Em São Pedro da Aldeia, mãe de gêmeas baleadas será julgada nesta terça-feira


As irmãs foram baleadas dentro de casa. A família tenta superar o trauma enquanto espera pelo tempo da justiça.
A audiência de instrução marcada para a tarde desta terça (29) em São Pedro da Aldeia é mais um passo rumo ao julgamento de Daiana Oliveira, acusada de tentar matar as filhas gêmeas.
Vê-las juntas de novo é um alívio. Uma delas ficou com a bala alojada perto dos rins, mas está bem. A irmã teve várias complicações. Foram quatro meses de idas e vindas ao hospital. O tiro atingiu a coluna. Agora, faz fisioterapia para reaprender a controlar os movimentos da perna.


As irmãs foram baleadas dentro de casa, em São Pedro da Aldeia. A mãe, Daiana de Oliveira, de 24 anos, chegou a dizer que um bandido havia entrado, atirado nas duas e depois, usado uma facada para machucá-la, versão que perdeu força com as investigações. A polícia encontrou mensagens no celular de Daiana, enviadas para o ex-marido, que é pai das gêmeas. Ela ameaçava matar as crianças, na época, com um ano e sete meses. Além disso, a perícia identificou que uma das balas saiu do revólver do pai de Daiana. Ela foi presa dois dias depois e encaminhada para o presídio de Magé e, em seguida, transferida para o de Bangu.
A mãe das crianças continua presa. O julgamento dela começa nesta terça-feira (29). Até que saia a sentença, a família pretende acompanhar tudo de perto. A mãe é acusada de tentativa de homicídio qualificado contra as gêmeas e o pai das meninas é uma das testemunhas de acusação.
Já se passaram sete meses desde aquele 25 de abril. O pai está com a guarda provisória. A família tenta superar o trauma enquanto espera pelo tempo da justiça.

do Bom dia Rio

Comentários