Rio perderia R$ 3 bi em 2012 com nova divisão do petróleo, diz Cabral

Governador se reuniu com Dilma e disse que ela ficou 'impressionada'.

Nova divisão da renda do petróleo ainda será votada na Câmara.

Priscilla Mendes e Nathalia Passarinho
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, reuniu-se com a presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (21) e disse, na saída, que ela ficou "impressionada" com as perdas que o estado poderia sofrer, caso seja sancionada proposta em tramitação no Congresso que faz uma nova divisão da receita do petróleo.
Ele se referia ao projeto de lei aprovado na última quarta-feira (19) pelo Senado, relatado pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Cabral levou ao Palácio do Planalto cálculos de que o estado e as prefeituras fluminenses perderiam R$ 3,3 bilhões somente em 2012.
"Estamos prevendo R$ 8,542 bilhões de royalties e participação especial para o Rio. Com o substitutivo do Rêgo, caímos pra R$ 7,9 bilhões", reclamou.
Ele disse que Dilma "levou um susto" ao ver os números. "Ela ficou muito impressionada e vai avaliar. Nós tomamos a decisão de colocar [a verba do petróleo] no pagamento de inativos e pensionistas e, no momento que esse dinheiro some, eu tenho que pegar isso do meu dinheiro livre, que está comprometido com segurança, educação, saneamento, obras", afirmou.
O texto determina redução de 26,25% para 20% na parcela de royalties a que os estados produtores terão direito. Já a participação especial destinada a esses estados, segundo o relatório aprovado, passa de 40% para 20%. A proposta ainda deverá ser analisada pela Câmara dos Deputados.
Arte divisão petróleo (Foto: Editoria de Arte / G1)

Comentários