Ministério do Trabalho “constrange jornalismo” por publicar perguntas de jornais, avalia ANJ


Desde quarta-feira (9), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulga, em seu blog oficial, a íntegra das perguntas que são enviadas pelos veículos de comunicação, antes mesmo delas serem publicadas pela imprensa. A decisão da pasta foi repudiada pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), que avalia a atitude como ferramenta para “constranger o livre exercício do jornalismo”.
Avessa à decisão do ministério comandado por Carlos Lupi (PDT), a entidade, em nota assinada pelo vice-presidente Francisco Mesquita Neto e enviada à imprensa na noite de quinta-feira (10), afirma que o objetivo do MTE é tornar “público o conteúdo do trabalho que é feito de forma individual e exclusiva pelos repórteres, em sua permanente busca de produzir informação de qualidade e de interesse para os cidadãos”. 
Ainda a respeito da revelação dos questionamentos feitos por empresas de mídia, a ANJ define a decisão do Ministério do Trabalho e Emprego como “lamentável iniciativa”. A entidade também avalia ser um erro divulgar as perguntas de reportagens que ainda estão em processos de apuração e produção, não sendo publicadas pela mídia. Entre os veículos de comunicação que foram ‘furados’ pela pasta comandada pelo PDT estão os jornais O Globo, Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo. 

Opinião do ministério
Segundo o blog do próprio ministério, a publicação das perguntas feitas pela mídia tem o objetivo de “levar maior transparência aos pedidos de informações”. A ideia, conforme noticia o site oficial da pasta por meio de comunicado, foi do ministro Carlos Lupi (PDT), que está sendo procurado pela imprensa para responder possíveis irregularidades do órgão, que a revista Veja publicou na edição desta semana.

Apesar de indicar que a ideia de divulgar as perguntas que são recebidas seja um recurso de transparência, o Ministério do Trabalho critica o trabalho realizado pelas empresas de comunicação. No comunicado publicado na quarta, a pasta afirma que a imprensa, por muitas vezes, sequer leva em consideração as respostas do MTE. 

Sem resposta
Com o intuito de saber o posicionamento do ministério em relação à nota emitida pela ANJ, a reportagem do Comunique-se entrou em contato com a equipe de comunicação da pasta, que solicitou que os questionamentos fossem feitos via e-mail. Até o fechamento da matéria, o MTE não respondeu a redação e nem publicou as perguntas - com as respostas - no blog.

Comentários