Manobra para aprovar a DRU rende bate-boca no plenário do Senado


                    
"O senhor descumpriu o acordo por motivo torpe" - Demóstenes Torres      

Uma manobra do governo para assegurar a votação da Desvinculação de Receitas da União (DRU) no plenário do Senado na quinta-feira acirrou os ânimos com a bancada de oposição a ponto de provocar um bate-boca entre o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), e o líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres (GO), ao aprovar requerimento passando a DRU à frente da regulamentação da Emenda 29, que pretende disciplinar os gastos do governo com a saúde. Irritado, o líder do DEM na Casa, Demóstenes Torres (GO), acusou Sarney de atropelar o regimento em favor do interesse do Planalto para aprovar a DRU e empurrar para 2012 a apreciação da Emenda 29.

A inversão da pauta cria condições para o governo iniciar hoje a discussão da DRU e votar o texto em primeiro turno amanhã. A oposição ainda tentou emplacar ontem a votação da Emenda 29, que teria precedência sobre o Código Florestal por estar há mais tempo tramitando em regime de urgência. Novamente, Sarney barrou as pretensões da bancada. 
O senhor me respeite
O senhor me respeite" - José Sarney
Demóstenes Torres protestou: “Uma coisa que baliza o nosso relacionamento aqui é palavra. Nós fizemos o entendimento, e o entendimento está sendo de novo rasgado. Vossa Excelência está rasgando”, disse o líder, com dedo em riste, lembrando entendimento anterior entre bancadas para votar ontem o texto da regulamentação.

“O senhor descumpriu o acordo por motivo torpe”, afirmou Demóstenes. Nervoso, Sarney ordenou a retirada da palavra torpe dos anais do Senado. Momentos depois, desceu da Mesa Diretora, acompanhado do senador Fernando Collor (PTB-AP), em direção a Demóstenes. “O senhor me respeite”, disse Sarney, longe dos microfones. Demóstenes Torres, depois, pediu desculpas ao presidente da Casa.

Comentários