Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 9 de abril de 2011

O que elas pensam

100 dias com Dilma




Beth Michel
Artista plástica por gosto
Blogueira por desgosto

Dilma superou minhas expectativas. Pois como havia dito na entrevista que lhe dei por ocasião do Dia Internacional das Mulheres, ela teria que vencer dois avatares criados pela mídia em torno da sua candidatura: o do continuísmo (Lula) e o da dependência (partidos aliados), que poderiam cercear a formação da equipe ministerial e outros postos de igual ou maior relevância, e o desenvolvimento e implantação de seus projetos de campanha.
E ao que me parece, e levando-se em conta que  - neste país - o ano só começa depois do Carnaval, ela tem conseguido impor seu ritmo e vontade, e passando lindamente pelos obstáculos. Nenhuma vez se soube que ela tenha ido pedir "colo" ao Lula - embora o leve à tira-colo em ocasiões pontuais. E deixou muito "aliado" falando sozinho, entre eles o próprio Sergio Lalau - ops Cabral, no caso do Ministério da Saúde, e o seu "temível" vice Michel Temer ,que anda com cara de cachorrinho que caiu do caminhão de mudança.
Nem sequer a morte de José Alencar ( considerado a terceira perna do banquinho "Lulistico") abalou-a, além da tristeza natural por perder um amigo.
Se continuar assim, estamos indo muito bem!



Tati Bueno
Jornalista e escritora

Evidentemente a Dilma não serve para nenhum parâmetro de beleza. Está inclusive longe disso, mas eu que não votei nela porque sob a minha analise política seria uma continuação do governo Lula, (que eu detestei por inúmeras razões) reconheço que esses 100 dias de seu governo foram bastante esperançosos.
Isso, entretanto, não significa que ela não anda pecando, (talvez orientada por alguma assessora) e perdendo tempo recebendo e dar entrevistas para pessoas sem a menor importância política, pessoal e longe de serem formadores de opinião.
O resto é rezar e esperar para ver. E repetir como a minha vó -"VASSOURA NOVA" SEMPRE VARRE A CASA BEM.
A opinião de algumas historiadoras

São avaliações e opiniões livres, algumas sintéticas, outras mais longas, que ganham interesse justamente por não serem “acadêmicas”, pois mostram o distanciamento crítico ou a adesão emocionada dessas historiadoras brasileiras. Por essa razão, preferi não editá-las, transcrevendo-as na íntegra para o leitor do blog.
Rachel Soihet (UFF)
Não tenho uma perspectiva essencialista de que o simples fato de se tratar de uma mulher automaticamente contribua para uma mudança em termos de sentimentos e de comportamento. Caso tal fato correspondesse à verdade, como explicaríamos a atuação de uma Margaret Thatcher? Mas, com relação a Dilma, observo inúmeros aspectos positivos, em especial nas suas declarações em favor do respeito aos direitos humanos e no que tange à política internacional, consubstanciadas na postura recente do Brasil com relação ao Irã. Igualmente, no plano interno verifico uma tendência mais incisiva com vista a trazer à tona os arquivos da ditadura criminosamente ocultos há tantos anos.
Também gostaria de acrescentar que, ao contrário do que muit@s afirmavam, a presidente não se constitui em simples fantoche de Lula e, embora se mantenha respeitosa com relação ao mesmo, tem dado mostras de iniciativa e firmeza diante das várias situações que se lhe tem apresentado. Não há como deixar de acentuar o seu empenho na nomeação de mulheres para o ministério e demais posições de poder.


Lucia Maria Lippi Oliveira (CPDOC/FGV)
Tinha poucas expectativas sobre o governo Dilma, não fui sua eleitora, embora tenha votado em outra mulher, Marina Silva. Considerava/considero que seu programa estava/está preso ao século XX, talvez até ao XIX. Não me agradava também a campanha eleitoral enfatizar Dilma como “a mulher do Lula” ou “a mãe do PAC”... Mas não ter sobressaltos diários com as declarações públicas do Lula já é lucro! Seu comportamento é mais “racional”, estável e coerente, concorde-se ou não com suas posições. Tais traços (inclusive falar pouco, ler os discursos) não são identificados pelo senso comum como “coisa de mulher”, ao contrário. Vamos ver como esta mulher, que não corresponde aos estereótipos femininos, enfrentará os problemas graves que ainda estão aí e torcer para que saiba aproveitar o momento favorável do Brasil no mundo.


Maria Paula Araujo (UFRJ)
Dilma é um quadro político, formada na militância de esquerda. Eu acho que suas maiores virtudes e seus maiores defeitos vêm daí.
Numa apreciação absolutamente pessoal e não científica eu posso dizer que o que eu mais gostei foi a sua postura nas relações internacionais, a condenação explícita do tratamento dado às mulheres no Irã e o posicionamento público e claro de combate à execução de Sakiné.
O que eu menos gostei (e menos gosto ainda) é uma visão que considero ultrapassada em relação ao desenvolvimento econômico. Dilma é “desenvolvimentista” no sentido arcaico do termo. Sua posição em relação à construção da usina de Belo Monte, no Xingu, a meu ver, expressa essa visão anacrônica de progresso que não incorporou, de forma profunda, o respeito ao meio ambiente.


Junia Furtado (UFMG)
Sou eleitora do PT há muitos anos e votei em Dilma com a crença de que ela não seria uma simples seguidora de Lula. Creio que os 100 dias de seu governo já mostram isso. Acho que a visão de administradora que ela tem passado é muito positiva, afinal, no Brasil, a presidência da República acumula a gestão da “casa” com a política externa. Em relação a esta última, gostei de uma relação mais realista com os Estados Unidos, sem adotar uma posição esquerdista simplista de aversão a tudo que diz respeito ao Tio Sam, mas, em relação ao Irã, acho importante mantermos a posição independente que marcou o governo Lula.
Minha maior preocupação em relação ao atual governo é se ele vai manter a postura do governo Lula em relação à universidade – maiores recursos, aumento do corpo docente com abertura de muitos concursos, expansão de vagas discentes, aumento de salários etc. Foram importantes conquistas do governo anterior que estão no momento paralisadas com o corte e restrição de verbas. Quanto à questão feminina, ela vem mostrando que as mulheres no poder são tão (ou mais!!!) capazes que os homens. Acho que sua eleição foi uma importante conquista feminina.


Marieta de Moraes Ferreira (UFRJ)
Votei na Dilma menos por suas qualidades pessoais e mais por ser uma continuadora dos projetos do governo Lula. Destaco especialmente as políticas nas áreas de educação e ciência e tecnologia, bem como os programas de distribuição de rendas. Apesar de não ter tido muitas expectativas sobre a sua atuação como presidente, uma avaliação dos 100 dias do seu governo indicam que ela está tendo um desempenho acima do esperado, tanto por mim, como por grande parte da população brasileira. Alem de estar dando continuidade aos programas de Lula, tem imprimido sua marca pessoal em vários pontos, tais como a política externa brasileira. Finalmente, acho importante destacar o significado de uma mulher na presidência da República. Ainda que Dilma não tenha levantado nenhuma bandeira feminista, a sua simples presença no cargo mais importante do país abre novos espaços para as mulheres na sociedade brasileira. Concluindo, estou satisfeita de ter votado na Dilma e acho que ela fará um bom governo.


