Bom dia, o resumo dos jornais nesta quinta-feira, 29 de dezembro.

O Globo

Manchete: Ensino público tem déficit de 300 mil professores

Escolas municipais e estaduais do país correm o risco de ficar sem aulas 

O ano que vem começará sob uma velha ameaça nas escolas públicas do país: alunos sem aula por falta de professores. Estimativa da Câmara de Educação do Conselho Nacional de Educação aponta um déficit de 300 mil docentes, especialmente das disciplinas de Química, Física e Matemática. A carência equivale a 15% do total aproximado de 2 milhões de professores nas redes estaduais e municipais. Uma das principais causas do déficit é a baixa remuneração, que afugenta os profissionais do mercado: o piso nacional do magistério é de R$ 1.187 por 40 horas. No Distrito Federal, o salário chega a 

R$3.472, mas outros profissionais com formação similar ganham 28% a mais. No Rio, a Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino avalia que pelo menos um professor pede exoneração por dia. Para tentar driblar o caos, estados e prefeituras recorrem à contratação de temporários e apelam para a acúmulo de disciplinas por professor. (Págs. 1 e 3) 

Crise faz Bovespa perder R$ 213 bi

Com a crise global, o valor de mercado das empresas da Bovespa encolheu R$ 213 bilhões este ano, diz a consultoria Economatica. As perdas, lideradas por Petrobras e Vale, superam o valor da mineradora, de R$ 206 bilhões. Ontem, o temor de que os bancos europeus estejam evitando conceder empréstimos derrubou as bolsas: em SP, a queda foi de 2,54%. O dólar subiu a R$ 1,874. (Págs. 1 e 19) 
Governo já cumpriu 99% da meta fiscal

A economia do setor público para pagar juros da dívida somou R$ 126.8 bilhões até novembro, ou 99% da meta do ano. Os gastos com juros bateram recorde: R$ 216 bilhões. (Págs. 1 e 21) 



Obras da Copa terão R$ 4 bi do FGTS

Para obras de transportes nas cidades-sede da Copa, o governo destinará R$ 4 bilhões do FGTS em 2012. O valor é quase toda a verba para infraestrutura de grandes centros. (Págs. 1 e 20) 
Em sete anos, CNJ condenou 49 magistrados

Em meio à polêmica sobre a restrição de seus poderes, o Conselho Nacional de Justiça chega a sete anos tendo punido 49 magistrados. Desses processos, 38 começaram no CNJ. (Págs. 1 e 4) 
Ciência

Clínica Mayo inicia o maior projeto de medicina personalizada do mundo com testes genéticos. (Págs. 1 e 30)
Foto legenda: A volta de Jader

Barrado pela Ficha Limpa, Jader Barbalho reassumiu ontem o Senado graças a decisão que revogou efeitos da lei para a eleição de 2010: ele receberá R$ 30 mil por quatro dias de trabalho em dezembro. Na posse, seu filho Daniel fez caretas. (Págs. 1 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Tráfego para o interior de SP sobe mais que para o litoral

De janeiro a novembro, movimento na Castello subiu 18,3% em relação a 2009 

O fluxo de carros que saem da capital paulista pelas principais rotas para o interior - sistema Anhanguera-Bandeirantes e rodovia Castello Branco - tem crescido bem mais do que no sistema Anchieta-Imigrantes, principal acesso ao litoral de SP.

Dados dos pedágios mostram que, de janeiro a novembro, a alta em relação a 2009 foi de 15% na Anhanguera-Bandeirantes e de 18,3% na Castello. Para o litoral, o fluxo cresceu 5,4%. (Págs. 1 e Cotidiano C1)

Foto legenda: Brincadeira

Daniel, 9, filho de Jader Barbalho (PMDB-PA), faz careta perto do pai, em entrevista após posse do senador, que renunciou há dez anos; graças ao adiantamento da cerimônia, peemedebista receberá ao menos R$ 30 mil extras. (Págs. 1 e Poder A6) 

Inflação e câmbio levarão o Brasil a ser a 6ª economia

O Brasil vai se tornar a sexta maior economia mundial por três motivos, em ordem de importância: inflação, alta da produção e valorização do real, informa Vinícius Mota. Não fossem a inflação mais alta e os ganhos do real diante do dólar, o Brasil iria demorar mais tempo para ultrapassar a economia britânica, (Págs. 1 e Poder A7)
Para presidente da Alpargatas, tarifa incita contrabando

A adoção de barreiras tarifárias para proteger a indústria brasileira dos importados estimula o contrabando, afirma o presidente da Alpargatas, Márcio Utsch.

