Flagrante em Cabo Frio e Macaé: diversas irregularidades em transporte intermunicipal

Transporte de passageiros em pé, em ônibus com uma porta e de transporte intermunicipal é proibido por lei.
 Confira a reportagem no vídeo.

Andar em pé nos ônibus é bastante comum. Só que em veículos que fazem linhas intermunicipais, que têm apenas uma porta, sem catraca, isso é proibido. É uma determinação do Departamento de Transportes Rodoviários, o Detro.
Um repórter da INTER TV fez duas viagens em linhas assim, entre Macaé e o distrito de Tamoios, em Cabo Frio. E registrou num celular as irregularidades. Só que os problemas começam antes ainda no ponto de ônibus.
Uma viagem frustante e sem segurança. Essa é a realidade de muitos passageiros, que precisam viajar de ônibus todos os dias. Em Macaé, veículos de linha especial, com trajeto intermunicipal, ficam superlotados, e, passageiros viajam em pé. O que é proibido por lei. O repórter Rodolfo Pardini conferiu de perto essa situação. Ele entrou em um dos ônibus da empresa 1001 que faz a linha Macaé/Cabo Frio e constatou essa triste realidade.

Depois de um dia de trabalho, os pontos de ônibus em Macaé ficam sempre cheios. Muitas pessoas trabalham na cidade, mas moram fora. E na hora de ir embora, a aventura começa. Sem opção, muitos passageiros viajam em pé nos ônibus intermunicipais. E isso só é permitido nos ônibus que possuem duas portas e uma catraca.
O transporte de passageiros em pé, em ônibus com uma porta e de transporte intermunicipal é proibido por lei. De acordo, com o Departamento de Transporte Rodoviário, além de multa e advertência, a empresa pode, inclusive, perder a concessão pelo transporte.
Mesmo assim, passageiros reclamam que isso não é respeitado. Meyre Hellen vive essa situação todos os dias para voltar a Cabo Frio onde mora. Ela relata as condições enfrentadas.
Para ver de perto e sentir o drama desses passageiros o repórter Rodolfo Pardini embarcou nessa viagem. Ele foi duas vezes. A primeira no dia 18 de fevereiro, na semana do Carnaval e constatou a situação. Ônibus totalmente cheio e pessoas em pé espremidas no meio do corredor. Devido ao trânsito, de Macaé a Cabo Frio demorou 4h30min para chegar. Um senhor conta que viagens assim são frequente.
Rodolfo voltou em outro ônibus, na sexta-feira (24) de fora já foi possível ver o que iria enfrentar. Lotação e desconforto.
Realmente uma situação muito complicada, às 17h30min, as pessoas precisavam se espremer, numa situação totalmente inaceitável, para poder voltar para casa.
Sentada uma mulher precisa viajar com a criança no colo, sem cinto de segurança. Mesmo com o ônibus lotado, mais pessoas são autorizadas a embarcar quando o veículo chega nos pontos. Sem ter mais onde ficar, alguns se arriscam e viajam na cabine sem segurança alguma. Algo rotineiro, segundo passageiros.
Para quem chega ao destino precisa ter paciência para conseguir passar no meio de todo mundo e desembarcar. Mesmo com um adulto uma criança também viveu esse drama.
Além desse caos, uma moça reclama do preço da passagem. E tudo é registrado pelo circuito interno de filmagem dos coletivos.
Há dois dias a produção do RJ INTER TV tenta marcar uma entrevista com um representante da empresa Auto Viação 1001, mas o pedido não foi atendido. Por meio de nota enviada na manhã desta terça-feira (28), a empresa disse que nos ônibus que operam nesse trecho, existem constantes embarques e desembarques em curto espaço de tempo e os motoristas acabam aceitando os passageiros em pé. A 1001 garantiu que vai reforçar a fiscalização para combater essa prática e também ainda essa semana, vai reforçar com mais sete ônibus a frota dos ônibus seletivos.
O Departamento de Transportes Rodoviários, o Detro, disse que faz fiscalizações de rotina. Quanto à linha mostrada na reportagem, falou que vai mandar uma equipe para verificar a situação. O Detro orienta aos passageiros para que qualquer reclamação com relação aos serviços de ônibus e vans intermunicipais seja encaminhada para a ouvidoria. O telefone é o            (21) 2332-9535.     

Comentários