Sindicato dos Médicos grava imagens para denunciar caos em hospitais do Rio


Instituição alerta para falta médicos e investimentos nas unidades de saúde
Do RJ no Ar

Assista ao vídeo:

Os hospitais públicos do Rio estão superlotados. A denúncia é do Sindicato dos Médicos, que divulgou imagens mostrando a situação de dois dos principais hospitais municipais da cidade: o hospital Souza Aguiar, no centro, e o Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, zona oeste.
As imagens registram pacientes em macas sem colchão e roupa de cama, corredores lotados onde usados como enfermarias para que pacientes recebam um atendimento improvisado, emergências com o triplo da capacidade.
No hospital Souza Aguiar a emergência projetada para atender 16 pacientes está ocupada por 56. Homens e mulheres são atendidos no mesmo ambiente, sem privacidade. Além disso, os familiares denunciam que precisam levar roupas, lençóis e cobertores de casa para os doentes.


O presidente do Sindicato dos Médicos do Rio, Jorge Darze, disse que, além da falta de investimento nas emergências, faltam médicos.
- Os médicos existentes são insuficientes para atender a toda a demanda que chega a esses hospitais emergência.
A Secretaria Municipal de Saúde admite que as emergências estejam superlotadas, mas esclarece que isso acontece porque as unidades não recusam pacientes. De acordo com a secretaria, todos os pacientes recebem atendimento adequado e são transferidos para outros hospitais da região.

Comentários