Em Itaperuna, artesãs superam enchentes e apresentam seus produtos na Fashion Business


Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

A enchente do Rio Muriaé por pouco não impediu que os trabalhos da cooperativa de artesãs de Itaperuna Bordando o Futuro fossem apresentados ao público que frequenta até amanhã (13) a bolsa de negócios da moda Senac Rio Fashion Business, no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. A cooperativa integra o projeto Núcleos Criativos da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).


Com o apoio do Sindicato do Comércio Varejista de Itaperuna e Região, que alugou uma van para o transporte das mercadorias, as peças bordadas pelo grupo de mulheres do município puderam chegar ao Fashion Business, depois de uma maratona que se estendeu das 7h30 às 18 horas de ontem (11), o dobro da viagem normal entre Itaperuna e o Rio de Janeiro, disse hoje (12) à Agência Brasil a gerente do sindicato, Andressa Paixão.
Hoje, não está chovendo em Itaperuna mas, segundo Andressa Paixão, “o problema é que, quando chove na cabeceira do Rio Muriaé, que corta a cidade, a água vem toda para cá [Itaperuna]”. O rio subiu ontem, provocando inundações e bloqueando as estradas. “Todo ano é a mesma coisa”, disse. “A cidade está em estado de calamidade”, completou.
A presidente do Núcleo Criativo de Itaperuna, Maria Alice França Oliveira, está se recuperando de uma operação na vesícula, feita no final do ano passado, e está com a sua casa inundada, declarou a a sindicalista.
As bordadeiras já retornaram a Itaperuna, em viagem que durou sete horas, porque, em razão da elevação das águas do Rio Muriaé e da queda de barreiras, tiveram que pegar vários desvios. Andressa Paixão destacou que, apesar de todas as dificuldades que têm enfrentado, as integrantes do núcleo Bordando o Futuro não estão abatidas. “São mulheres que já não estão mais no mercado de trabalho e a associação de bordadeiras dá essa oportunidade a elas”.
A participação na Bolsa da Moda Fashion Business reforça a vontade delas de dar continuidade ao trabalho. “Elas têm talento. Isso aumenta a autoestima delas”, disse. A cooperativa reúne 300 artesãs do noroeste do estado do Rio. O produtos das artesãs fizeram sucesso na última edição da feira de moda, em maio de 2011.
Edição: Aécio Amado 

Comentários