Ex-jogador da seleção brasileira diz que parente está entre os desaparecidos no desabamento


Ele pediu que amigos orem por um milagre por primo da mulher dele
Monique Cardone, do R7
Reprodução Internet
 twitterjorginho700
No Twitter: “Na tragédia no centro do Rio, Gustavo, primo da minha esposa estava lá, oramos por um milagre amigos, orem juntos, obrigado!”
O ex-jogador Jorginho, que foi tetra campeão com a Seleção Brasileira de Futebol, colocou em seu Twitter, na madrugada desta sexta-feira (27), que um dos desaparecidos no desabamento dos prédios no centro do Rio de Janeiro, é primo de sua mulher.
Ele escreveu: “Na tragédia no centro do Rio, Gustavo, primo da minha esposa estava lá, oramos por um milagre amigos, orem juntos, obrigado!”.
Jorginho chega nesta sexta ao Japão para assumir o comando do time Kashima Antlers.


Resgate
Equipes do Corpo de Bombeiros que trabalham no local onde três prédios desbaram localizaram o nono corpo, ainda não identificado, em meio aos escombros. Com esse resgate, ao menos 25 pessoas ainda continuam desaparecidas, segundo estimativa da prefeitura. Parentes e amigos chegam a todo momento em busca de informações. 
Dinheiro em cofre
O desabamento esconde um tesouro que as autoridades ainda não sabem como retirar de debaixo dos escombros. A agência do banco Itaú, de número 0607, tem entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões guardados dentro do cofre.

Em nota oficial, o banco diz que os clientes afetados serão atendidos em outras 11 agências que funcionam na região, mas deixa transparecer a preocupação da instituição ao afirmar que “equipes do banco estão no local desde a noite de ontem para acompanhar e contribuir com o trabalho (...) e adotar as providências cabíveis e necessárias”. 

A tragédia

Três prédios de aproximadamente 18, 10 e 4 andares desabaram pouco depois das 20h de quarta-feira (25), na avenida Treze de Maio, região da Cinelândia, centro do Rio de Janeiro. Houve pânico e correria. Seis pessoas tiveram ferimentos leves. Mais de 20 ficaram soterradas. Um posto de informações para familiares de vítimas foi montado na Câmara dos Vereadores.
As causas da tragédia estão sendo investigadas. O prefeito Eduardo Paes, assim como alguns especialistas, minimizou a possibilidade de explosão. De acordo com avaliações preliminares de técnicos que trabalham no local, as causas teriam ligação com problemas estruturais.
A Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro, a CEG, informou que não fornecia gás para nenhum dos três prédios que desabaram e que não há registro de pedido de vistoria para esses edifícios.
Segundo a CEG, o fornecimento de gás para as ruas localizadas no entorno dos edifícios que caíram permanece interrompido por medida de segurança, conforme solicitação da Defesa Civil e da Prefeitura do Rio.
Desde as 6h de quinta-feira (26), estão interditados os seguintes trechos: avenida Treze de Maio e avenida Almirante Barroso entre a avenida Rio Branco e a rua Senador Dantas. Esta última está com mão invertida entre a avenida Almirante Barroso e a rua Evaristo da Veiga. Veículos procedentes da Cruz Vermelha e da avenida República do Chile devem seguir pela rua Senador Dantas.
Equipes de diferentes órgãos, como Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Comlurb etc, trabalham na remoção dos escombros. O entulho é levado para um galpão e passará por perícia. A expectativa é de que a remoção total termine em dois meses.

Comentários