Claudia Wasserman (UFRGS)
Talvez uma das operações mais complexas do ofício do historiador seja o controle da subjetividade. Neste comentário, no entanto, me posiciono como historiadora mulher para analisar os primeiros 100 dias do governo Dilma Rousseff.
Sendo as relações de gênero no Brasil marcadas historicamente por lutas contra o preconceito e pela emancipação da mulher, considero que estas relações serão beneficiadas pelo comportamento da presidenta Dilma.
Seu estilo como gestora austera e competente denota um modelo oposto à imagem historicamente construída da mulher restrita ao ambiente doméstico ou marcada por conotações sexuais pejorativas.
As aparições públicas da presidenta têm sido caracterizadas pela discrição e elegância, pelo cuidado na linguagem e pelo conhecimento pontual dos temas abordados, distinguindo seu caráter daquele que foi a marca registrada do presidente Lula, produzindo, à primeira impressão, um tom de independência e autonomia em relação ao padrinho político.
As políticas públicas para mulheres receberam atenção nestes primeiros meses, sendo destaques o Rede Cegonha – de atenção integral à gestante –, uma ampliação de linha de microcrédito para mulheres empreendedoras, um plano nacional de prevenção e combate à violência contra as mulheres e o aumento do Bolsa Família.
Nos primeiros 100 dias do governo Dilma Rousseff se pode antever uma melhoria nas relações de gênero no Brasil, a diminuição do preconceito e a valorização da mulher nas políticas públicas do país.


Jessie Jane Vieira de Sousa (UFRJ)
Falar em cem dias me remete a Moreira Franco que, ao assumir o governo do Estado do Rio de Janeiro, em 1986, afirmava que em 100 dias o problema da violência, tão pautado naquela eleição, seria resolvido. Este certamente não foi o discurso da presidente Dilma, que se assume como sucessora de um projeto que se iniciou em 2002 com o presidente Lula. Penso que esta filiação já indica os limites de possíveis mudanças radicais na rota traçada pelo Partido dos Trabalhadores e seus aliados.
Aliás, esta era uma das interdições que a oposição fazia à sua eleição, mas, para amplas parcelas da sociedade, esta era também a sua principal credencial.
Contudo, creio que já temos alguns sinais de como a presidente pretende impor um novo estilo e, de alguma forma, propor à sociedade novos debates.
Acho que a principal diferença é, sem duvida alguma, ditada pela sua adesão a um estilo republicano mais radicalizado. O que implica uma postura austera e avessa aos holofotes. Para alguns, como é próprio da nossa cultura política, baseada no compadrio, este traço foi tomado como antipatia ou arrogância. Até o apelido de “gerentona” foi algo depreciativo.
Outro aspecto que me parece inovador é a sua aparente capacidade para não permitir que o governo tenha muitas falas e, com isto, evitar a emissão de sinais contraditórios. Esta pode ser também uma das estratégias para dominar possíveis apetites pouco republicanos. Estas duas características podem indicar o conhecimento da presidente sobre o fazer política no Brasil e, sobretudo, como ela se dispõe a indicar outra maneira de ser política. Ao longo do seu mandato veremos como tudo isso será assimilado ou não pelo chamado “mundo político”.
No tocante aos temas que me são caros, como os relativos aos direitos humanos, memória, verdade e, sobretudo, acesso à documentação pública, me parece que alguns projetos ainda estão em construção e não sei se aquilo que foi parcialmente projetado no governo anterior será implementado. O tema da Comissão da Verdade tem sido reafirmado pelo governo através das falas ministeriais, mas, ao mesmo tempo, as vozes dos calabouços continuam assombrando a muitos. E me parece significativo que, neste 31 de março, estejam acontecendo iniciativas que visam se contrapor às iniciativas governamentais. Espero que neste aspecto a presidenta saiba impor o seu estilo e que prevaleça a defesa intransigente do direito à memória e a verdade.

100 dias com Dilma


Elas avaliam ...

O governo da presidente Dilma Rousseff completa cem dias neste domingo (10). Para saber qual é a avaliação sobre este período, a Visão La Flora contatou mulheres de diversas áreas da Região dos Lagos e do Brasil perguntou o que elas pensam da nova gestão. 
Qual a sua opinião. Solte o verbo e mande com o texto uma foto de rosto.

Boa tarde! Pelo mundo aflora ...

José Alencar

Uma cerimônia religiosa em memória do ex-vice-presidente José Alencar, que morreu no fim de março aos 79 anos, está sendo celebrada neste momento, na Catedral da Sé, centro de São Paulo. Um convite feito pela família foi publicado nos principais jornais do país.

Tragédia no Rio: 41 pessoas receberão órgãos

Elas serão beneficiadas com córneas, ossos e tendões doados por famílias das vítimas do massacre da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro. O Banco de Olhos de Volta Redonda captou oito córneas, de quatro crianças, e o Banco de Tecidos do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia captou ossos e tendões de uma menina - que serão aproveitados por 33 receptores.
Nenhuma das vítimas teve morte encefálica - por isso não foi possível a doação de órgãos como coração, rins e fígado. Outras cinco famílias autorizaram a retirada de ossos, mas isso não foi possível porque o tempo pós-óbito não permitiu a análise de amostras sanguíneas das vítimas.

Proteção urgente

A discussão sobre a necessidade de instalar meios que protejam a integridade dos estudantes ganhou visibilidade depois do ataque na escola Tasso da Silveira. Na Câmara dos Deputados tramita pelo menos um projeto que obriga a instalação de aparelhos de raios x nos estabelecimentos de ensino públicos e privados. Mas, no Rio de Janeiro, onde ocorreu a tragédia, a única proposta dessa natureza em estudo pela Assembleia Legislativa foi arquivada no ano passado. Especialistas da área de segurança e violência defendem que, a partir do que houve em Realengo, os governos adotem medidas urgentes para evitar novos incidentes.
"A escola não pode ser um local trancado, as crianças têm que ser livres, mas precisa haver controle nas entradas dos estabelecimentos", observa Daniel Sampaio, delegado aposentado da Polícia Federal e especialista em operações especiais. Segundo ele, o poder público já deveria ter tomado providências para evitar fatos como o que ocorreu em Realengo. "O brasileiro tem a mania de fechar a casa só depois que o caso ocorreu", diz o policial, criador do Comando de Operações Táticas da PF.

Campanha de desarmamento

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, revelou ontem que o governo vai iniciar este ano uma nova campanha pelo desarmamento no Brasil. A declaração foi dada após o massacre de alunos da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo. Em fevereiro, durante o lançamento do relatório "Mapa da Violência", o ministro disse que o desarmamento da população era uma das prioridades do seu ministério. De acordo com o ministro, os índices de violência caem no momento em que as campanhas de desarmamento ocorrem no Brasil.

