Inmetro: novas regras de segurança e eficiência energética para micro-ondas


Empresas terão prazo de 12 meses para se adequarem às mudanças previstas para fabricação de micro-ondas
O Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) anunciou novas regras de segurança e eficiência energética para a fabricação de fornos micro-ondas, a fim de prevenir acidentes e incluir o produto no Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE).
Entre as principais mudanças, os aparelhos terão que informar o quanto consumem de eletricidade, como já acontece com outros eletrodomésticos da linha branca. Os micro-ondas receberão a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), que indica o nível de eficiência energética. De acordo com uma pesquisa de opinião feita pelo Inmetro, a Ence influencia a decisão de compra para 78% dos consumidores brasileiros ouvidos.


Serão avaliados também os seguintes requisitos de segurança: limite de temperaturas máximas do aparelho e do ambiente; simulação de uso para avaliar se desgastes comprometem a segurança; possibilidade de acesso às partes perigosas; riscos de incêndio e danos mecânicos durante o funcionamento; e proteção contra choque elétrico.
As empresas terão um prazo de 12 meses para se adequarem às mudanças. A partir de 1º de julho de 2014, somente será permitida a comercialização de micro-ondas etiquetados, que passam a ser objeto de fiscalização da Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade, composta pelos órgãos delegados do Inmetro nos estados. Fabricantes, importadores e comerciantes que apresentarem produtos irregulares estarão sujeitos às penalidades previstas em lei. 

Comentários