De acordo com o empresário, enquanto a 'indústria internacional investe e se moderniza, "a nacional não está preparada para viver sem proteção". (Págs. 1 e Mercado B1)

PanAmericano compra empresa de crédito imobiliário

Sob gestão do BTG PactuaI, o PanAmericano comprou a Brazilian Finance & Real Estate, maior financeira independente de crédito imobiliário, por R$ 940 milhões. Para bancar a compra e reforçar o caixa, receberá R$ 1,8 bilhão da BTG, CEF e demais sócios. (Págs. 1 e Mercado B5)
Juízes tiveram benefício pelos anos de advocacia

O TJ-SP concedeu a 22 desembargadores licenças-prêmio referentes a períodos em que eles atuavam como advogados e ainda não eram servidores públicos, informa Flávio Ferreira.

As concessões foram anuladas pelo próprio tribunal após ação do CNJ na corte. (Págs. 1 e Poder A4)

CNJ em questão: Atuação de órgão é antirrepublicana, diz desembargador

Para o desembargador e presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Henrique Nelson Calandra, ampliar os poderes de investigação do Conselho Nacional de Justiça vai na contramão da história republicana. "O CNJ precisa agir de acordo com a lei." (Págs. 1 e Poder A8) 
CNJ em questão: Ex-corregedor nega que sigilos tenham sido quebrados

Gilson Dipp, ex-corregedor nacional de Justiça, diz que não houve quebra de sigilos de magistrados e que decidiu, em 2009, pedir dados fiscais de magistrados porque as informações que eram fornecidas pelos tribunais nas inspeções eram insuficientes. (Págs. 1 e Poder A8) 
Clóvis Rossi

Câncer de Cristina pode afetar a governabilidade

É natural que, vencedora do câncer, Cristina Kirchner ganhe pontos com o público. Assustadora, porém, é a hipótese de que surjam problemas que afetem a capacidade de governar da presidente da Argentina. (Págs. 1 e Mundo A11)

Editoriais

Leia "Mercado distorcido", sobre fim do subsídio norte-americano ao etanol, e "Ciência sem segredo", acerca de riscos da divulgação científica (Págs. 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo
Manchete: Custo explode e obra do S. Francisco terá licitação de R$ 1,2 bi

Ministro diz que vai refazer contratos da transposição do rio porque consórcios precisariam receber até 60% a mais; gasto com projeto chega a R$ 6,9 bilhões 

O governo Dilma Rousseff lançará duas novas licitações no valor total de R$ 1,2 bilhão para terminar trechos da transposição do Rio São Francisco já entregues a consórcios privados, informa a repórter Marta Salomon. Iniciado em 2007, o projeto já consumiu R$ 2,8 bilhões, mas tem trechos parados e outros que precisarão ser refeitos. O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, calcula que o custo inicial da obra saltou de R$ 5 bilhões para R$ 6,9 bilhões. As novas licitações foram a forma encontrada por Bezerra para driblar um problema: os consórcios não conseguiriam terminar o trabalho mesmo que o valor aumentasse 25%, limite legal para aditivos em contratos. “Vimos que teríamos de fazer aditivos de até 60%", disse o ministro, que admitiu erros no projeto, como a número insuficiente de sondagens de solo. (Págs. 1 e Nacional A4) 

Fernando Bezerra 
Ministro da Integração Nacional
"Só vamos ter certeza do valor quando concluirmos o processo licitatório e fecharmos as contratos" (Pág. 1)
R$ 2,8 bilhões 
é quanto já foi gasto nas obras de transposição do São Francisco (Pág. 1)

"Com a mesma força de sempre"

Na primeira aparição pública após anúncio de que tem câncer, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, mostrou-se sorridente e provocou adversários. (Págs. 1 e Internacional A7) 
Setor público atinge em novembro 99% da meta do ano

O setor público conseguiu economizar, de janeiro a novembro, o equivalente a 99,1% da meta fiscal de 2011, graças a uma arrecadação recorde de impostos somada ao corte de investimentos. União, Estados, municípios e estatais pouparam R$ 126,7 bilhões para o pagamento de juros da dívida. Só o governo federal foi responsável por 71,4% desse valor. (Págs. 1 e Economia B1) 
Foto legenda: Ficha-suja de volta