Rio tem 581 mil armas ilegais ...

... que estão com civis e criminosos, segundo levantamento do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Armas, da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Em circulação, contando com as armas legais, são 805 mil. O número é resultado de trabalho feito pelos agentes do Sistema Nacional de Armas (Sinarm) da Polícia Federal, que identificou 224 mil armas legais em posse de civis pesquisando nos arquivos da Delegacia de Armas e Explosivos (Dfae) da Polícia Civil do Rio.

Indeferido pedidos de compras

Diante do massacre, a Polícia Federal anunciou ontem que passou a indeferir os pedidos no estado do Rio. As exceções serão apenas para pessoas que conseguiram comprovar a real necessidade de manter uma arma em casa. Pelo Estatuto do Desarmamento, é atribuição da PF dar autorização para porte e compra de armas em território nacional.
A decisão foi tomada pela equipe do delegado Anderson de Andrade Bichara, diretor da Delegacia de Repressão ao Tráfico Ilícito de Armas (Delearm) e referendada pelo delegado Nivaldo Farias de Almeida, superintendente interino da PF do Rio.


Relatório da CPI do Tráfico de Armas ...

... na Câmara dos Deputados, enviado a membros da CPI, revela que 86% das armas usadas por criminosos no estado do Rio têm origem legal: 68% foram vendidas por empresas brasileiras para lojas em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Niterói, Duque de Caxias, Nilópolis, Campos e São João do Meriti, além de outras em São Paulo, Assunção e Pedro Juan Caballero, no Paraguai. As demais 18% foram compradas pelo poder público e desviadas para o crime.
Os dados estão em documento elaborado pela CPI, a partir da análise de informações enviadas pelos fabricantes brasileiros. Foi feito o rastreamento de 10.549 armas apreendidas pela polícia do Rio, de 1998 a 2003, todas envolvidas em situação ilegal ou de delitos: 74% foram compradas por pessoas físicas; 25%, vendidas para empresas de segurança privada, transportadoras de valores e departamentos de segurança de empresas privadas; 0,6% saiu de lojas para órgãos do Estado; e 0,3% foi vendida para outras pessoas jurídicas.

PF também investiga atirador

A ação e a motivação de Wellington para invadir a escola e atirar nos estudantes passou a ser investigada também pela Polícia Federal. Peritos e agentes do setor de inteligência foram à escola e estão buscando respostas no computador usado pelo criminoso e que foi apreendido. A carta e a suposta influência que o atirador sofria de religiões islâmicas estão sendo objeto de atenção. Um grupo de agentes está rastreando o conteúdo de correspondências e todo caminho que Wellington percorreu na internet, levando em conta sites acessados e seus principais contatos na grande rede.

Papa Bento XVI: não à violência

O pontífice enviou mensagem de solidariedade às famílias das crianças mortas, em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro, desejando recuperação às que ficaram feridas e convidando todos os cariocas a dizer não à violência. “Santo Padre convida todos os cariocas, diante desta tragédia, a dizer não à violência que constitui caminho sem futuro, procurando construir uma sociedade fundada sobre a justiça e o respeito pelas pessoas, sobretudo os mais fracos e indefesos”.
Na próxima quarta-feira, o arcebispo dom Orani Tempesta celebra missa às 9h em homenagem às vítimas, no pátio da Escola Municipal Tasso da Silveira, palco da tragédia.

Patrocinador

Inscrições para curso de formação de fuzileiros

Termina na próxima quinta-feira (14) o prazo ao curso da Marinha do Brasil. Ao todo, são 1.275 vagas divididas em duas turmas. O valor da taxa de inscrição é de R$ 20, que pode ser paga em qualquer agência do Banco do Brasil até o dia 15 de abril.
O curso será realizado no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves, no Rio de Janeiro ou no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília. Ao longo do treinamento, que deverá ter a duração de 17 semanas, o candidato receberá cerca de um salário mínimo por mês como ajuda de custo. Após o fim do curso, o salário inicial será de R$ 1,1 mil.

Conversão de tempo especial

O trabalhador que quiser utilizar o tempo trabalhado em condições especiais para o cálculo da aposentadoria por tempo de contribuição poderá fazer o pedido administrativamente a partir de agora, sem a necessidade de entrar com uma ação na Justiça. O INSS enviou a suas superintendências a Ordem Interna (OI) n 76, que permite a soma da contagem especial no cálculo para a concessão do benefício.
Na prática, isso significa que um trabalhador que permaneceu por dez anos em condições comprovadamente insalubres poderá transformar esse período em 14 anos de contribuição — no caso dos homens, usando um multiplicador de 1,4 — ou em 12 — no das mulheres, usando 1,2. Depois, poderá somá-lo no cálculo para obter a aposentadoria por tempo de contribuição, que exige 35 anos para homens, ou 30, para mulheres.
— Não bastará, porém, ter recebido adicional de insalubridade no contracheque. A avaliação do caso será feita pelo perito, que determinará se a contagem poderá ou não ser especial — explicou o superintendente regional do INSS, Manoel Lessa.

Demagogia fácil com movimentos sociais

Ao receber  cerca de 450 mulheres, do Movimento de Atingidos por Barragens, no Palácio do Planalto, a presidenta da República, Dilma Rousseff, disse que não faria demagogia fácil, com os movimentos sociais. – Todo governo está atento às reivindicações. Não vou fazer a demagogia fácil de dizer que atenderemos tudo, mas vou fazer a promessa de que escutarei todas e farei todo o possível para aproximar o atendimento do 100%, disse Dilma.
Na carta, entregue a presidenta pelas mulheres, consta o pedido de imediata suspensão dos trabalhos no Rio Xingu, no Pará. – Somos um país que tem na energia a hidrelétrica uma das suas riquezas. Agora, é também certo que não pode haver contradição entre o uso da energia hidrelétrica e o interesse das populações, tanto do ponto de vista das condições de trabalho como das questões ambientais, ponderou a presidenta.

Redução do teor de sódio

O Ministério da Saúde e a indústria de alimentos fecharam acordo para reduzir o teor de sódio em 16 categorias de alimentos processados, como massas instantâneas, pães e bisnagas, nos próximos quatro anos. A ideia é estimular o brasileiro a ingerir menos sal, já que o consumo excessivo está ligado ao aumento da incidência de doenças crônicas, como a hipertensão e problemas cardíacos. Os dados mais recentes mostram que o brasileiro consome, em média, 9,6 gramas de sal por dia, quase duas vezes mais que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O compromisso prevê uma redução gradual da taxa de sódio para ser cumprida até 2012 e, depois, intensificada nos dois anos seguintes.

Alimentos em alerta

Em novembro de 2010, a Anvisa constatou teores elevados de sódio em vários alimentos industrializados. O macarrão instantâneo apresentou a maior quantidade de sódio. Também aparecem na lista a batata palha e os refrigerantes light e diet à base de cola e guaraná.

