Aposentado do INSS recebe cartas falsas sobre revisão


 
Previdência alerta que não envia avisos de pagamento por correspondência
Aposentados e pensionistas do INSS têm recebido cartas com informações sobre valores referentes a revisões de benefícios. No entanto, segurados devem ficar atentos e desconfiar da veracidade do documento. Segundo a Previdência, o INSS não envia correspondências com dados de pagamentos de revisão. O ministério afirma que as cartas são falsas e que os segurados devem denunciar a prática.
O alerta foi dado na semana passada pela Previdência que divulgou ter recebido questionamentos de aposentados que receberam cartas mostrando valores que teriam direito a título de revisão dos benefícios.
O assédio ocorre devido à revisão que atualmente a Previdência está fazendo dos benefícios concedidos entre 1991 e 2003 que tiveram os ganhos limitados ao teto previdenciário na data da concessão.
Em nota, a Previdência enfatizou “para que os aposentados e pensionistas tenham cuidado ao fornecer a terceiros documentos e dados referentes a seu benefício. O recebimento de correspondência não emitida pela Previdência e contratação de intermediários não são garantia de que o beneficiário tenha direito à revisão”.


Confirmação em site
Para que o segurado tome conhecimento de possível revisão deve ligar para a Central 135 ou verificar relação no link http://www3.dataprev.gov.br/cws/revteto/index.asp. A pessoa que não estiver na relação, mas acha que tem direito pode fazer pedido de revisão na agência do INSS mantenedora do benefício.
Resultado da inflação mostra que é momento de ir às compras
Os principais bens duráveis e semiduráveis do mercado subiram, em média, 1,85% entre abril de 2011 e março de 2012. Uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas mostrou que o resultado é inferior à inflação de 5,47% apurada para o mesmo período pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10). Para o economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV André Braz, as pessoas que pouparam para fazer compras, aproveitando as promoções, poderão ter um ganho significativo nesta época do ano.
- Se o consumidor encontrar alguma promoção em que já houve espaço para uma evolução abaixo da inflação, ele vai conseguir encontrar boas oportunidades no mercado.
Alguns produtos eletroeletrônicos apresentaram deflação em relação ao dia do consumidor do ano passado. Foi o caso de aparelhos de televisão e celulares, por exemplo. Já no setor de vestuário, a evolução dos preços não foi tão favorável. Roupas infantis, femininas e masculinas, subiram, na média, 8%, e calçados infantis (9,78%).
O economista ainda alertou que as compras devem ser feitas por quem programou sua renda, de modo que nada seja feito para comprometer o orçamento da família. Para quem não se preparou, vale o incentivo para começar a poupar e poder aproveitar a boa fase de preços.

Comentários