Temporada de chuvas causa 16 mortes no Estado do Rio


Buscas em Sapucaia foram interrompidas devido ao mau tempo
deslizamento-sapucaia-700


 



Prefeito Anderson Zanon (PSD) afirma que dispõe de poucos recursos para recuperação de encostas e outras obras de prevenção de desastres Sindiclei Ferreira Baião/Prefeitura de Sapucaia
A temporada de chuvas ainda está no começo mas já causou pelo menos 16 mortes no Estado do Rio de Janeiro. São 13 mortes em Sapucaia, na região do Médio Paraíba, duas em Miguel Pereira e uma em Laje do Muriaé, ambas as cidades no noroeste fluminense. As informações foram divulgadas na noite de terça-feira (10) pela Defesa Civil Estadual. 
Por volta das 20h30, o secretário estadual da Defesa Civil, Sérgio Simões, decidiu suspender as buscas na região onde ocorreu o deslizamento em Sapucaia devido ao mau tempo. O secretário municipal da Defesa Civil também alertou para a possibilidade de novos deslizamentos na cidade
O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, afirmou que a pasta vai liberar entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões para o norte e noroeste do Estado do Rio atingidas pelas chuvas. O anúncio foi feito durante reunião ocorrida após sobrevoo do vice-governador, Luiz Fernando Pezão, do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos e da Integração Nacional nas áreas atingidas

No fim de 2011, o Governo Federal definiu uma lista de 251 municípios prioritários que seriam monitorados por apresentarem problemas relacionados às chuvas. O Ministério da Integração tinha R$ 360 milhões no ano passado para gastar com obras de prevenção, mas liberou menos de 10% desse valor. Segundo o ministro Fernando Bezerra, o problema é a burocracia para repassar o dinheiro para as prefeituras. 

Mais uma vez questionado, o ministro Fernando Bezerra negou qualquer uso político das verbas do ministério e afirmou que parlamentares de Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro apresentaram projetos de prevenção em 2010 (que seriam utilizados em obras em 2011), mas não deixou claro porque os projetos dos dois primeiros Estados foram aprovados e os do Rio, notoriamente castigados pelas enchentes há décadas, não recebeu nenhum repasse. 

Apesar de não ter sido contemplado com recursos, o governador Cabral disse na terça-feira (3) que “não tem o que reclamar do ministro Fernando Bezerra e que ele é um grande parceiro e proativo em todas as demandas”. 

Por conta da pressão em razão das chuvas e suas consequências em todo o território brasileiro, com destaque para Minas Gerais e Rio de Janeiro, o governo federal abriu crédito extraordinário nesta quinta-feira de R$ 482,8 milhões para ações de prevenção e combate a desastres naturais. 

Recursos

A Prefeitura de Sapucaia espera há um ano por verba de R$ 9 milhões para recuperação de encostas e outras obras de prevenção de desastres.
De acordo com o prefeito Anderson Zanon (PSD), a administração municipal dispõe de poucos recursos - Sapucaia tem cerca de 18 mil habitantes - e todos os anos sofre com problemas causados pelas chuvas. Só no ano passado, com os temporais do início de 2011, o município teve 26 pontes destruídas.
- Conseguimos reconstruir todas [as pontes]. Muitas eram pequenas, na zona rural. Fiz o pedido [da verba] no ano passado, mas, por causa da burocracia, até agora não recebemos.
A última vez que Sapucaia recebeu verbas para reconstrução de estragos causados pelas chuvas foi em dezembro de 2010. O bairro Barão foi praticamente destruído naquele ano por um temporal e Zanon conseguiu dinheiro federal para reconstruir o lugar.

Comentários