Tribunal Superior Eleitoral abre inscrições para um dos concursos mais esperados do ano


Dezembro começa com a oferta de 22.594 vagas e cadastro de reserva em seleções por todo o país. Um dos concursos mais esperados do ano é o do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebe inscrições de candidatos para cadastro de reserva até 22 de dezembro. Segundo fontes ouvidas pelo Congresso em Foco/SOS Concurseiro, cerca de 300 aprovados serão aproveitados. Confira lista completa dos concursos com inscrições abertas aqui.


No último concurso do TSE, realizado pelo Cespe, foram abertas 280 vagas imediatas para técnico e analista. Ao longo da validade do concurso, foram convocados 747 aprovados. Por esse motivo, a expectativa é de um grande aproveitamento dos aprovados na nova seleção. Afinal, o Judiciário não tem limitação legal para nomeações, como ocorre com o Executivo Federal, que só pode convocar 50% além do número de vagas divulgadas no edital.
As oportunidades no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) são para os cargos de analista e técnico judiciário. Os candidatos chamados a tomar posse trabalharão em Brasília e terão rendimentos iniciais de R$ 4.052,96 para o cargo de técnico judiciário (nível médio) e R$ 6.611,39 para o cargo de analista judiciário (nível superior).
As vagas destinadas a analistas estão divididas em três áreas: administrativa, apoio especializado e jurídica. A primeira exige graduação em qualquer área ou concorrer a postos especializados que têm como requisito formação em ciências contábeis e pedagogia. As oportunidades para apoio especializado são para candidatos com nível superior em análise de sistemas, arquivologia, biblioteconomia, engenharia elétrica, engenharia mecânica, estatística e psicologia. Já os candidatos para a área judiciária devem ter graduação em direito.
A seleção oferece a possibilidade de o candidato concorrer para mais de um cargo desde que as provas para os cargos escolhidos sejam em horários diferentes.  A Consulplan, empresa responsável pelo concurso, marcou as avaliações para 23 de janeiro.
Congresso em Foco

Comentários