Fla pode se unir a Eike Batista para gerir o Maracanã


Flamengo e o empresário alvinegro Eike Batista podem se unir para comprar o Maracanã. Terça-feira é a data-limite para os interessados em assumir o estádio se manifestarem, e a parceria seria a solução para o clube transformar o palco da final da Copa de 2014 na casa oficial do Rubro-Negro. O Grupo EBX deve participar da concorrência mesmo se não houver acordo com o Fla.
 Foto: Divulgação
Maracanã vai ficar assim para a Copa do Mundo de 2014 | Foto: Divulgação
Por enquanto, houve apenas uma conversa. Mas o prazo curto pode fazer com que o assunto esquente nos próximos dias. Inicialmente, o Flamengo entraria na briga com o Fluminense como aliado. Mas a diretoria rubro-negra rompeu com o rival depois que Thiago Neves voltou para as Laranjeiras.
POR VITOR MACHADO


Segundo o edital de privatização do Maracanã, o estádio deve passar para a iniciativa privada até os Jogos Olímpicos de 2016. Depois de manifestar que deseja participar da concorrência, a empresa ou pessoa física interessada terá até o fim de março para formalizar uma proposta para o complexo.

Já existe no edital uma autorização por parte do Governo do Estado para que o estádio Júlio de Lamare, de natação, e o Célio de Barros, de atletismo, sejam transformados em estacionamento. Eles teriam que ser reerguidos numa distância de até cinco quilômetros do local atual. Quem assumir o Maracanã terá que garantir 2 mil vagas para carros dentro do complexo esportivo.

No edital, constam também exigências que devem ser cumpridas para a utilização do Maracanã na Olimpíada do Rio de Janeiro. Quem ficar com a administração do estádio precisará, por exemplo, manter duas quadras para aquecimento dos atletas antes dos jogos, no Maracanãzinho. Elas devem estar de acordo com as normas do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Além disso, o Maracanãzinho terá que ser reformado para receber shows, sem que haja alteração nas cadeiras cativas e na tribuna de honra.

Comentários