"A verdade toda será revelada", diz líder dos bombeiros solto esta tarde


Felipe Azevedo
Ao lado de sua esposa Cristiane, o cabo Daciolo comemora sua liberdade | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia
Suspeito de comandar greve da categoria no Rio, cabo Benevenuto Daciolo (na foto com a esposa) ganhou a liberdade hoje. Ele estava preso desde o dia 8
Preso há 17 dias suspeito de liderar o movimento de greve dos bombeiros no Rio de Janeiro, o cabo do Corpo de Bombeiros Benevenuto Daciolo, foi solto na tarde desta sexta-feira (24).
Ele estava detido no Grupamento Especial Prisional (GEP), em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense.
Muito cansado e abatido, Daciolo agradeceu o apoio e disse que lutava pela dignidade da categoria.
"Agradeco a Deus, só tenho que agradecer, a verdade toda será revelada. Sou apenas um homem querendo a dignidade da categoria. Sou um homem de família querendo o bem da instituição. A minha minha luta é por dignidade. Quero agradecer a Deus e a população carioca pelo apoio. Nossa causa é uma causa justa e só quero dignidade", afirmou ele ao deixar a prisão.


Daciolo foi preso no dia 8 quando desembarcava no Rio de Janeiro vindo de Salvador. A prisão ocorreu poucas horas depois deo programa Jornal Nacional, da TV Globo, divulgar gravações em que o bombeiro era orientado por uma mulher para que grevistas na Bahia não fechassem acordo com o governo para que uma possível greve da categoria e de policiais no Rio não perdesse força.
Além de Daciolo, outros 11 bombeiros e 10 PMs chegaram a ficar presos na penitenciária Bangu 1, na zona oeste do Rio, suspeitos de incitarem a greve das duas categorias, que também teve a adesão da Polícia Civil.

Comentários