'Lupi vinha submetendo Dilma a um enorme desgaste', diz cientista político


Depois de um mês de denúncias o ministro do Trabalho apresentou o pedido de demissão, em caráter irrevogável. Segundo Carlos Melo, não é possível segurar ninguém a qualquer preço na política.
Depois de um mês sendo bombardeado por denúncias o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, apresentou o pedido de demissão, em caráter irrevogável. Segundo Carlos Melo, cientista político do grupo de estudos e pesquisa, o Insper de São Paulo, a saída de Lupi é natural e demorou a acontecer. “O ministro vinha submetendo a presidente Dilma a um enorme desgaste, o governo a uma certa paralisia, e vinha, de alguma forma, também desgastando seu próprio partido”.
Em nota oficial, Lupi afirma ter sido vítima de perseguição política e pessoal da mídia. “Não adianta agora o ministro atribuir a uma espécie de forças ocultas contrárias ao trabalhismo no Brasil, isso tudo é bobagem. Uma parte do PDT percebeu isso. Outra parte, talvez aferrada também ao espaço no Ministério do Trabalho, a todos os convênios, ao poder, com medo de perder esse espaço, tentou segurá-lo a qualquer preço. E não é possível segurar ninguém a qualquer preço na política”, destaca Carlos Melo.
Portal Vermelho

Comentários