Após depredação nas barcas, concessionária restringe uso de extintores de incêndio a tripulantes


Segundo Barcas S/A, não norma que exige data de validade para coletes salva-vidas
Depois de registrar ocorrências de depredações nas embarcações no último dia 29, a concessionária Barcas S/A, por medida de segurança, realocou temporariamente os extintores de incêndio para que sejam acessados somente pelos tripulantes. Segundo a empresa, a medida é para manter os equipamentos em locais seguros, protegidos contra vandalismo e prontos para serem usados pela tripulação treinada em casos de emergência. 
Ainda de acordo com a concessionária, conforme as normas de segurança da Marinha, os coletes salva-vidas devem estar em bom estado e homologados. Segundo a empresa, não há norma que exija data de validade do produto e os coletes são liberados pela Marinha a partir de avaliações de padrões de qualidade e condições de uso.

A Barcas S/A informou que todas as embarcações carregam 10% a mais do total de coletes equivalente à lotação para as crianças a bordo, que eles são acomodados sob os assentos, aprovados e vistoriados pelo órgão responsável pela segurança da navegação.

Ato de vandalismo

Segundo a concessionária, três embarcações da linha praça 15-praça Arariboia foram depredadas no domingo de Carnaval. De acordo com a empresa, a segurança do transporte havia sido reforçada em razão do grande número de foliões previsto para o último dia de folia.

Ainda segundo a Barcas S/A, “as embarcações foram retiradas de operação para manutenção e reparos nos assentos rasgados, nas televisões e nas janelas quebradas”. 

De acordo com a empresa, os passageiros também jogaram coletes salva-vidas na baía de Guanabara e esvaziaram os extintores de incêndio.

Manifestação contra reajuste no valor da passagem

Passageiros faziam uma manifestação na manhã desta segunda-feira (5) em frente à estação das barcas na praça Arariboia, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O motivo é o reajuste no valor da passagem das embarcações da linha Rio-Niterói. Os bilhetes, que custavam R$ 2,80, agora valem R$ 4,50, um aumento de 60,7%. 

Policiais do Batalhão de Choque reforçavam a segurança em Niterói e também na praça 15, no centro do Rio.



O reajuste começaria na última quinta-feira (1º), mas de acordo com a Secretaria Estadual de Transportes, a data foi alterada com o objetivo de aumentar o tempo para que os usuários fizessem o Bilhete Único intermunicipal, que dará desconto na tarifa. A tarifa para os usuários do Bilhete Único também subiu. Agora vai custar R$ 3,10. O valor da diferença gerada pela alteração será subsidiado pelo governo do Estado. 

Os moradores de Paquetá e Ilha Grande, com ou sem cartão, precisam se cadastrar para ter acesso a outro desconto: eles terão direito a duas passagens gratuitas por dia. Este benefício, segundo a secretaria, já começou a valer a partir da última quinta-feira. 

Os usuários que não possuem o cartão do Bilhete Único ou Riocard podem procurar os postos de cadastramento. A expectativa é de que 30 mil usuários das barcas se inscrevam no sistema. 

Justificativa 

De acordo com a Agetransp (Agência Reguladora de Transportes), um estudo coordenado por uma empresa terceirizada verificou que há um desequilíbrio econômico e financeiro no contrato com a concessionária responsável pelo serviço de barcas. A análise foi enviada para a Secretaria Estadual de Transportes que, após um cálculo, informou a necessidade do aumento de cerca de 60%.

Comentários