Pastor que tentou incriminar FHC em 1998 é condenado e pega quatro anos


Jorge Lourenço
O pastor evangélico Caio Fábio D'Araújo Filho foi condenado pela Justiça Eleitoral a quatro anos de prisão pela falsificação dos documentos do "Dossiê Cayman", divulgado amplamente pela mídia em 1998. Na ocasião, Caio Fábio causou um rebuliço em plena campanha  eleitoral ao acusar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de usufruir do famoso paraíso fiscal para evadir divisas. 
Tarda, mas não falha
Após investigações da Polícia Federal e até uma solicitação de informações ao governo britânico, descobriu-se que tudo não passava de uma falsificação grosseira. Além de FHC, o dossiê também citava o ex-ministro das Comunicações, Sérgio Motta, e ex-governadores de São Paulo Mário Covas e José Serra. 

Comentários