Plano de redução de gordura

É o que o governo deve implantar no segundo semestre, segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nos alimentos industrializados Pesquisa realizada recentemente pelo ministério descobriu que 48% da população das capitais tem sobrepeso e 15% já é classificada como obesa. "É fundamental que a gente divulgue os hábitos de alimentação saudáveis", reforçou Padilha.


Dilma ''freia'' reajuste da gasolina

A maior opositora para o eventual reajuste dos preços da gasolina é a presidente Dilma Rousseff. A afirmação é do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. "A Dilma é quem mais freia (o reajuste). Ela não quer aumento de preço (da gasolina)", afirmou, após o término do programa "Bom Dia Ministro", do qual participou ontem.
Segundo ele, a Petrobrás tem pleiteado o reajuste sob a justificativa de que os preços não sobem há nove anos e a última alteração ocorreu há dois anos, mas para baixo. O governo, porém, tem resistido ao aumento. "Temos dito que não concordamos com esse aumento", enfatizou.
O ministro admitiu, no entanto, que, se a cotação do barril de petróleo ultrapassar "muito" os níveis atuais, o reajuste será inevitável. Entretanto, Lobão não quis dar um valor exato. "A Petrobrás imaginava que, se o petróleo chegasse a US$ 105, teria de haver reajuste. Mas estamos a US$ 120 e não houve."

Carro zero e iPhones para senadores

Depois de vários recuos provocados pelo temor da reprovação pública, o Senado decidiu mesmo trocar a frota de 86 veículos utilizados pelos parlamentares. Os senadores também receberão de graça novos aparelhos iPhone no lugar dos atuais celulares. A decisão foi tomada na reunião da Mesa Diretora da última quinta-feira (7). O primeiro-secretário, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), afirma que estão sendo examinadas duas alternativas: adquirir novos veículos em substituição aos Fiat Marea, com média de oito anos de uso, ou optar por um contrato de locação. 

Argumento é redução do custo da Casa

O Senado tem ao todo 188 veículos, entre os quais estão os 86 utilizados pelos 81 senadores, além de ônibus e microônibus que fazem o transporte de funcionários e convidados, vans para o transporte de integração até os estacionamentos do Congresso, caminhões para transporte do mobiliário, ambulâncias e veículos leves e médios. Apesar da decisão, Lucena afirma que o alvo é reduzir o custo da Casa na área de transportes, atualmente de R$ 17 milhões ao ano, incluindo a despesa de pessoal e as demais. 
A troca dos celulares por iPhones, no entender do primeiro-secretário, também tem por objetivo reduzir custos ao substituir parte das ligações por mensagens de texto.
Lucena, no entanto, desconsidera que vários modelos mais simples de celular também enviam e recebem mensagens. 

A Casa não impõe limites para gastos com telefones celulares, o que funciona como um estímulo a mais para as operadoras cederem os aparelhos. Já a cota mensal de gastos com telefones fixos disponibilizados nos apartamentos funcionais é de R$ 500 para os senadores e de R$ 1 mil para os líderes dos partidos. 


Disque-Saúde vai mudar para 136

no lugar do atual 0800 61 1997. Estou falando do telefone do Ministério da Saúde para atendimento ao cidadão, conhecido como Disque-Saúde. O novo número deve entrar em vigor de 30 a 90 dias. Com o número menor, de três dígitos, o ministério espera facilitar a memorização do telefone e o acesso da população à ouvidoria do Sistema Único de Saúde (SUS), presente em 26 Estados e no Distrito Federal, com exceção do Rio Grande do Sul, que ainda está implantando o serviço.
Ao ligar, o cidadão poderá obter informações sobre doenças e remédios ou fazer reclamações do serviço prestado pelo SUS.

Debate Lei Maria da Penha

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) elegerá na próxima terça-feira (12), às 10h, o presidente e o vice-presidente da Subcomissão Permanente em Defesa da Mulher, para o biênio 2011/2012. A indicada para assumir a presidência é a senadora Ângela Portela (PT-RR). Após a eleição, a comissão realizará audiência pública para debater a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), e a existência de possíveis alterações em função de interpretações díspares sobre a sua aplicabilidade.

Deputados e senadores não podem ser ministros

O senador Pedro Taques (PDT-MT) protocolou nesta semana uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para proibir deputados e senadores de se licenciarem destes cargos para ocuparem ministérios ou secretarias. Se o projeto de Taques for adiante, os parlamentares teriam de renunciar ao mandato para assumir os cargos do Executivo.
O pedetista argumenta que a possibilidade de licença para assumir essas funções vai contra a separação dos poderes prevista na Constituição. Segundo ele, esta situação "vem ocasionando abusos e práticas não condizentes com a moralidade". Taques destaca ainda que a substituição dos titulares pelos suplentes tem provocado "desencanto" dos cidadãos.
A proposta é polêmica visto que a prática de parlamentares se licenciarem para trabalhar no Executivo é comum. Na atual legislatura estão licenciados para ocupar ministérios os senadores Alfredo Nascimento (Transportes), Garibaldi Alves (Previdência) e Edison Lobão (Minas e Energia) e os deputados Maria do Rosário (Direitos Humanos), Luiz Sérgio (Relações Institucionais), Iriny Lopes (Mulheres), Pedro Novais (Turismo) e Mário Negromonte (Cidades). Existem ainda dezenas de deputados licenciados para ocupar cargos de secretários em seus Estados.
.


Efeito Bolsonaro

Dez dias após o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) ter dito que jamais voaria num avião pilotado por um cotista, um dos mais destacados juristas do país, o advogado Márcio Thomaz Bastos, decidiu se empenhar na defesa da política de reserva para negros nas universidades – as cotas. Ele deve atuar junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde o sistema está sendo contestado por meio de uma ação ajuizada pelo DEM, sob o argumento de que se trata de uma medida inconstitucional. Ex-ministro da Justiça no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bastos já pediu para ser ouvido no STF.
O jurista decidiu atuar gratuitamente no caso, como amicus curiae, após receber uma solicitação da Associação Nacional dos Advogados Afrodescendentes. De acordo com a legislação brasileira, o amicus curiae é a figura jurídica que, mesmo não fazendo parte direta de determinado processo, pode atuar nele, prestando informações ou esclarecendo questões técnicas.


Avanços e desafios das mulheres brasileiras

Acontece neste final de semana, em São Paulo, a reunião do Fórum Nacional Permanente do PCdoB sobre a Questão da Mulher. O espaço de discussão foi criado em 2007 — durante a 1ª Conferência Nacional do PCdoB sobre a Questão da Mulher — e integra o estatuto do Partido, aprovado no 12º Congresso. O evento terá a participação de secretárias estaduais da Mulher e do presidente Nacional do PCdoB, Renato Rabelo,que fará uma analise sobre a situação atual do governo da presidente Dilma Rousseff.
O fórum irá discutir as questões que serão levadas à 2º Conferência Nacional do PCdoB sobre a Questão da Mulher — que acontece em outubro deste ano. Segundo a secretária Nacional do PCdoB da Questão da Mulher, Liège Rocha, também serão analisados os três desafios apontados na 1ª Conferência.

