Relatório aponta mais de 7 mil casas construídas em locais de risco no Estado do Rio


Documento aponta 31 cidades que apresentam risco de deslizamentos durante as chuvas

O DRM (Departamento de Recursos Minerais) apresentou na tarde de ontem (28) um relatório detalhado de 31 municípios com possibilidade de deslizamento no Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o documento, 7.383 casas estão construídas em locais de risco. 
 Ainda segundo o relatório, que foi entregue às autoridades de cada um dos 31 municípios, a cidade que apresenta maior ponto de deslizamento é Duque de Caxias, seguida por Barra do Piraí, Magé e São João de Meriti. 
André Paino, do R7
Para Flávio Erthal, presidente do Serviço Geológico do Estado, o relatório foi feito para contribuir para a redução de risco, porém depende da parceria dos municípios para que as informações apresentadas no documento sejam utilizadas corretamente.

- Conhecer esses pontos e monitorá-los são os primeiros passos. A Defesa Civil deve fazer vistorias nesses locais a cada três dias. Assim poderá controlar esses pontos e alertar previamente a população de possíveis deslizamentos.

De acordo com o coronel Sérgio Simões, secretário estadual da Defesa Civil, a secretaria faz parte de um sistema que inclui diversos centros de monitoramentos, que lêem todas as informações dos radares e mandam para o centro de gerenciamento de riscos do Rio de Janeiro. Simões apontou também a importância da conscientização da população para evitar que deslizamentos façam novas vítimas.

- Neste momento não há outra solução senão a mobilização dos moradores, que acontece através de alarmes. E para que o morador tenha a reação esperada, eles precisam ser treinados, o que já esta sendo feito.

O sistema de alarmes foi instalado em diversas cidades do Estado. Quando o centro de gerenciamento de risco identifica possibilidade de deslizamento, o alarme é acionado para orientar a população a deixar as casas e se abrigar em pontos seguros previamente determinados. Segundo Simões, esses locais já foram determinados.

- São escolas, creches, igrejas. Há placas indicativas para orientar os moradores para onde devem seguir. 

Segundo o vice-governador Luis Fernando Pezão, a situação para esse verão é muito preocupante já que são quase 8 mil famílias morando em áreas de risco e a previsão para os próximos meses é de muita chuva no Estado.

- Estamos fazendo diversos trabalhos. Estão sendo realizadas cerca de 50 e 60 obras de contenção de encostas, além da construção de pontes e drenagem dos rios. Porém é fundamental o trabalho de prevenção da Defesa Civil. É necessário que as cidades invistam nisso e ensine a população como se comportar nesses momentos de chuvas.

Comentários