TST pode julgar greve dos Correios na semana que vem


Segundo a ECT, 23 mil trabalhadores estão paralisados, o que significa que 80% do efetivo está no trabalho
A greve dos Correios
O julgamento da greve dos Correios deverá acontecer na próxima semana pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), segundo o presidente do órgão, ministro João Oreste Dalazen.
Os trabalhadores dos Correios, em greve desde o dia 14 de setembro, recusaram a proposta da direção da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) firmada nesta terça-feira no Tribunal Superior do Trabalho (TST) para colocar fim à paralisação.
A maioria dos sindicatos de trabalhadores dos Correios rejeitou, em assembleias promovidas nesta quarta-feira em todo o país, o acordo fechado.
O ponto de discordância entre os Correios e os grevistas era o desconto de seis dias não-trabalhados e o aumento real retroativo a agosto deste ano.


Os Correios haviam aceitado devolver o valor relativo aos seis dias de salário e fazer o desconto em 12 parcelas a partir de janeiro do ano que vem. Em contrapartida, os representantes dos grevistas abririam mão de receber o abono de R$ 500 e aceitaram incorporar o ganho real de R$ 80 a partir de outubro em vez de retroativamente a agosto.
Os dias parados restantes seriam compensados por jornadas aos sábados, domingos e feriados, sem desconto em folha de pagamento
Segundo a empresa, 23 mil trabalhadores estão paralisados, o que significa que 80% do efetivo está no trabalho, “garantindo a maioria dos serviços, com entrega de 2/3 da carga diária”.
Enem
Os Correios estão fazendo uma operação especial para garantir que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não enfrente problemas na distribuição dos cartões de inscrição e das provas, por causa da greve dos funcionários da estatal que já dura 22 dias.
Segundo a empresa, os cartões começaram a ser entregues na semana passada nas cidades do interior e, esta semana, nas capitais. As provas serão distribuídas nos dias da aplicação do exame, 22 e 23 de outubro.
– A ECT realiza a distribuição de cartões e provas do Enem desde 2009, com absoluto sucesso –, assegurou a empresa, em nota.
O ministro da Educação, Fernando Haddad, garantiu que a greve dos Correios não prejudicará a aplicação do Enem nem a entrega dos cartões de inscrição. Segundo ele, a logística dos Correios para atender ao Enem é diferenciada das operações tradicionais. Os estudantes também poderão imprimir o cartão de inscrição a por meio do portal do Enem, na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na internet. 

Comentários