Copo menstrual é alternativa ecológica ao absorvente


Reutilizável, cada copo menstrual substitui centenas de absorventes que, descartados, <br>levam um século para se decompor na natureza
Chris Bueno
Reutilizável, cada copo menstrual substitui centenas de absorventes que, descartados, 
levam um século para se decompor na natureza

Esqueça os absorventes higiênicos e os tampões. A nova alternativa para as mulheres modernas que enfrentam “aqueles dias” é o copo menstrual, um artefato de silicone que, inserido no canal vaginal, retém o fluxo e é reutilizável. Famoso na Europa, no Canadá e nos Estados Unidos, o produto agora começa a conquistar adeptas aqui no Brasil.
A utilização do copo menstrual é simples para quem está acostumada a usar absorventes internos. Basta dobrá-lo e depois apertá-lo firmemente com a abertura para cima, enquanto é introduzido no interior da vagina. “Quando solto, o copo tenderá a abrir, mas formará um vácuo leve que o manterá na posição correta”, ensina a ginecologista Tânia Valladares Andriolli.


O copinho de silicone fica preso pela ação do vácuo e pelos músculos vaginais. Dessa forma, retém o fluxo menstrual, sem causar incômodo ou vazamentos. “Para removê-lo, puxa-se delicadamente a extremidade inferior do copo com uma das mãos, e com a outra mão, com a ponta do dedo, busca-se a borda do copo e com uma pressão desfaz-se o vácuo, permitindo a sua retirada”, continua.
O copo mentrual tem capacidade para cerca de 30 mililitros, portanto consegue conter o sangue por até no máximo 12 horas, dependendo do fluxo da mulher (o ciclo inteiro de uma da mulher varia de 50 a 100 mililitros). No entanto, é recomendável que o artefato seja "trocado" a cada oito horas, por garantia. Isto é: a usuária retira o copinho, despeja o conteúdo no vaso sanitário, lava (ou limpa com lenço umedecido) e volta a introduzi-lo.
Quando a menstruação termina, é só higienizar bem o coletor (de preferência fervendo-o por alguns minutos) e guardá-lo na bolsa que geralmente acompanha o produto em local fresco e ventilado. É importante lavar bem as mãos antes e depois de manusear o copinho.
Seguidos todos os cuidados, o copo menstrual torna-se uma opção mais higiênica e segura que os absorventes tradicionais. Como o copo de silicone apenas retém o fluxo, ele não seca nem abafa a vagina, como fazem tampões e absorventes descartáveis. Isso ajuda a inibir o crescimento de fungos e bactérias.
Contraindicações
O copo menstrual não é recomendado para todas as mulheres. Virgens, adolescentes na primeira menstruação e mulheres no período pós-parto devem preferir os absorventes tradicionais. De acordo com a médica, a primeira experiência com o artefato pode gerar algum desconforto porque a inexperiência leva a colocá-lo muito para fora ou causa pequenos traumas. E isso é complicado para as jovens que têm maior sensibilidade na região, assim como quem acabou de parir.
Para saber se o uso do copo menstrual é apropriado para você, vale a pena procurar um ginecologista. O profissional, além de tirar as dúvidas, vai indicar o tamanho adequado e o modo correto para inserir e remover o produto. “Um bom exame médico/ginecológico pode auxiliar ness etapa. Seguir esta orientação pode ajudar a evitar escames e incômodos vaginais maiores”, aponta o ginecologista Vamberto Maia.
Do UOL Ciência e Saúde

Comentários