Talidomida: uso limitado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai limitar o uso da talidomida a partir de maio. O medicamento é responsável pela má-formação de fetos quando usado por gestantes e é usado no tratamento de quatro doenças: câncer, DST/aids (úlceras aftóide idiopática), lúpus eritematoso sistêmico e hanseníase.
O Ministério da Saúde, em parceria com a Anvisa, vai preparar cartilhas, a fim de orientar os municípios onde foram registrados mais casos, sobre o risco do uso discriminado do sedativo.
Também entre as ações, estão previstas a modificação da embalagem do medicamento, que virá com a imagem de uma criança acometida pela talidomida no cartucho e a inclusão da informação sobre a tarja preta do remédio na bula, com alertas para o uso.


Paralisação federal

Os Juízes Federais convocam a sociedade a refletir sobre o protesto de paralisação no próximo dia 27 de abril. A decisão foi tomada em Assembléia Geral da Associação dos Juízes Federais brasileiros com a aprovação de 83% dos magistrados de todo o Brasil.
Os pleitos são: segurança para julgar, equivalência mínima de direitos com o Ministério Público Federal e atualização do teto constitucional.
O pano de fundo do movimento, contudo, tem o seguinte fundamento: todos os Juízes são membros de Poder e possuem as equivalentes prerrogativas. Do ministro do Supremo ao juiz substituto que acaba de tomar posse, todos são órgãos do mesmo Poder Judiciário e merecem idêntica consideração no tocante aos direitos e prerrogativas do cargo. Por isso, o ato de protesto tem importância histórica e poderá requalificar as relações entre o Judiciário e os demais Poderes e, principalmente, entre a cúpula do Judiciário e sua base.

Aumento do IOF: inócuo para o controle de preços

As novas medidas anunciadas pelo governo para restringir o acesso ao crédito terão um forte impacto no comércio varejista, mas não vão resolver o problema da inflação, acredita o presidente da Confederação Nacional dos Diretores Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior. Segundo ele, se a justificativa for apenas o controle de preços, a medida será inócua.
Pellizzaro diz que o IPCA de março (0,79%), divulgado ontem, foi mais pressionado por produtos e serviços não afetados pela restrição de crédito, como alimentação, transporte e aluguel. “Não acredito que isso vá servir como uma maneira de brecar essa pressão inflacionária que está acontecendo”, enfatiza.
Ontem à noite, em São Paulo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que, a partir de hoje, a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras para operações de crédito de pessoa física passará de 1,5% para 3% ao ano, como forma de tentar frear a inflação. O decreto com a elevação foi publicado no Diário Oficial da União de hoje.
Pellizzaro Junior destaca que a pressão inflacionária é decorrente do sucesso da própria política econômica do governo, que aumentou o consumo. Além disso, com a definição do salário mínimo em R$ 545, mais R$ 40 bilhões serão injetados na economia. “Isso sim vai gerar pressão inflacionária. Não tenho uma bola de cristal para saber qual a medida mais adequada, mas tenho a convicção de que o aumento de IOF como medida restritiva de crédito não vai segurar isso”, adverte.


Financiamento de imóveis, leasing e o IOF

Os empréstimos habitacionais e o leasing estão fora do aumento do Imposto sobre Operações Financeiras de 1,5% para 3% ao ano, anunciado ontem pelo ministro Guido Mantega. Em contrapartida, o cheque especial e o cartão de crédito rotativo passarão a pagar mais imposto. De acordo com Mantega, a medida tem como objetivo conter a expansão do crédito e segurar a inflação provocada pelo excesso de demanda.
Para os cartões de crédito, o imposto não é cobrado para quem paga todo o valor da fatura no vencimento. Apenas quem faz parcelamento e rola o saldo devedor paga IOF e foi afetado pelo reajuste da alíquota. Nesse caso, o cliente pagará 0,0082% ao dia (o que dá 3% ao ano) mais 0,38% sobre o valor da dívida.
Em relação ao cheque especial, a alíquota passará de 0,0041% ao dia sobre 0,0082% ao dia, mas a cobrança só será feita no fim do mês. Além disso, haverá a incidência de 0,38% sobre o valor do cheque especial usado a cada 30 dias.

64 milhões de idosos em 2050

O Brasil terá. São 29,7% da população brasileira, mais que o triplo do registrado em 2010. A mudança de perfil se dá principalmente em razão da queda crescente da mortalidade infantil, aumento da expectativa para 73 anos e uma diminuição considerável da taxa de fecundidade - no começo da década de 60, a mulher brasileira tinha mais que seis filhos e atualmente tem menos de dois. Esses dados fazem parte do relatório “Envelhecendo em um Brasil mais Velho”, divulgado esta semana pelo Banco Mundial
A mudança de perfil apresenta um cenário em que as oportunidades e os desafios são imensos, segundo opinião dos especialistas que foram convidados para o seminário “Mudança Demográfica e Crescimento Econômico,” realizado na última quarta-feira na sede do BNDES, no Rio de Janeiro.
 Cheques sem fundos puxaram o aumento do calote

A inadimplência com consumidor brasileiro cresceu 21,4% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2010. Segundo o indicador da Serasa Experian, a elevação se dá em ritmo ligeiramente superior ao verificado durante o quarto trimestre de 2010 (alta de 20,3% sobre o 4º trimestre de 2009).  Em relação a março do ano passado, a inadimplência em março deste ano foi 14,4% maior.
Segundo os economistas da Serasa, a ampliação do endividamento do consumidor ao longo dos últimos dois anos e o crescimento da inflação neste início de 2011 estão gerando dificuldades para os consumidores honrarem seus compromissos assumidos, aumentando as ocorrências de inadimplemento.
Vale ressaltar que a expansão anual de 21,4% ocorrida no 1º trimestre de 2011 deu-se sobre uma base deprimida de comparação, pois no 1º trimestre de 2010, em função da rápida saída do país da recessão e do crescimento acelerado do nível de emprego, a inadimplência do consumidor recuara 6,7%.

Centro de Treinamento de Seleção na Copa

Dezessete cidades mineiras, incluindo Belo Horizonte, se candidataram a receber o título de Centro de Treinamento de Seleção (CTS) na Copa de 2014. Como alguns municípios apresentaram mais de uma estrutura, o total de candidaturas a CTS em Minas Gerais se eleva a 30, sendo oito só em Belo Horizonte. O Comitê Organizador da Fifa recebeu 185 inscrições, de 145 cidades de 22 estados do país.
Os CTS são estruturas encarregadas de recepcionar e hospedar as equipes participantes da Copa. O fato de uma inscrição ter sido aceita não significa que o local tenha sido escolhido pelo Comitê Organizador. A Fifa ainda vai fazer uma nova seleção das cidades que atenderem aos requisitos básicos, como estrutura dos centros esportivos de treinamento, distância para aeroportos, localização e estrutura de hotéis. A previsão é de que a federação divulgue a primeira relação de CTS até o final de maio, compondo assim o chamado Catálogo Oficial do Centro de Treinamento. Nessa primeira triagem, serão aprovados, no mínimo, 64 locais, mas o objetivo é criar 90 opções. “O título de CTS gera empregos, incrementa o turismo e fortalece a imagem da cidade, que ganha visibilidade mundial”, comenta o secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo, Sérgio Barroso.

