Lula voltou hoje ao Sírio-Libanês para a segunda sessão de quimioterapia


Lula teve os cabelos e a barba raspados por dona Marisa na quarta-feira (Ricardo Stuckert/Instituto Lula)
Lula teve os cabelos e a barba raspados por dona Marisa na quarta-feira
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou hoje (21) a segunda fase do tratamento contra o câncer de laringe diagnosticado no fim de outubro. Pela manhã ele chegou ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para se submeter à segunda sessão de quimioterapia, exatamente 21 dias após a primeira aplicação do medicamento. A expectativa é de que o ex-presidente durma no hospital para que os médicos possam monitorar efeitos colaterais.
Na quarta-feira passada, Lula raspou a barba e o cabelo, antecipando a queda causada por essa segunda fase da químio. Apenas o bigode foi mantido. A aplicação que será feita hoje tem a mesma intensidade da primeira sessão, mas causa a queda de cabelo e pelos do corpo devido ao acúmulo da medicação no organismo. A ex-primeira-dama Marisa Letícia, que cortou o cabelo e fez a barba do marido na semana passada, vai acompanhá-lo no hospital. O casal deve regressar amanhã de manhã ao apartamento de São Bernardo do Campo.

Também na semana passada, Lula fez exames de sangue em casa, considerados importantes para essa segunda sessão. Ao fim da aplicação, o Hospital Sírio-Libanês deve divulgar um boletim médico, atendendo a um pedido do próprio paciente, que exigiu transparência máxima sobre seu estado de saúde. A equipe médica responsável pelo tratamento de Lula, formada, entre outros, pelos médicos Roberto Kalil e Paulo Hoff, não tem conversado com a imprensa, seguindo acerto feito com a direção do hospital.

O tratamento funciona em ciclos de cada 21 dias. A próxima e última aplicação da quimioterapia está prevista para 12 de dezembro. Lula havia agendado algumas visitas para o fim de semana, que, de acordo com sua assessoria de imprensa, não ocorreram.

A rotina do ex-presidente desde o início do tratamento tem se pautado por um recolhimento moderado. Embora tenha evitado sair de casa, cancelando toda a sua agenda até o fim do ano, Lula tem recebido uma série de visitas de políticos e amigos em casa. A presidente Dilma Rousseff, o senador José Sarney (PMDB-MA) e o deputado Marco Maia (PT-RS) foram alguns dos que o visitaram. 

A última personalidade que recebeu foi o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes. Amigos e admiradores, como o cantor Zeca Pagodinho e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, também têm lhe escrito. Sua atuação no governo Dilma Rousseff tampouco cessou. Há duas semanas, Lula telefonou para Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, para criticar a avaliação feita pelo Programa das Nações Unidas paral o Desenvolvimento (Pnud) sobre o Brasil.

Comentários