Daniel, filho de Jader Barbalho, faz careta para fotógrafos: Sarney e Renan Calheiros não foram à solenidade que marcou volta ao Congresso do senador, garantida por recurso contra Lei da Ficha Limpa. (Págs. 1 e Nacional A5) 

Plano contra obesidade prevê academia popular

O governo finalizou um plano interministerial para controle e redução da obesidade nos próximos dez anos. O programa, que deve ser lançado ainda em janeiro, terá foco em três eixos: aumentar a disponibilidade e a oferta de alimentos frescos, levar informações sobre educação nutricional por meio de campanhas e incentivar a construção de ciclovias e academias populares. (Págs. 1 e Vida A12) 
Estradas têm pontos cegos de comunicação

Além da lentidão, o motorista deve estar preparado para encontrar pontos cegos de comunicação em 400 km de estradas paulistas percorridos pela reportagem. Em vários trechos, nem celulares nem cabines de emergência funcionam. (Págs. 1 e Cidades C1) 
Panamericano compra grupo Brazilian Finance (Págs. 1 e Economia B11)

SP registra recorde de emissão de passaportes (Págs. 1 e Cidades C3)

Celso Ming

Subversão alfandegária

O ministro Guido Mantega anunciou na terça-feira novo brutal casuísmo protecionista, desta vez em favor do setor têxtil. É um grave precedente. (Págs. 1 e Economia B2)

Eugênio Bucci

Três cenas de ano-novo

Entre o culto do corpo impossível e a celebração do capital caridoso, a gente corre em falso atrás de luzinhas coloridas. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2) 

Notas & Informações

A crise da Justiça

Entram em cena os juízes mais jovens, que sabem que a imagem da magistratura não é boa. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: O retrato de um Brasil que anda para trás

Em 2001, Jader Barbalho (PMDB-PA) renunciou para escapar da cassação. Em 2010, tentou voltar e foi barrado pela Lei da Ficha Limpa. Recorreu, então, ao Supremo e ontem assumiu um novo mandato de senador. De cara, mesmo sem trabalhar um único dia, vai embolsar R$ 57 mil. E já mandou recados para Dilma sobre a insaciável gula do PMDB por cargos, A posse de Jader é emblemática. Simboliza políticos como Collor, Roriz, Luiz Estevão. Gente que parecia banida da vida pública, mas que insiste em retornar à cena política. (Págs. 1, 2, 3 e Visão do Correio, 18)

Contas públicas: Governo tem superávit, mas 2012 preocupa

A União economizou R$ 126,7 bilhões para pagar os juros da dívida interna, alcançando a meta da equipe econômica. Especia1istas, no entanto, apostam que os gastos devem aumentar a partir de janeiro. O ano eleitoral, o aumento do salário mínimo e as isenções fiscais podem comprometer as receitas. (Págs. 1 e 12)
Céu azul: Aeroviários aceitam 6,5% de reajuste e desistem da greve (Págs. 1 e 14)

Transição em pleno funeral

O novo ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, caminha ao lado do caixão do pai, Kim Jong-il. O sucessor foi acompanhado pela velha guarda comunista. (Págs. 1 e 21)
Argentina em paz por Cristina

Oposição e imprensa evitarão atritos com Cristina Kirchner durante o tratamento de um câncer na tireoide a que ela se submeterá. A presidente ficará 20 dias afastada do cargo após a cirurgia. (Págs. 1 e 20) 
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
Manchete: Competitividade inibe a reação da indústria

Desde 2000, a indústria cresceu acima do Produto Interno Bruto (PIB) em apenas quatro anos. Nos demais, seu resultado foi inferior à média da economia brasileira. Em 2012, o setor poderá ensaiar uma recuperação e crescer na mesma toada esperada para o PIB, entre 3% e 3,5%. Essa possibilidade, contudo, anima pouco os economistas que acompanham o setor. A indústria brasileira, dizem, passa por uma crise mais profunda, e o pífio resultado de 2011 - uma alta próxima a 0,5% no ano em relação a 2010 - não foi reflexo apenas das medidas adotadas para desaquecer a demanda interna.

