Repórter de O Globo revela como chegou à matéria que pode derrubar ministro do Desenvolvimento


fernando_pimentel
Anderson Scardoelli

Perspicácia e insistência. Assim podem ser definidas as atitudes que levaram o repórter de O Globo, Thiago Herdy, a publicar um furo no domingo, 4, que pode resultar na queda de mais um ministro do governo Dilma. A bola da vez é Fernando Pimentel (PT) (foto), que, segundo a reportagem, teria recebido, irregularmente, mais de R$ 2 milhões por prestar consultoria para empresas, durante 2009 e 2010.
Correspondente de O Globo em Belo Horizonte (MG), Thiago Herdy, de 28 anos, revelou ao Comunique-se que o início das apurações sobre o caso começou em maio, ao encontrar o político durante a cobertura de um evento em Ipatinga, interior de Minas. Na ocasião, Herdy ficara intrigado com a resposta de Pimentel a uma pergunta sobre os rendimentos que teve com sua empresa de consultoria. O político respondeu que os valores recebidos eram "rendimentos compatíveis” com a atividade de sua empresa e "nada extraordinários".
O jornalista diz que a investigação só acabou no início deste mês, dias antes da primeira reportagem ser publicada pelo diário carioca, após reunir o máximo de informações possível a respeito das atividades do ministro. Herdy decidiu segurar a matéria até conseguir ficar a par de tudo, mesmo sob o risco de ser furado por um concorrente. “Preferi investir para ter informações mais concretas já na primeira reportagem”, justifica.

O repórter afirma que manter o relacionamento com pessoas próximas a Pimentel foi importante. Entre as fontes estavam, por exemplo, os órgãos de segurança pública e também com o Ministério Público.

Pressão e sigilo
Único correspondente na capital mineira, Herdy relembra que um dos desafios na produção foi equilibrar o tempo entre o processo investigativo e as pautas factuais da região, coberta por ele em diversas editoriais (Esportes, Cotidiano, Política e Economia). Porém, afirma que conciliar é possível, principalmente por contar com o apoio da redação quando precisa de mais tempo para apurar uma história de impacto.

O jornalista relata que, depois da publicação da matéria, tem recebido “pressão discreta”, principalmente de pessoas ligadas ao ministro Pimentel e respectivas assessorias. Herdy, entretanto, afirma que prefere responder às pressões com "trabalho rigoroso e matérias bem apuradas".

Depois dos sites do Estadão, Veja e Folha repercutirem a matéria de O Globo, que pode aumentar a pressão no Planalto, Herdy descarta sentir-se responsável pela eventual queda do ministro. "Meu papel se resume a trazer à tona informações que são de interesse público. O que uma figura com a importância do ministro Pimentel fez ou faz interessa a todos nós".

Comentários