Obras da Copa

O Ministério do Esporte garantiu esta semana que 70% das obras para a Copa do Mundo de 2014 serão iniciadas ainda este ano, o que representa 85% do valor dos investimentos previstos para a competição em 54 projetos envolvendo mobilidade urbana, aeroportos, portos e estádios. O balanço foi apresentado pelo ministério aos participantes da Câmara Temática Nacional de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Copa, em Brasília.
Para debater e analisar o andamento das ações previstas no cronograma da Copa, o Comitê Gestor vai se reunir em Brasília, no dia 28, com os responsáveis pela organização do Mundial nas 12 cidades-sedes. Depois, a presidenta Dilma Rousseff se reunirá com os governadores de estado e os prefeitos dessas cidades para discutir o andamento dos trabalhos.

A lista dos 15 bilionários da ficção da revista Forbes

O Tio Patinhas recuperou seu lugar no topo da lista dos bilionários da ficção mundial elaborada anualmente pela revista Forbes. Em 2010, o tio avarento do Pato Donald havia perdido a primeira posição para o vampiro Carlisle Cullen, da saga “Crepúsculo”, que aparece em segundo lugar. O jovem irlandês Artemis Fowl II, da série de livros escrita por Eoin Colfer, ocupa a terceira posição.

01. Tio Patinhas: US$ 44,1 bilhões
02. Carlisle Cullen (Crepúsculo): US$ 36,2 bilhões
03. Artemis Fowl II (personagem de livros): US$ 13,5 bilhões
04. Riquinho (o menino rico): US$ 9,7 bilhões 
05. Jed Clampett (magnata da série Família Buscapé): US$ 9,5 bilhões
06. Tony Stark (alter ego do Homem de Ferro): US$ US$ 9,4 bilhões
07. Smaug (dragão criado por J. R. R. Tolkien): US$ 8,6 bilhões
08. Bruce Wayne (Matman): US$ 7 bilhões
09. Mr. Monopoly (do jogo Monopólio): US$ 2,6 bilhões
10. Arthur Bach (do filme Arthur o Milionário): US$ 1,8 bilhão
11. Jo Bennett (da série The Office): US$ 1,2 bilhão
12. C. Montgomery Burns (dos Simpsons): US$ 1,1 bilhão
13. Chuck Bass (da série Gossip Girl): US$ 1,1 bilhão
14. Gordon Gekko (personagem de Michael Douglas no filme Wall Street): US$ 1,1 bilhão
15.
Jeffrey Lebowski (do filme O Grande Lebowski): US$ 1 bilhão

Consulte valores: visaolaflora.blogspot@gmail.com


Gasto do governo fica fora da meta

O governo terminou o primeiro trimestre do ano com uma redução de 13% nos pagamentos com gastos com viagens de seus funcionários. O corte das despesas com diárias e passagens em até 50% foi uma das medidas do ajuste fiscal anunciado pela equipe econômica. O limite de gastos foi fixado por decreto da presidente Dilma Rousseff, editado no início de março.
Análise dos dados registrados no Siafi (sistema de acompanhamento de gastos federais) e pesquisados pela ONG Contas Abertas mostra que a redução, por ora, está aquém da planejada pelo governo.
Apenas com a compra de passagens e despesas com a locomoção de funcionários, os gastos cresceram 10% no período, puxados pelos Ministérios das Relações Exteriores, do Meio Ambiente, da Pesca e da Justiça, cujas despesas aumentaram acima de 40% até março, em relação ao primeiro trimestre de 2010.
A Presidência da República e outros quatro ministérios também registraram aumento de gastos com passagens no período: Desenvolvimento, Defesa, Previdência Social e Cultura. O Ministério do Desenvolvimento Social foi o que apresentou maior redução com a compra de passagens de funcionários: 70,40%.
No total, as despesas com passagens e locomoção de servidores subiram de R$ 110,4 milhões para R$ 121,7 milhões, considerados os pagamentos feitos nos primeiros três meses de 2010 e 2011.
O Ministério do Planejamento, comandado pela ministra Miriam Belchior, foi o que mais reduziu gastos com diárias de funcionários no período. "A meta do governo Dilma é fazer mais com menos dinheiro. Isso pode ser feito com maior eficiência", pregou a ministra em seu primeiro discurso no cargo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

50 anos da Anistia Internacional

Campanha de pôsteres por artistas como Miró e Picasso
Em celebração aos seus 50 anos de existência, a ONG de direitos humanos Anistia Internacional reuniu 50 pôsteres de campanhas internacionais feitas nos últimos anos. Algumas das peças são assinadas por artistas como Pablo Picasso, Fernando Botero e Juan Miró.

Os pôsteres estão sendo exibidos na sede do jornal The Guardian, em Londres, no Parlamento Europeu, em Bruxelas, em Haia, na Holanda (cidade-sede da corte criminal internacional). O passo seguinte da campanha, chamada AI@50, será levá-los aos escritórios internacionais da Anistia.
A ONG, que afirma ter mais de 3 milhões de simpatizantes, membros e ativistas no mundo, completará 50 anos no dia 28 de maio, período em que fez diversas campanhas pela difusão e a implementação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Rio das ostras está em festa

Shows e encontro de motos para os 19 anos

Maurício Rocha / Divulgação
Motociclistas de toda a região vão percorrer as trilhas de Rio das Ostras neste fim de semana

O aniversário do município de emancipação político e administrativa é neste domingo (10), e para comemorar a data, estão programados diversos eventos, como shows gratuitos das bandas Capital Inicial e Araketu, desfile cívico e a realização do 2° Trilhostras – passeio de motocross pelas trilhas do município.
A festa começou ontem, com apresentação do Padre Fábio de Mello. Neste sábado (9) o destaque é para o show da banda Araketu, a partir das 23h no camping de Costazul. Mais cedo, às 21h, tem show gospel com Ana Paula Valadão no centro da cidade. Também no sábado acontece o desfile cívico na avenida Amazonas, às 9h.
No domingo, além do show da banda Capital Inicial, às 21h, acontece o 2º Trilhostras, com largada no Parque da Cidade, às 10h. Os motociclistas vão percorrer durante três horas 60 km de trilhas entre as mais belas paisagens de Rio das Ostras.
As comemorações só terminam na segunda-feira (11) com o show gospel de Ludmila Ferber, às 21h, no camping Costazul.

Governo americano critica Brasil ...

