Bom dia! O resumo dos jornais deste sábado, 3 de março.



O Globo
Manchete: TSE deixa brecha ao proibir quem tem contas rejeitadas

Especialistas dizem que novo veto reforça a Lei da Ficha Limpa

No ano em que a Lei da Ficha Limpa será aplicada de fato nas eleições, a decisão de anteontem à noite do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de também vetar quem teve contas de campanha rejeitadas na disputa anterior foi vista como mais um sinal de moralização por especialistas. "Ter as contas aprovadas passa a ser não apenas um requisito legal, mas também moral", disse o presidente da OAB-RS, Cláudio Lamacchia. Mas o TSE deixou brechas que podem levar a uma enxurrada de contestações e pedidos de liminares na Justiça. Ficou claro que, este ano, quem teve contas rejeitadas em 2010 não poderá obter registro de candidato. Mas os problemas referentes a campanhas anteriores - como contas rejeitadas em 2008, por exemplo, serão decididos caso a caso. (Págs. 1 e 3)

Cresce a adesão a manifesto; Dilma manda punir 325 oficiais (Págs. 1 e 16)
Fotolegenda: Culto Político: Ao empossar o senador Marcelo Crivella na Pesca, a presidente Dilma é aplaudida por José Sarney e pelo novo ministro, que fez discurso cheio de orações e citações a Deus. (Págs. 1 e 4)
Europa cria sua Lei de Responsabilidade



Pacto fiscal determina que déficit fique limitado a 3% do PIS e sanções estejam na Constituição

A União Europeia aprovou uma "regra de ouro" em que os países se comprometem a incluir, na Constituição, o limite de 3% do PIB para o déficit orçamentário. Dos 27 da UE, apenas Reino Unido e República Tcheca não aceitaram o pacto fiscal. A adesão é obrigatória nos 17 países da zona do euro, mas voluntária nos demais do bloco. As nações deverão prever também sanções se ultrapassarem o limite. Hoje, apenas 5 nações têm déficit abaixo de 3% ou superávit. (Págs. 1 e 25)

De Merkel para Dilma

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse ontem entender a preocupação da presidente Dilma Rousseff, que na véspera criticara o "tsunami monetário", ou seja, a enxurrada de dólares que vêm de países ricos para o Brasil, em busca de rentabilidade alta e criando instabilidade no câmbio. O assunto será debatido pelas duas em Hannover. "Vou tentar dizer a ela que planejamos perseguir reformas", disse Merkel. (Págs. 1 e 26)

BNDES vai apoiar laboratório nacional

Depois da supertele, vem aí um gigante do setor farmacêutico. Uma associação, entre Aché, EMS, União Química e Hypermarcas criará um "superlaboratório" verde-amarelo, com capital de R$ 400 milhões. O BNDES apoiará a iniciativa com pelo menos R$ 100 milhões. (Págs. 1 e 32)

Guia de compras

Preço de remédio tem diferença de 82% em farmácias do Rio. No dia 31, haverá aumento. (Págs. 1 e 32)

TAM cria caos com pane em check-in

Com problemas no seu sistema de check-in, durante quase seis horas, na manhã de ontem, a TAM foi responsável por cerca de 80% dos voos em atraso no país, levando caos aos aeroportos. (Págs. 1 e 27)

Obama sobre o Irã: "Como presidente dos EUA, eu não blefo" (Págs. 1 e 34)

Fifa: pontapé no traseiro do Brasil

Na mais dura crítica ao Brasil, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, disse que o país precisa de pontapé no traseiro para acelerar os preparativos para a Copa. (Pág. 1 / Caderno Esportes)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Síria barra ajuda humanitária da Cruz Vermelha

Para órgão, proibição é inaceitável; opositores acusam governo de tentar ocultar indícios de execuções sumárias

O Exército sírio barrou a chegada do comboio humanitário da Cruz Vermelha ao distrito de Baba Amro, em Homs, reduto dos rebeldes que está há quase um mês sob bombardeios. Não está claro por que o governo proibiu a ajuda um dia após prometer autorizá-la. 

