Dilma pede prudência aos motoristas na volta do Carnaval


A presidente Dilma Rousseff fez nesta segunda (20) um alerta para os motoristas que vão pegar a estrada no retorno do Carnaval e destacou que a maioria dos acidentes pode ser evitada com mais de cuidado e responsabilidade. Nesta edição do programa Café com a Presidenta, ela chamou atenção para o perigo de consumo de bebida alcoólica antes de dirigir e fez um balanço das campanhas federais de prevenção a acidentes nas rodovias.
“No meio de tanta festa e tanta diversão, tem uma coisa que me preocupa muito nessa época, são os acidentes de trânsito nas estradas e nas cidades. O que a gente percebe, é que, na maioria das vezes, os acidentes poderiam ter sido evitados com um pouco mais de cuidado e responsabilidade dos motoristas.”

Desde o dia 15 de dezembro até o próximo domingo (26), o governo federal está fazendo uma operação integrada nas rodovias federais, estaduais e municipais, a Operação RodoVida. A Polícia Rodoviária Federal, as polícias rodoviárias estaduais, os órgãos de segurança pública dos estados e os Detrans trabalham de forma articulada, desde o planejamento até a fiscalização, resultando numa forte redução nos acidentes violentos no país.


Para o Carnaval, a presidente informou que a campanha foi reforçada com 9.200 policiais nas estradas para evitar, principalmente, o excesso de velocidade, a embriaguez e as ultrapassagens em local proibido. Além disso, os policiais contam com 1.800 bafômetros.
“Para evitar que as pessoas que consumiram bebidas alcoólicas continuem dirigindo e coloquem em risco a sua própria vida e a vida dos outros”, explicou.
Dilma frisou que, em 2011, mais de 27 mil motoristas foram multados somente nas estradas federais porque estavam dirigindo alcoolizados. E lembrou que, neste feriado, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) está fazendo uma campanha de conscientização dos motoristas: “O folião tem que ter samba no pé e juízo na cabeça”.
“Tem gente que ainda acha que pode beber e dirigir, e que nada de ruim vai acontecer, mas não é assim, a gente sabe. É preciso mudar esse comportamento – álcool e volante não combinam mesmo. Quem bebe fica com os reflexos muito mais lentos para reagir a uma situação de perigo; perde a noção da distância, e, em uma curva perigosa, tudo pode acontecer. Se beber é melhor pegar uma carona com o amigo, ir de táxi, de ônibus ou até adiar um pouco a viagem.”
Outro alerta da presidente diz respeito ao amento do volume de veículos nas estradas, o que requer maior atenção por parte dos motoristas. Atualmente, a frota de veículos no país ultrapassa a marca de 70,5 milhões.
“Desse total, 18 milhões são motocicletas. Isso acaba gerando uma outra preocupação muito grande, que é o número expressivo de motociclistas envolvidos em acidentes fatais, principalmente pela falta de capacete. Os motociclistas já representam 1/4 das mortes no trânsito, e isso é terrível, porque a grande maioria dessas pessoas, dessas vítimas são jovens. Por isso, mais uma vez, é importante que a gente alerte: se beber, não dirija. E se dirigir, não beba”, concluiu.
Fonte: Blog do Planalto

Comentários