... em relatório sobre direitos humanos

O Departamento de Estado do governo americano afirmou, em documento divulgado ontem (8), que a polícia brasileira desrespeita os direitos humanos e comete abusos como maus-tratos, tortura e assassinato de pessoas presas. O texto também se refere ao problema do trabalho escravo e do trabalho infantil. A crítica dos Estados Unidos ao Brasil faz parte de relatório que o governo americano elaborou sobre a situação dos direitos humanos em 194 países.

Para a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, “nenhuma questão contida no relatório é nova, assim como não é novo eles [os norte-americanos] se arvorarem em apontar situações diversas sem que analisem suas próprias contradições. Para o mundo, também seria interessante debater a situação de tratamento desumano dos presos de Guantánamo [base norte-americana em Cuba], o tratamento de emigrantes na fronteira com o México, a existência da pena de morte em alguns estados e até a prática de castigos físicos em escolas para disciplinar crianças”, retrucou.

Segundo Maria do Rosário, “nenhum país do mundo cumpre todos os requisitos de direitos humanos”. Ela destacou que, desde a redemocratização no Brasil, após a ditadura militar (1964-1985), o país jamais omitiu que existam situações internas de desrespeito aos direitos humanos. “O país tem um Estado e uma sociedade civil ativa, que acompanham as ações para reverter essas condições”, afirmou.

O relatório do Departamento de Estado dos Estados Unidos, que é produzido anualmente há mais de 30 anos, poderá, eventualmente, ser usado pelo governo ou pelo Congresso americano, para retaliações comerciais contra os países criticados.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores, disse que “o governo brasileiro não se pronuncia sobre o conteúdo de relatórios elaborados unilateralmente por países, com base em legislações e critérios domésticos, pelos quais tais países se atribuem posição de avaliadores da situação dos direitos humanos no mundo. Tais avaliações não incluem a situação em seus próprios territórios e outras áreas sujeitas de fato à sua jurisdição”.

Bom dia! Manchetes dos jornais deste sábado

Querido leitor, divulgamos as manchetes dos principais jornais e a sinopse dos mesmos para que você não perca seu tempo procurando. Comente e dê sua opinião!
O Globo
Manchete: Massacre em Realengo
Adeus, crianças

Vítimas do ataque em escola pública são enterradas sob comoção; assassino pode ter aprendido sobre armas na internet

O massacre em Realengo abriu uma ferida no Rio e enlutou todo o país. A estupidez do crime produziu tanta dor que as vítimas foram sepultadas sob uma comoção coletiva poucas vezes vista, mesmo numa cidade marcada por constantes chacinas e tragédias. Os versos da música "Quando a chuva passar", interpretada por Ivete Sangalo, na voz das amigas de Luiza Paula da Silveira, de 14 anos, emocionaram todos no enterro de quatro dos 12 jovens, vítimas do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira. As cerimônias, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, foram acompanhadas por cerca de duas mil pessoas. A todo momento, adolescentes se abraçavam e choravam. Muitos passaram mal e foram atendidos num posto médico. A emoção tomou conta até dos policiais. O maior herói da tragédia, o sargento Alves, se encontrou com Allan Mendes da Silva, de 13 anos, um dos primeiros a fugir da escola, ferido, em busca de socorro. O local do massacre virou um santuário, com flores e velas. "Não consigo esquecer o barulho dos tiros. Como pode uma pessoa fazer isso? Por causa dele, vários sonhos se acabaram", lamentou a estudante Isabela da Silva, de 12 anos, colega da maioria das meninas mortas no ataque. Milena dos Santos Nascimento, 14 anos, sonhava em servir na Aeronáutica ou ser modelo, assim como Larissa Atanasio. Laryssa Martins queria ser marinheira. Mariana Rocha de Souza, 12 anos, planejava dar uma casa para a mãe. Igor Moraes da Silva, 13 anos, não só queria ser jogador profissional, mas com a camisa do Flamengo.
Como o garoto, Karine Lorraine Chagas de Oliveira queria brilhar no Maracanã, semana que vem, numa prova de atletismo no Célio de Barros. Filho de moradora de rua com problemas mentais, Wellington de Oliveira - o assassino - poderá ser enterrado como indigente se seu corpo não for reclamado em 15 dias. No computador dele foram deixados vestígios de que participava de jogos violentos e proibidos. Na internet, pode ter adquirido o conhecimento sobre armas que empregou no crime. No dia seguinte à chacina, dois assaltantes em fuga fizeram ontem uma criança refém numa escola municipal em Bangu, bairro vizinho a Realengo. Esta história teve final feliz. (Págs. 1, Caderno Especial, Caca Diegues, 6, Zuenir Ventura, 7 e editorial "Levar o desarmamento a sério")
Brasil reage a crítica dos EUA sobre violência
O Itamaraty rechaçou documento do Departamento de Estado dos EUA que denuncia violência policial, tortura e impunidade no país. Em nota, queixou-se de "relatórios elaborados unilateralmente". (Págs. 1 e 3)
Sem acordo, governo dos EUA para hoje
Apesar do esforço pessoal do presidente Barack Obama, democratas e republicanos não chegaram a um acordo sobre o Orçamento até as últimas horas de ontem, ameaçando paralisar hoje o governo dos EUA. (Págs. 1 e 32)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Atirador fez mais de 60 disparos contra alunos
Segundo polícia do Rio, assassino recarregou arma 9 vezes e atirou a esmo

O atirador que matou 12 alunos numa escola do Rio fez mais de 60 disparos com revólver usado no ataque e o recarregou nove vezes. Wellington Menezes de Oliveira portava outra arma, com a qual efetuou poucos disparos, segundo a polícia.
O delegado Felipe Ettore, da Divisão de Homicídios, disse que Oliveira atirou a esmo nas salas. A polícia informou que tenta recuperar os arquivos do computador, achado queimado na casa dele, e que foi pedida a quebra de seu sigilo telefônico. (Págs. 1 e Cotidiano 1)
Assassino era 'zoado' na escola, diz ex-colega
Cinco amigos com 20 e poucos anos se reuniram perto da escola Tasso da Silveira para discutir o massacre. Recordaram como Wellington, o autor dos disparos, era "zoado" no colégio, em especial pelas meninas, relata Laura Capriglione.
"A gente chorou muito pensando que Wellington matou aquelas 12 crianças em represália pelo que aconteceu com ele quando estudávamos juntos", disse o assessor cultural Thiago da Cruz, que conheceu o assassino. (Págs. 1 e Cotidiano 1, C4)
Presidente do BNDES exorta industriais a criticar câmbio
Em reunião em SP, Luciano Coutinho, do BNDES, exortou empresários a protestar contra a política cambial do Ministério da Fazenda e do BC, relatam Valdo Cruz e Sheila d'Amorim.
Para Coutinho, Fazenda e BC abandonaram compromisso de manter o câmbio em R$ 1,65 por causa da inflação. O dólar fechou ontem a R$ l,57. (Págs. 1 e Poder A4)
Síria mata 29 em repressão a novos atos contra ditador
Forças de segurança da Síria mataram ao menos 29 pessoas ao reprimir protestos contra o ditador Bashar Assad, segundo testemunhas e ativistas de direitos humanos. A maior parte das mortes ocorreu em Daraa.
Em três semanas, o número de vítimas já chega a ao menos 90. Governo relata que rebeldes mataram 19 de seus agentes. (Págs. 1 e Mundo A20)
Promotor de MS usa vídeo para apresentar ação
Em uma investigação sobre supostos desvios de verba em um projeto rural de MS, um procurador protocolou como ação civil pública um vídeo de 23 minutos.
A intenção de Ramiro Rockenbach foi mostrar ao juiz "a dura realidade vivida pelos trabalhadores" de Rochedo. (Págs. 1 e Poder A10)
Editoriais
Leia "Desafio real e presente", sobre a questão do câmbio valorizado, e "O enigma peruano", acerca das eleições de amanhã no país andino. (Págs. 1 e Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Dilma se opõe a aumento da gasolina
Após Petrobras aventar reajuste, Lobão diz, em nome da presidente, que preço não terá alta, a não ser que petróleo suba 'muito'

