Polícia russa confunde corrida com parada gay


Forças de segurança prenderam os participantes; manifestações gays são proibidas no país
Antonio Cruz/ABr
 Brasília - A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) promove na Esplanada dos Ministérios, a 2ª Marcha Nacional Contra a Homofobia e pela aprovação do PLC 122, projeto de lei que criminaliza a homofobia
O governo russo não autoriza paradas gays no país
Moscou - A Polícia do território russo de Kaliningrado deteve nesta segunda-feira diversas pessoas que participavam de uma corrida popular ao confundir o evento com uma passeata do orgulho gay.
Após receber uma denúncia por telefone, três carros da Polícia foram até o local onde estava o grupo na cidade de Sovetsky para deter os supostos ativistas homossexuais, revelou a Agência 'Interfax'.
Os agentes também identificaram a bandeira que um dos corredores carregava com o emblema de uma organização proibida na Rússia. O grupo foi levado para a delegacia.


Os organizadores da ação 'Por uma vida saudável' tiveram de escrever e assinar um documento afirmando que o ato exclusivamente esportivo.
A Polícia ouviu praticamente todas as pessoas que participação do evento, incluindo adolescentes.
As autoridades da Rússia, que até 1993 consideravam os relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo como doença mental e os condenavam à prisão, não autorizam paradas gays.
A primeira manifestação de gays da história da Rússia ocorreu em maio de 2006 e acabou em confronto com participantes agredidos por nacionalistas e fundamentalistas ortodoxos e a própria Polícia.

Comentários