cinelândia. No dia 12, o grupo carioca se reunirá novamente, desta vez na Praia de Copacabana.


Vassouras


As passeatas para reivindicar a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, o fim do voto secreto e a continuidade do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ocorrerão na capital e em outras 20 cidades brasileiras. O grupo MCC afirmou que, além de carregarem 200 vassouras, usadas em uma ação conjunta com a ONG Rio de Paz, os coordenadores da passeata levarão uma pizza de lona, com 15m de diâmetro, que eles fizeram. Na página de uma das líderes do grupo, a foto da pizza está ilustrada com a legenda irônica: “Senhores parlamentares, o pedido de uma pizza gigante com borda de CPI está no forno assando para vocês. A entrega será em 12 de outubro, em frente ao Museu Nacional. Venha você também entregar essa pizza para os fanfarrões do nosso país”.

Paula Filizola - Especial para o Estado de Minas 

Comentários