No Afeganistão, polícia prende quatro irmãos que jogaram ácido em jovem que recusou casamento


Garotos atacaram menina de 17 anos porque ela escolheu outro homem para se casar
Whadat /Reuters
afeganistão, ácido, 700
As irmãs mais novas atacadas recebem tratamento em Cabul
A polícia do Afeganistão prendeu nesta quinta-feira (8) mais três irmãos suspeitos de atacar com ácido uma jovem que tinha recusado a se casar com um deles - um quarto irmão já está preso há oito dias. Os garotos também atacaram com ácido a mãe e as duas irmãs mais novas da jovem, além de agredirem brutalmente o pai da família. O crime ocorreu na cidade de Kunduz.
Segundo informações do Ministério do Interior do país, divulgadas pela agência de notícias Reuters, a jovem Mumtaz, de apenas 17 anos, foi perseguida por dois anos por um homem que era considerado problemático por sua família.


Há seis meses, com o apoio de seus pais, a menina recusou a proposta de casamento deste homem e decidiu ficar noiva de um parente.
Mas pouco antes do casamento, na noite do dia 30 de novembro, um grupo de homens armados invadiu sua casa e atacou sua família, disse o porta-voz do ministério, Sediq Sediqi.
- Esse é o pior tipo de brutalidade contra as mulheres. Os culpados deverão receber a pena mais severa possível.
O governo afirmou que Mumtaz sofreu mais ferimentos, e, por isso, está sendo tratada na Índia. Sua mãe e irmãs estão se tratando em um hospital de Cabul, capital afegã.
O pai da menina já recebeu alta do hospital. Ele ainda tem problemas nas costas e na cabeça, mas está mais preocupado em como poderá manter a família em Cabul enquanto suas filhas e mulher estiverem em tratamento.
Acusados procuravam perdão familiar
A polícia local prendeu ontem (8) mais três irmãos acusados de cometer o crime. Um quarto irmão já tinha sido preso no dia 1º de dezembro. Os jovens foram presos enquanto planejavam um encontro entre idosos para buscar o perdão da família que sofreu o ataque, diz o ministério do Interior afegão.
A polícia de Kunduz procura ainda por mais dois ou três suspeitos de participar do ataque, disse Sediqi.
- Em breve vai ficar claro quanto pessoas participaram do crime.
Segundo Sediqi, os quatro irmãos presos são acusados de “invadir a casa, agredir a família, atacar as mulheres com ácido, porte de arma ilegal e roubo”. A família atacada, no entanto, informa que seis ou sete homens armados participaram da ação.

Comentários