Papa pede paciência e humildade para vencer o inimigo


O papa Bento XVI fez um apelo neste domingo à paciência e à humildade para enfrentar as tentações do ser humano, dois valores que, segundo ele, os tornam mais fortes que "qualquer inimigo".
Durante a habitual missa do Angelus dominical na Praça de São Pedro do Vaticano, o papa pediu aos fiéis católicos que não se afastem de Deus, que, segundo ele, representa a "fonte da vida verdadeira".
"Nenhum homem está totalmente livre das tentações, enquanto vive. Mas é pela paciência e verdadeira humildade que nos tornamos mais fortes que todos os nossos inimigos", declarou Bento XVI, citando uma passagem do livro "Imitação de Cristo", de Tomás de Kempis.
De acordo com o pontífice, "a tentação de se separar de Deus, de, por conta própria, colocar ordem em nós mesmos e no mundo contando apenas com nossas próprias capacidades, sempre esteve presente na história do homem".


Por isso, neste primeiro domingo de Quaresma, Bento XVI pediu aos fiéis que tenham fé em Deus, transformando a vida no fruto de sua vontade e orientando cada ação e pensamento para o bem.
"O tempo de Quaresma é o momento propício para renovar e tornar mais sólida nossa relação com Deus, através da reza diária, dos gestos de penitência e das obras de caridade fraternal", afirmou o papa.
"Encorajo a todos a que, guiados pela força de Deus, intensifiquem a oração, a penitência e a prática da caridade, para assim chegar vitoriosos e purificados às celebrações pascoais", disse Bento XVI.
Às 18h locais (14h de Brasília) deste domingo, Bento XVI participará da abertura da semana de exercícios espirituais no Vaticano, evento que durará até o próximo sábado e no qual serão suspensas todas as atividades públicas do papa, inclusive a audiência geral das quartas-feiras.

Comentários