Para a maioria dos analistas, a indústria, no máximo, vai acompanhar o PIB no próximo ano. Para o Banco Central, a ajuda dos segmentos de extrativa mineral e construção civil fará o setor como um todo crescer 3,7% em 2012, um pouco acima dos 3,5% projetados para o PIB. (Págs. 1 e A4)

PanAmericano eleva capital em R$ 1,8 bi

O PanAmericano anunciou ontem que fará um aumento de capital de R$ 1,8 bilhão. Cerca de R$ 1,4 bilhão virá dos dois principais acionistas do banco, BTG Pactual e Caixa Econômica Federal, e o restante, dos sócios minoritários. Desse total, R$ 940,3 milhões serão usados para a compra da Brazilian Finance & Real Estate (BFRE), companhia de investimentos imobiliários que tem como sócios o grupo Ourinvest, o megainvestidor americano Sam Zell e o fundo TPG Axon. O restante do dinheiro será injetado diretamente no PanAmericano, o que elevará em muito o seu índice de Basileia. (Págs. 1 e C1)
Foto legenda: O interino

A cirurgia da presidente Cristina Kirchner por causa de câncer na tiroide coloca em foco o vice-presidente, Amado Boudou, guitarrista amador que foi ministro da Fazenda e que vai gerir o país por ao menos três semanas em janeiro. Ontem, os dois participaram de cerimônia na Casa Rosada. (Págs. 1 e A8)
Comgás dobra investimentos em Santos

A Comgás irá mais que dobrar seus investimentos em infraestrutura de rede na Baixada Santista a partir de 2012. A concessionária de gás natural canalizado investirá R$ 91 milhões entre 2012 e 2018, montante 117% superior ao realizado de 2008, quando inaugurou sua base em Santos, até este ano. A partir de janeiro, a Comgás deflagra um plano para assentar 555 quilômetros de rede de distribuição de gás. A primeira etapa vai abranger bairros de Santos mais afastados da orla marítima, informa Wagner Longo, gerente regional da Comgás na Baixada Santista.

A empresa busca novas oportunidades na região - o porto de Santos é uma delas. Hoje, o porto é abastecido em 85% pela energia de Itatinga, uma usina hidrelétrica própria, localizada no município de Bertioga. O restante é comprado no mercado. "Nós estamos atuando em outra parte, tentando trazer alguns projetos para levar novas aplicações, gerar energia através do gás natural. Pela expansão que o porto vai ter, sem geração de energia adicional vai ficar difícil", diz Longo. (Págs. 1 e B8)

Redes sociais tentam acessar o lucro

As redes sociais tornaram-se o principal destino de visitação dos internautas em todo o mundo. Um levantamento recente feito pela consultoria ComScore em 43 países revelou que 1,2 bilhão de pessoas - 85% dos internautas no mundo - acessam mídias sociais como Facebook, YouTube, LinkedIn e Twitter.

Essa enorme audiência global ainda não se converteu em lucros. Quatro empresas relacionadas às redes sociais estrearam na bolsa americana este ano - LinkedIn, Groupon, Zynga e Pandora. Metade das ações acumula perdas. (Págs. 1 e A2)

Julgamentos de pendências tributárias ficaram para 2012

Os temas tributários de maior peso para as finanças de empresas e da União não foram julgados este ano pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ficou, portanto, para o ano que vem casos como a aguardada decisão sobre a forma com que as instituições financeiras devem recolher a Cofins. Uma definição do Supremo é esperada desde 2009 por bancos, corretoras e seguradoras, em causas estimadas em dezenas de bilhões. Os bancos discutem, especificamente, se a Cofins incide sobre as receitas geradas a partir da intermediação ou aplicação de recursos financeiros próprios ou de terceiros. Esse entendimento é defendido pela Fazenda Nacional, mas os bancos entendem que a contribuição recai apenas sobre os valores das tarifas cobradas de seus clientes.

Outra questão a ser definida em 2012 é exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins. O tema é debatido no Supremo desde 2006. Na prática, excluir o imposto estadual do cálculo da Cofins - que incide sobre a receita bruta das empresas - significa recolher menos contribuição. Se a União perdesse a disputa, por exemplo, teria que devolver aos contribuintes cerca de R$ 84,4 bilhões pelo período de 2003 a 2008, conforme cálculo da Receita Federal presente na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2011. Já do STJ aguarda-se a definição do conceito de insumo, para saber que tipos de operações podem gerar créditos para o PIS e a Cofins. (Págs. 1 e E1)

Dubai traz inquietação aos bancos

Além da crise da zona do euro, os mercados financeiros poderão sofrer turbulências em 2012 com outro país muito endividado - Dubai, emirado no golfo Pérsico antes visto como um dos mais ricos do mundo. Bancos estrangeiros se mostram de novo inquietos com os riscos de companhias vinculadas ao governo, como Dubai Holding Commercial Operations Group, Jebel Ali Free Zone e DIFC Investments, não poderem rolar suas dívidas no ano que vem.

