Protestos marcam Dia contra a Corrupção nesta sexta-feira


Manifestantes vão pedir mudanças em leis e fim do voto secreto no Congresso
Os brasileiros prometem se unir a manifestantes de outras partes do mundo e sair às ruas nesta sexta-feira (9) para protestar contra os desmandos dos poderosos no Dia Internacional Contra a Corrupção. 
A data começou a ser celebrada em 2005, mas fora acordada dois anos antes, quando 110 países assinaram a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção em um encontro realizado em Mérida, no México.

Por aqui, o texto foi aprovado pelo Congresso Nacional em maio de 2005, passando a vigorar no dia 31 de janeiro do ano seguinte. Uma das cláusulas da convenção prevê, por exemplo, a cooperação entre os países para recuperar dinheiro desviado e remetido para outras nações.


No Brasil, as manifestações estão sendo organizadas pela UCC (União de Combate à Corrupção). Em São Paulo, o protesto terá um trio elétrico de 14 metros, que deverá sair em carreata por volta das 19h30 da avenida Paulista, na altura do Masp (Museu de Arte de São Paulo).
No Rio de Janeiro, a concentração começará às 17h na Candelária. Em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, os manifestantes se encontrarão às 14h na Praça da Liberdade. A mobilização em Brasília terá início às 18h na Praça dos Três Poderes.
Em Pernambuco, um ato público pela aprovação da Lei da Ficha Limpa foi marcado para as 11h em frente à Câmara Municipal de Recife. No Sul, as principais manifestações ocorrerão em Porto Alegre (RS), na Esquina Democrática, a partir das 18h, e em Blumenau (SC), às 17h nas escadarias da Matriz.
Em sua página no Facebook, o movimento pede que cada participante leve com ele uma vela e um amigo. A pauta de reivindicações inclui tornar o ato de corrupção um crime hediondo, acabar com o foro privilegiado para políticos denunciados, o fim do voto secreto no Congresso e prioridade para julgamentos de processos de corrupção.

Comentários