Restituição em dezembro para quem acertar contas

Sem sair de casa, contribuinte pode checar e corrigir pendências no IR com a Receita
O dinheiro extra que surge com a restituição do imposto de renda tem o “poder de salvar”. Para tanto, o contribuinte que ainda não teve devolução neste ano pode aproveitar o feriado de hoje e acompanhar a declaração de forma online, checando se o documento tem informação errada — o que pode ser retificado pela Internet. Se tudo der certo, o contribuinte entra no último lote do ano, que sairá em 15 de dezembro.

O primeiro passo para a autorregularização é entrar no site da Receita, em www.receita.fazenda.gov.br, fazer o cadastro no e-CAC e acessar o Extrato Simplificado do IRPF, na opção Declaração IRPF. A próxima etapa, caso haja pendência, é comprovar, por meio de uma declaração retificadora, os dados devidamente corrigidos.
O penúltimo lote da restituição, que sairá amanhã, pagará R$ 1,4 bilhão a 1.155.493 contribuintes. O montante será corrigido pela taxa básica de juros da economia (Selic): 6,81% até novembro.
Para especialistas, a corrida para acertar pendências na declaração é eficaz para ter dinheiro extra para despesas de fim de ano: “É nesse período que o último lote pode render uma quantia que alivia os gastos natalinos”, lembra o advogado Luiz Fernando Sachet, destacando que, ao gastar a restituição em compras, o contribuinte voltará a pagar impostos.
Para se ter uma ideia, segundo o Impostômetro, que atualiza o valor total de contribuições ao governo, até ontem, o total pago em impostos pelos brasileiros já passava de R$ 1,2 trilhão.
‘Aplicação financeira’: calendário pode render imposto com correção
A taxa básica de juros da economia, a Selic, usada nos cálculos do governo para pagar aos contribuintes, pode transformar o imposto de renda em uma grande aplicação financeira, ressalta o consultor fiscal Marcos Barbosa, da Cenofisco. “Qualquer aplicação financeira tem imposto, e tudo que mexe com a taxa Selic permite ganhos maiores”, lembra o especialista.

A estratégia no cálculo da restituição é possível porque a taxa de juros é somada de maio, após o fim do prazo de envio, até o mês de pagamento do lote, acrescentando 1% ao valor final. O montante acaba ficando acima da inflação: “O contribuinte que tem esse olhar conquista valores bacanas no retorno do imposto. Mas é preciso ficar de olho para realizar a declaração de forma correta”, alerta Marcos Barbosa.

O supervisor nacional da Receita Federal, Joaquim Adir, pontua a facilidade da autorregularização: “É um serviço que influência muito na quantidade de restituições e no valor, pois permite que o contribuinte tenha uma restituição rápida”, diz.
Dinheiro extra no fim de ano

Com os últimos lotes de restituição do Imposto de Renda para sair, especialistas aconselham a usar o dinheiro para sanar eventuais dívidas ou amenizar gastos com as festas de fim ano. “O contribuinte precisa se organizar para retomar a vida financeira normal. Mas todo dinheiro extra é um alívio no bolso do cidadão”, lembra Marcos Barbosa.
O consultor fiscal aproveita para dar uma dica: “Minha esposa até briga comigo, porque declaro no último dia. Mas é uma garantia de que vou receber nos últimos lotes, com um reajuste muito mais bacana”.

Comentários