Segundo o Instituto Internacional de Finanças (IIF), que representa os maiores bancos do mundo, o governo do emirado e suas empresas precisam pagar US$ 13,4 bilhões de títulos de dívida que vencem em 2012, em um cenário de crise global e aperto de crédito. O emirado acumulou dívida pública de US$ 110 bilhões, equivalente a 100% do PIB do país. Os bancos locais estão sob risco, depois de terem emprestado US$ 25 bilhões a empresas estatais, o que equivale a 9% de seus financiamentos. Dubai chegou à beira do calote e agitou os mercados globais em 2009. (Págs. 1 e C10)

Indústria têxtil prepara novas ações para tentar barrar os importados (Págs. 1 e A2)

A China foi o principal centro de ofertas de ações em 2011 (Págs. 1 e D9)

Gasto público ajuda economia

Os gastos não financeiros do governo federal e de Estados e municípios vão acelerar ao mesmo tempo em 2012, devendo estimular a recuperação econômica. É o oposto do que ocorreu em 2011. (Págs. 1 e A3)
Beleza e higiene

As vendas de itens de higiene e beleza da indústria para o varejo devem fechar o ano com o maior crescimento em volume dos últimos cinco anos, entre 7,3% e 7,4%. Já o avanço em valor deve ser o menor do período. (Págs. 1 e B3) 
O rumo das commodities

Apesar de encerrarem dezembro nos atais baixos patamares de 2011, as cotações internacionais das commodities agrícolas alcançaram médias anuais nominais sem precedentes, garantidas sobretudo pela evolução do mercado até julho. (Págs. 1 e B12)
Parceria do Bradesco e Claro

O Bradesco e a Claro criaram uma empresa de processamento de pagamento móveis. A companhia vai fazer a captura, transmissão, processamento de dados e liquidação de transações financeiras por meio do celular. (Págs. 1 e C10)

Normas da CVM para fundos

A CVM fez novas exigências de transparência para as aplicações. A partir do início de 2012 as demonstrações financeiras dos fundos terão de incluir um item nas notas explicativas sobre as transações efetuadas com partes relacionadas. (Págs. 1 e D2) 
Ideias

Ingo Plögger e Carlos Waak 

O Brasil deveria adotar uma "meta de câmbio", que implica o atrelamento do real ao dólar americano. (Págs. 1 e A10)

Ideias

Bráulio Borges e Lorreine Messias 

Seria muito recomendável que o governo anunciasse um "plano de voo" para a política fiscal e parafiscal em 2012-2014. (Págs. 1 e A11)
------------------------------------------------------------------------------------

Estado de Minas
Manchete: 2012 vai começar mais caro

IPTU +6,56%

Especialistas recomendam pagamento à vista. Antecipação de duas ou mais parcelas garante desconto de 7% e quem apresentar notas fiscais à Prefeitura de BH terá até 30% de abatimento.

ÔNIBUS +8,16%
Antes mesmo do réveillon o trabalhador vai desembolsar até R$ 0,20 a mais nos coletivos de BH. Nas linhas perimetrais, diametrais, semiexpressas e troncais, a passagem salta de R$ 2,45 para R$ 2,65.
FRETE +6%
O litro do diesel sobe R$ 0,06 segunda-feira por causa da elevação da alíquota do ICMS. Com isso, o transporte de carga será reajustado. A onda de aumentos chegará ao comércio e ao bolso do consumidor. (Págs. 1, 10 e 21)

Inimigo da ficha limpa

Depois de empossado senador ontem, posto que perdeu em 2001 ao renunciar para fugir de possível cassação, Jader Barbalho (PMDB-PA) apontou a lei que estabelece critérios rígidos para candidatos a cargos eletivos como sua maior adversária. Enquanto falava, o filho Daniel, de 9 anos, fazia caretas para os jornalistas, ao contrário da bem-comportada irmã Giovana, de 15. (Págs. 1 e 3)
UFMG quer adotar Sisu no vestibular