Opositores acusam o regime de tentar ocultar indícios de execuções sumárias. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, diz haver "relatos terríveis" de assassinatos, detenções arbitrárias e tortura. Para a Cruz Vermelha, o atraso para a entrada da missão é inaceitável.
A jornalista francesa ferida que apelou para ser resgata chegou a Paris ontem. Os EUA afirmam ainda apostar num acordo de transição do regime do ditador Bashar Assad. (Págs. 1 e A 12 / Mundo)
Cláudia Antunes
Só delírios de onipotência explicariam intervenção militar externa no país. (Págs. 1 e A2 / Opinião)

Brasil tem que receber "chute no traseiro", diz dirigente da Fifa

A Fifa aumentou a pressão sobre o Brasil por conta de atrasos na Copa de 2014. 

O secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, disse que o país "tem que receber um chute no traseiro". O dirigente criticou o atraso nas obras nos estádios, a deficiência de hotéis e os problemas nos aeroportos. Valcke disse que o Brasil pensa mais em ganhar a Copa do que em organizá-la. (Págs. 1 e 4 / Esporte)

Choro do adeus

Dilma se emociona ao se despedir de Luiz Sérgio, substituído por Marcelo Crivella no Ministério da Pesca; presidente se desculpou pela demissão (Págs. 1 e A6 / Poder)

Dinheiro para ex-vice do BB saiu de conta de cliente do banco

Os depósitos de R$ 1 milhão que chegaram à conta do ex-vice-presidente do BB Allan Toledo têm origem no Marfrig, que obteve crédito de R$ 750 milhões no banco. 

Antes de ir para Toledo, o dinheiro passou pelas contas de um empresário e de uma aposentada. O frigorífico diz que as operações com o empresário decorrem da compra de cotas de usina, da qual são sócios. (Págs. 1 e A4 / Poder)

Presidente do TJ-SP diz que imprensa denigre o tribunal

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, acusou a imprensa de promover campanha para "denegrir" o Judiciário paulista. Para ele; há um movimento contra o tribunal partindo da Folha e de "O Estado de S. Paulo". (Págs. 1 e A5 / Poder)

Esporte

Por 'harmonia', ministro do Esporte evita falar de Teixeira (Págs. 1 e D6)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Dilma chora, fala do "fardo" de governar e pede união a aliados

Em meio a rebelião na base governista, presidente segue conselho de Lula e faz apelo a 'coalizão forte'

Menos de 24 horas após se encontrar com o ex-presidente Lula em São Bernardo para discutir a rebelião na base aliada, a presidente Dilma Rousseff fez apelo à união dos partidos governistas. Ela falou sobre o "fardo" de governar, chorou e destacou a importância da "coalizão forte" para dividir a tarefa e fazer o que somos eleitos para fazer. Instruída por Lula a cuidar mais da política para evitar levantes, Dilma usou a posse do ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB), para tentar amenizar a crise. Após o discurso, o presidente do PMDB, Valdir Raupp (RO), negou que o manifesto de peemedebistas contra o PT, divulgado na véspera, signifique ruptura com Dilma. (Págs. 1 e A4 / Nacional)

Tensão com militares
A decisão da presidente de punir militares que criticaram ministras piorou o clima na caserna. (Págs. 1 e A6/Nacional)

Unip é acusada de direcionar exame para ser bem avaliada

A Unip está sendo acusada de selecionar só os melhores alunos para o Enade, exame que avalia a qualidade da universidade, informam Sergio Pompeu, Carlos Lordelo e Cedê Silva. Quanto menos alunos, melhor é o resultado, que a Unip usa para fazer marketing. Segundo a denúncia, a escola mantém os piores alunos com notas "em aberto" para que não possam fazer o exame. A Unip nega a manobra. (Págs. 1 e A22/Vida)

Montadora se livrará de alta de IPI se prometer fábrica no País

A presidente Dilma Rousseff deve assinar na próxima semana um decreto com o novo regime tributário do setor automotivo. Entre 2013 e 2016, as montadoras que instalarem fábricas no País ou prometerem investimentos vão se livrar do aumento de 30 pontos porcentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis importados. Com a medida, o governo espera melhorar a qualidade dos veículos produzidos no Brasil. (Págs. 1 e B1 / Economia)

Merkel vai justificar ao Brasil ação de europeus

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que explicará a Dilma Rousseff as medidas tomadas pelo Banco Central Europeu, classificadas pela presidente de "tsunami tributário". (Págs. 1 e B8/Economia) 

