No Rio, passageiros de barcas enfrentam problemas um dia após acidente


O catamarã que bateu em píer deixando 55 feridos
O catamarã que bateu em píer deixando 55 feridos
Os usuários do serviço de barcas encontraram muitas dificuldades nesta terça-feira (29) na estação da praça Arariboia, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro.
Um dia após o acidente com o catamarã Gávea 1, que deixou mais de 50 pessoas feridas, dezenas de pessoas tiveram de aguardar nas filas na plataforma de embarque.
Pela manhã, muitos usuários levaram 15 minutos para ter acesso à parte interna da área da estação, o que gerou muitas reclamações.
Segundo a concessionária Barcas S. A., que administra o serviço, a travessia está sendo feita com 80% da capacidade operacional, devido à desativação de dois píeres, que foram isolados para investigação do caso.


Pela manhã, os atrasos chegaram a mais de 20 minutos. A empresa continua orientando os clientes para que priorizem outros transportes, com o objetivo de evitar maiores transtornos na volta para casa.
A Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos do Rio (Agetransp) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que continua monitorando o serviço de transporte de passageiros prestado pela concessionária. A Capitania dos Portos também informou que está investigando as causas do acidente com o Gávea 1.
Esse não é o primeiro acidente envolvendo um catamarã no Rio. Em agosto do ano passado, uma embarcação bateu em pedras no Aterro de Gragoatá, em Niterói. Na ocasião, aproximadamente 15 pessoas ficaram feridas.
Agência Brasil

Comentários