Anvisa pode impedir partida de transatlântico que atracou no Rio

Uma passageira morreu; 86 passaram mal
O transatlântico Veendam, da empresa Holland América, que atracou no porto do Rio de Janeiro nesta terça-feira (22) com uma passageira morta e cerca de 80 pessoas passando mal, poderá ser impedido de zarpar, dependendo do resultado da vistoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A informação foi dada pelo diretor da agência reguladora, Agenor Álvares da Silva.


Segundo Silva, estão sendo feitas análises de alimentos, água e produtos descartáveis.
- Dependendo do grau de risco que a nossa fiscalização constatar a bordo do navio, ele pode ser autuado. E, dependendo ainda da situação em que se encontrar, pode, inclusive, ser proibido de zarpar do porto do Rio enquanto não for feita uma desinfecção total do navio após avaliação dos nossos técnicos.
Ainda segundo o diretor, os tripulantes notificaram as autoridades, no último domingo (20), dos casos de diarréia em 86 pessoas, que surgiram quando a embarcação deixou Montevidéu, no Uruguai, uma das escalas da viagem.
Sobre a morte de uma passageira dos Estados Unidos, Álvares da Silva informou que os médicos da tripulação do Veendam descartaram a possibilidade de que a morte esteja ligada aos casos de diarréia.
- Segundo os médicos do navio, o óbito ocorreu entre Montevidéu e Rio. Entre o balneário chileno de Valparaíso e Montevidéu ocorreu o surto de diarréia que acometeu as 80 pessoas. A pessoa que morreu era uma pessoa idosa, com quadro de diabetes, hipertensão e cardiopatia. O corpo está no IML (Instituto Médico Legal) e estamos aguardando os resultados da autópsia.
O navio Veendam saiu de Nova York (Estados Unidos) havia 36 dias. Foram feitas escalas no Panamá, Valparaíso e Montevidéu antes de chegar ao Rio de Janeiro. Segundo relato de passageiros, a tripulação passou orientações sobre cuidados com higiene pessoal, como não tocar nos alimentos e lavar as mãos de duas em duas horas.
Do R7, com Agência Brasil

Comentários