Patrono da Beija-Flor, bicheiro é transferido para penitenciária em Bangu


Anísio foi preso ontem em Copacabana
O bicheiro e patrono da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, Aniz Abraão David, o Anísio, de 75 anos, foi transferido na noite desta quinta-feira (12) para uma das unidades do Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio. A informação é da Seap (Secretaria Estadual de Administração Penitenciária). Preso na quarta-feira (11), Anísio passou a noite no hospital penitenciário por causa de uma arritmia cardíaca e hipertensão.
Segundo a Seap, depois de passar por exames na unidade, o contraventor teve alta médica. Ainda de acordo com a secretaria, Anísio passa bem.


Na tarde de ontem , a Justiça do Rio decretou a prisão preventiva de Anísio. Além de contravenção, corrupção, jogo do bicho e crime contra economia popular, o bicheiro é acusado de formação de quadrilha armada.
O contraventor estava em liberdade graças a um pedido de liberdade concedido antes do Natal. Alvo da operação Dedo de Deus da Polícia Civil, que investiga o jogo do bicho em pelo menos quatro Estados, o patrono da Beija-Flor é acusado de controlar as bancas da jogatina na Baixada Fluminense.
Escoltado por um policial civil, o contraventor, que estava com R$ 7.000 em dinheiro, foi preso em Copacabana, na zona sul. O agente e um aposentado que acompanhava Anísio também tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça.
Na quarta-feira, o advogado do bicheiro, Ubiratan Guedes, entrou com novo pedido de liberdade e ironizou a prisão de seu cliente.
- O Anísio para este processo é o glacê do bolo. Sem o glacê do bolo não tem graça.
Buscas na Cidade do Samba
Após buscas nos barracões da Cidade do Samba, na zona portuária do Rio, nesta quinta-feira, agentes da Coinpol (Corregedoria Interna da Polícia Civil) não encontraram os acusados de envolvimento na quadrilha do jogo do bicho. 

De acordo com o corregedor Gilson Emiliano, a Polícia Civil recebeu informações de que o presidente da Imperatriz Leopoldinense, Luiz Pacheco Drummond, o Luizinho, e o presidente da Grande Rio, Helio de Oliveira, o Helinho, estariam escondidos no local.

- Fomos cumprir os mandados de prisão expedidos contra eles e outros cinco acusados de fazer parte do esquema do jogo do bicho no Rio e Grande Rio. Mas eles não estavam lá.

Segundo o corregedor, as buscas devem continuar na sexta-feira (13). Além de Luizinho da Imperatriz e do Helinho da Grande Rio, a polícia também está à procura de filho do presidente de honra da tricolor de Duque de Caxias, Yuri Soares, e o ex-prefeito de Teresópolis Mário Tricano.

Assista aos vídeos:

:

    Comentários