No Estado do Rio, chuvas deixam quase 12 mil pessoas fora de casa


Sete municípios ainda estão em estado de emergência
André Paino / R7
 resgatefusca
Um dos corpos da família que morreu soterrada dentro de um Fusca

As chuvas no Estado do Rio de Janeiro deixam 11.792 pessoas fora de suas casas - 9.918 desalojados e 1.874 desabrigados -, segundo levantamento da Defesa Civil desta quinta-feira (12).
Sete municípios do Rio de Janeiro decretaram situação de emergência após as enchentes e deslizamentos provocados pelas chuvas: Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira, Miracema e Aperibé.


O resgate dos corpos de cinco pessoas da família que buscou abrigo da chuva em um Fusca, em Jamapará, distrito de Sapucaia, no médio Paraíba, na tarde desta quarta elevou para 18 o número de mortes causadas pela chuva.
Nesta quinta-feira subiu para 20 o número de mortos no município de Sapucaia, no médio Paraíba do Estado do Rio, por causa às fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias. Segundo o secretário de planejamento e coordenador da Defesa Civil do município, Marco Antônio Teixeira, um corpo foi encontrado nesta quinta-feira (12) na rua dos Barros, onde houve um deslizamento de terra na madrugada da última segunda-feira (9), que soterrou oito casas em Jamapará, distrito de Sapucaia. Por volta das 11h30, os bombeiros encontraram mais um corpo no mesmo local. A informação foi confirmada pela assessoria da prefeitura.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, 22 pessoas morreram no Rio de Janeiro em decorrência das chuvas desde o início deste ano: 19 após o deslizamento em Jamapará, uma depois do desabamento de uma casa na mesma localidade, uma em Laje de Muriaé e outra em Miguel Pereira. 

Ainda há pelo menos duas pessoas desaparecidas. Na quarta-feira (11), os bombeiros realizaram o resgate dos corpos de cinco pessoas da família que buscou abrigo da chuva em um Fusca, em Jamapará, distrito de Sapucaia.

Pai, mãe (que estaria grávida de três meses), um tio e duas filhas saíram de casa às pressas e decidiram procurar abrigo no carro por considerarem mais seguro. A casa da família resistiu ao deslizamento, mas o Fusca não escapou.

Com apenas 18 mil habitantes, a pequena cidade de Sapucaia foi palco da maior tragédia desde o começo da temporada de chuvas, que já castigou boa parte das cidades do Norte e Noroeste do Estado do Rio. Sete cidades decretaram estado de emergência. 
Com as chuvas em Minas, o nível dos rios Muriaé e Paraíba do Sul tem se mantido bem acima do normal. Até esta terça, segundo o último balanço divulgado pela Defesa Civil do Estado, 11.000 pessoas tiveram que sair de casa por causa da chuva em todo o Estado.
Além de Sapucaia, a situação é mais crítica no município de Cardoso Moreira, onde um dique se rompeu na noite de domingo (8). A cidade tem 4.004 pessoas desalojadas e 1.713 desabrigados.
A situação é difícil também em Campos, onde, na última quinta-feira (5), um trecho da BR-356, que liga o município de Campos a Itaperuna, no Norte do Estado, se rompeu com a força do rio Muriaé e inundou a comunidade de Três Vendas, na zona rual do município. As famílias tiveram que sair às pressas de casa, mas, com medo de saques, muitos optaram por se abrigar nas lajes das casas.
R7

Comentários