O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) afirmou que a presidente Dilma Rousseff é quem mais freia a eventual reajuste dos preços da gasolina: "Ela não quer o aumento". A possibilidade fora aventada pelo presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Segundo Lobão, a empresa tem pleiteado o reajuste sob a justificativa de que os preços não sobem há nove anos e a última alteração ocorreu há dois anos, mas para baixo. O ministro admitiu, no entanto, que, se a cotação do barril de petróleo ultrapassar "muito" os níveis atuais, o reajuste será inevitável. Entretanto, Lobão não quis dar um valor exato. "A Petrobras imaginava que, se o petróleo chegasse a US$ 105, teria de haver reajuste. Mas estamos a US$ 120 e não houve”. Para analistas, porém, a declaração de Lobão e apenas uma demonstração política da disposição de Dilma em comer a inflação, às vésperas de um anúncio de reajuste da Petrobras. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

Combustível barato

A gasolina está 25% mais barata no Brasil que nos EUA, indica pesquisa. Sem repassar a alta do petróleo, a Petrobras perdeu RS 1 bilhão no primeiro trimestre. (Págs. 1 e Economia B3)
Foto legenda: Capital do rock
A presidente Dilma Rousseff posa com Integrantes do U2 no Palácio da Alvorada: banda liderada por Bono Vox inicia hoje série de três shows em São Paulo. (Págs. 1 e Cidades C5 e C2+ Música, D4)
Atirador recarregou revólver pelo menos 9 vezes
Wellington Menezes de Oliveira recarregou o revólver calibre 38 pelo menos nove vezes durante o ataque de anteontem aos estudantes em Realengo, no Rio. O atirador disparou ao menos 66 vezes, matando 12 jovens e ferindo 12. Wellington tinha outros 23 projéteis prontos para disparo. Mais de 4 mil pessoas compareceram ontem aos enterros de 11 das 12 vítimas. Três das crianças internadas permanecem em estado grave. (Págs. 1 e Cidades C1 e C3 a C8)
Mercado dribla restrição ao crédito com cheque pré-datado
Desde dezembro, o mercado tem driblado as restrições ao crédito impostas pelo governo com uma invenção brasileira: o cheque pré-datado. Do último trimestre de 2010 para o primeiro deste ano, a fatia desse tipo de cheque no total emitido subiu de 76,37% para 78,04%. (Págs. 1 e Economia B6)
EUA criticam violações no Brasil
Relatório do governo dos EUA aponta diversos casos de desrespeito aos direitos humanos no Brasil, entre os quais a censura ao Estado. O Itamaraty criticou o documento. (Págs. 1 e Nacional A10)
Celso Ming
Enquadrar os usineiros

O sumiço do etanol conspira contra o plano de tornar o produto commodity internacional. Se não tem para entregar, como ser exportador? (Págs. 1 e Economia B2)
Marcelo Rubens Paiva
Racismo e saúde pública

No parto, as negras foram mais penalizadas por não serem aceitas já na primeira maternidade e, incrivelmente, receberam menos anestesia. (Págs. 1 e Caderno 2, D14)
Notas & Informações
A real ameaça chinesa

A presidente Dilma terá oportunidade de negociar uma relação comercial mais equilibrada. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: Choro, luto e um medo que vai durar para sempre
Mais de quatro mil pessoas acompanharam o enterro de 11 dos 12 adolescentes mortos em escola no Rio. Dez alunos feridos permanecem internados, três em estado grave. Assassino disparou pelo menos 60 vezes e tinha 66 cápsulas intactas. Irmão que vive no entorno do Distrito Federal traça perfil do autor do massacre de Realengo e conta que ele já tomou remédio controlado. Como ocorre nos Estados Unidos, temor de novos ataques deve marcar de agora em diante o cotidiano de estudantes brasileiros. (Págs. 1 e 8 a 17)
U2 para poucos
Correio acompanha o passeio de Bono Vox e dos músicos da banda por Brasília. Os irlandeses ficaram admirados com a Catedral. (Págs. 1 e 46)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
Manchete: Acidente mata 12 a caminho de festa em MG
Um micro-ônibus caiu numa ribanceira no começo da noite de ontem, na MG-342, no Vale do Mucuri, matando pelo menos 12 pessoas. Os ocupantes do veículo, a maioria com idade entre 18 e 20 anos, iam de Frei Gaspar para Itambacuri, participar de um carnaval temporão, alguns para trabalhar e outros apenas para se divertir. Segundo a PM, 15 feridos foram levados para hospitais de Teófilo Otoni. (Págs. 1 e 21)
Charge ofensiva a Lula foi alterada
Desenho usado em prova estadual já suspensa, denunciado pelo Estado de Minas, é diferente do original publicado pelo cartunista. (Págs. 1 e 9)
Governo cria cartão de verba emergencial (Págs. 1 e 3)
Brasil busca igualdade
País deixa de ser coadjuvante e impõe suas posições nas relações internacionais. (Págs. 1 e Pensar Brasil)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: O renascimento das vítimas da tragédia
Córneas, ossos e tendões doados por famílias dos alunos covardemente chacinados por atirador em escola do Rio vão beneficiar 41 pessoas. Ninguém apareceu para liberar corpo do agressor. (Págs. 1 e 9 a 15)
Dengue do tipo hemorrágica volta a matar
Segundo óbito do ano no Estado foi o de moradora de São Bento do Una. Governo busca solução para evitar fechamento de leitos no Oswaldo Cruz. (Págs. 1 e Cidades 1)
Análise: Fernando Castilho
Consumo sem freio

IOF mais alto pode melhorar a arrecadação, mas não deve conter o consumo. Bancos sempre dão um jeito. (Págs. 1 e Economia, 2)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Republicanos ameaçam parar governo dos EUA
Em duro teste para Obama, divergência sobre o orçamento pode afetar serviços como funcionamento de parques, emissão de passaportes e Justiça Federal. (Págs. 1 e 30)
------------------------------------------------------------------------------------
JB online