Universidade estuda usar o Sistema de Seleção Unificada para matrícula de alunos em alguns cursos. Decisão levará em conta regras para aplicação de bônus e notas do Enem, um assunto polêmico para quem briga por vaga na federal. (Págs. 1 e 23)
Feliz vida nova: Sem planejar é morte certa

As causas do fim prematuro de mais de 20% das pequenas empresas abertas em Minas nos últimos dois anos, de acordo com levantamento do Sebrae, são o tema da quarta reportagem da série. (Págs. 1 e 11)
Acordo esvazia ameaça de greve nos aeroportos (Págs. 1 e 12)

Mudança nos planos: Dinheiro do FGTS vai financiar obras da Copa (Págs. 1 e 13)

Cristina pede cuidado com a Argentina

A presidente Cristina Kirchner, a sete dias de uma cirurgia para conter um câncer na glândula tireoide, pediu o empenho dos argentinos na manutenção do modelo de crescimento econômico do país, especialmente ao seu vice, governadores, prefeitos, empresários e servidores. Bem-humorada na sua primeira aparição pública depois do anúncio da doença, agradeceu as manifestações de solidariedade. (Págs. 1 e 15)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Polícia com mais estrutura

Com investimento superior a R$ 10 milhões, departamentos estratégicos da Polícia Civil ganharão sedes novas para atender ao crescimento da demanda na RMR. Um depósito será construído no Bairro de São José para armazenar apreensões. (Págs. 1 e Cidades 4 e 5)

Foto legenda: Posse

Dez anos após, acusado de corrupção, Jader Barbalho voltou ao Senado com direito a caretas do seu caçula. (Págs. 1 e 2)
Cobertura ampliada nos planos de saúde

A partir de domingo operadoras ficam obrigadas a oferecer 69 novos procedimentos a seus clientes, segundo determinação da ANS. (Págs. 1 e Economia 3)
Reajuste de vereadores provoca críticas (Págs. 1 e 5)

Trabalho infantil (Págs. 1 e Cidades 1)

Cobrança pública (Págs. 1 e 12)

Presidente da Argentina fala com otimismo (Págs. 1 e 13)

Vagas gratuitas (Págs. 1 e Economia 2)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: O pacote do magistério

No mesmo Diário Oficial que detalha o concurso de seleção de 10 mil professores, o governo do Estado publica hoje decreto que torna mais rígida a avaliação dos educadores e eleva valor do mérito individual.

Para promoções, aumenta o peso da qualificação.

Acaba tolerância com as faltas não justificadas.
Concurso destina 18% das vagas a cotas raciais. (Págs. 1, 4 a 6 e Rosane de Oliveira, 10)
Foto legenda: Deboche ao país

Em posse pouco tradicional ao lado do filho, Jader volta ao Senado após escapar da Ficha Limpa. (Págs. 1, 12 e Carolina Bahia, 15)
Sem drama: Como Cristina encara doença

Presidente argentina falou do câncer com humor. (Págs. 1 e 26)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete: PAC investe R$ 24 bi em 2011, mas apenas R$ 7 bi saem do orçamento

O balanço do programa mostra que apenas 17,8% dos R$ 40,3 bi previstos foram executados. No entanto, o total desembolsado, incluídos os restos a pagar, faz com que o valor nominal do ano seja o maior desde 2007. Para os empresários de infraestrutura o ritmo das obras deve acelerar em 2012. (Págs. 1 e 4)
Primário chega a 99% da meta com R$ 126,8 bi

A normalidade na área fiscal foi retomada, segundo Túlio Maciel, do BC. Ele acredita que a dívida líquida ficará em 36,6% do PIB no fim do ano por conta do câmbio. (Págs. 1 e 8)
Código Florestal ainda inquieta, diz ministra

Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, elogia avanços feitos pelo Senado, espera votação na Câmara no início do ano e quer garantir meios eficazes de fiscalizar a nova lei. (Págs. 1 e 6)

Seguradoras não seguram inflação

Alta de preços de serviços médicos e das oficinas aumenta custo das indenizações e afeta o desempenho de grupos como SulAmérica e Porto Seguro. (Págs. 1 e 30)

Feliz ano novo

Com juros em queda e aumento do consumo, publicidade espera crescer 10% em 2012 e faturar R$ 30 bi. (Págs. 1 e 26)
EBC Serviços

Comentários