Em Cabo Frio, prefeitura adia mais uma vez monitoramento de segurança


Inaugurado há mais de dois anos, o Centro de Monitoramento, que custou mais de R$ 250 mil, continua sem ser utilizado.
Inaugurado há mais de dois anos, o Centro de Monitoramento de Cabo Frio continua tendo o início do funcionamento adiado pela prefeitura. Em pleno começo da alta temporada, quando as cidades turísticas pedem reforço na segurança, a promessa de que o monitoramento feito por câmeras colocadas no centro da cidade e na orla da Praia do Forte começaria esta semana não foi cumprida. O novo prazo dado pelo governo é o dia 10 de janeiro.
A prefeitura já gastou mais de R$ 250 com o sistema de vídeo, mas o projeto, tem sido inútil. As câmeras que poderiam dar mais segurança aos moradores e turistas foram instaladas e chegaram a funcionar durante alguns meses. Mas atualmente, na sala de monitoramento, os monitores estão desligados, e os computadores, na manutenção.


Segundo o projeto, 12 câmeras colocadas na Praia do Forte e no centro da cidade deveriam mandar imagens para o controle da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Mas segundo a prefeitura, uma forte ressaca danificou o sistema no ano passado, que passou a operar parcialmente. Depois, de acordo com o governo, um roubo de cabos deixou o local sem imagens de cinco câmeras.
Em junho deste ano, a Câmara dos Vereadores cobrou providências, e o prazo dado pela prefeitura para a reativação do Centro de Monitoramento era o dia 20 de dezembro. De acordo com o secretário municipal da Ordem Pública, o problema, dessa vez, foi com a burocracia. Ele garante, no entanto, que tudo estará resolvido até o dia 10 de janeiro.
do RJ INTER TV 2ª Edição

Rede Record denuncia abandono de Central de monitoramento em Cabo Frio

Imagens mostram equipamentos desligados e um colchão sobre uma mesa
Da Rede Record | 16/06/2011 às 10h33
A sala onde deveria funcionar a central de monitoramento de segurança em Cabo Frio, na região dos Lagos, está abandonada. A denúncia é da Rede Record que, com uma câmera escondida, fez imagens do local. Na filmagem é possível ver os equipamentos desligados, com fios desconectados, além de um controle de vídeo game e um colchonete sobre uma das mesas.
A central tem 16 câmeras e foi inaugurada no ano passado. Segundo a secretaria de obras do município, a criação da central custou R$ 250 mil.
O secretário de Ordem Pública de Cabo Frio, Gilson Costa, informou que o projeto está parado porque várias câmeras foram destruídas com as frequentes ressacas na região. Segundo ele, depois de recuperadas as câmeras o projeto vai ser retomado e ampliado.
Assista ao vídeo:




    Comentários