Anúncio do azeite Gallo será julgado pelo Conar por suposto racismo


Anúncio do azeite Gallo teria conteúdo racista
Anúncio do azeite Gallo teria conteúdo racista
 Foto: Divulgação
Extra
O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) deve julgar até a próxima quinta-feira um processo aberto contra uma propaganda do azeite Gallo, acusada de promover racismo. O anúncio, criado pela agência AlmapBBDO, divulgava a nova embalagem do produto, com as frases: “O nosso azeite é rico. O vidro escuro é o segurança”.
A peça publicitária foi publicada em revistas, em outubro do ano passado. O processo foi aberto em novembro, após a denúncia de uma pessoa que não se identificou. Em seguida, o anúncio foi retirado dos meios de comunicação.


Em 2011, o Conar recebeu 325 processos contra campanhas publicitárias, o menor volume desde 2006. Mas, em setembro do ano passado, uma outra propaganda gerou polêmica. Foi o da fabricante de lingeries Hope, estrelada pela modelo Gisele Bündchen. Até a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) pediu a suspensão do anúncio. O Conar julgou o caso e recomendou o arquivamento do processo. O comercial continuou liberado para veiculação.


Comentários