Greve dos petroleiros preocupa governo


A campanha salarial dos petroleiros já começa a preocupa o governo, que pediu para a Petrobras evitar a greve da categoria, marcada para o próximo dia 16. De olho na elevação dos gastos públicos, a equipe econômica tem receio que a paralisação sirva de exemplo para outras classes. A paralisação deve afetar diversos setores, como terminais, refinarias e plataformas. 
A estatal seguiu as orientações do Palácio do Planalto e marcou reunião com a Federação Única dos Petroleiros (FUP). A entidade luta por reajuste real de 10% e melhores condições de trabalho.

O coordenador-geral da FUP, João Antônio de Moraes, defendeu que a categoria pode afetar a rentabilidade da empresa, desde que seja em busca dos seus direitos.

A federação também reivindica que os petroleiros tenham direito de participar das investigações de acidentes que ocorrem na estatal.

Comentários