Dupla paternidade tem seu 1º registro

Gerada por fertilização in vitro, a bebê Maria Tereza foi registrada no Recife (PE) como filha dos empresários Mailton (o pai biológico) e Wilson Albuquerque. (Págs. 1 e A26 / Vida)

Irã exalta comparecimento de 64% nas eleições parlamentares

O governo iraniano diz que 64,6% - 31 milhões de eleitores - votaram nas eleições parlamentares de ontem. Não é possível confirmar o dado de forma independente. Em Teerã, o comparecimento foi visivelmente pequeno, relata Lourival Sant'Anna, enviado especial. (Págs. 1 e A12 / Internacional)

Alckmin dá bronca em secretários faltosos (Págs. 1 e A10 / Nacional)

Fifa sugere chute no traseiro do Brasil (Págs. 1 e E4 / Esportes)

Celso Ming: A indignação de Dilma

Tem pouco efeito prático externo a indignação que a presidente manifestou por causa das políticas monetárias frouxas dos países ricos. (Págs. 1 e B2 / Economia)

Gareth Evans: Risco Nuclear

No relógio construído por cientistas nucleares para marcar o dia do juízo final, desde o mês passado estamos a um minuto mais perto do fim. (Págs. 1 e A18 / Visão Global)

Notas e Informações: Dilma entra em campanha eleitoral

A entrega do Ministério da Pesca ao PRB é só o começo. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: Brasília vai renovar toda a frota de ônibus

Licitação deve tirar de cena empresas que hoje dominam o transporte público na capital. DF terá 3 mil novos coletivos, com ar-condicionado, e será dividido em cinco grandes áreas. Nenhum grupo poderá deter mais de 20% dos veículos. (Págs. 1, 23 e 24)

Senadores papam 14º, 15º e ainda driblam o IR

Casa, carro, gasolina, comida, roupa lavada, viagens de avião... Não bastassem todas essas mordomias, senadores também criaram para eles próprios um 14º e um 15º salário. E ainda deram um jeito de não pagar imposto de renda sobre a benesse. Um escárnio com os cidadãos comuns que trabalham duro para sustentá-los e não têm direito a nenhum privilégio. (Págs. 1 e 2)

Conta suja deixa três distritais inelegíveis (Págs. 1, 6 e Visão do Correio 16)

Fotolegenda: Amigos de fé ...

Na posse de Crivella como ministro da Pesca. Dilma pede união à base aliada e agradece apoio de Luiz Sérgio (PT-RJ), demitido pela segunda vez do governo sem nunca ter recebido qualquer demonstração de prestígio. "Você foi e é um amigo", disse. (Págs. 1 e 3)

A estranha amizade de Cachoeira e Demóstenes

Escutas telefônicas mostram que o bicheiro e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) conversavam com frequência. O parlamentar diz ser amigo do contraventor. (Págs. 1 e 4)

Policiais terão que devolver aumento

Cerca de 11 mil agentes e servidores da PF perderam na Justiça o reajuste de 84,32%, ganho em 1990. Alguns devem pagar até R$ 380 mil ao governo. (Págs. 1 e 14)

Imposto de Renda

Menos de dois dias após o início do prazo, 283 mil contribuintes entregaram as declarações. O movimento é 84% maior que em 2011. (Págs. 1 e 11)

Concurso na Câmara

A Casa deve abrir seleção para 40 policiais legislativos. As vagas foram abertas em 2011 com a aposentadoria de servidores. O salário é de RS 5 mil.(Págs. 1 e 15)

Fifa quer dar "chute na bunda" do Brasil

Irritado com o andamento das obras para a Copa de 2014, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, atacou duramente os organizadores. Para ele, o país precisa de um impulso para acelerar o Mundial. (Págs. 1, 2 e 3, Super Esportes) 

Justiça tem nova visão sobre as famílias

O registro de um bebê por um casal do mesmo sexo, em Pernambuco, confirma que os juízes mudaram o entendimento sobre as relações homoafetivas. (Págs. 1 e 8)

Pane no sistema da Tam deve ficar sem punição (Págs. 1 e 12)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
Manchete: Só 10% das cidades escapam da violência

Dos 853 municípios de Minas apenas 91 não tiveram crimes graves em 2011

A Secretaria de Estado de Defesa Social divulgou inicialmente uma lista de 173 cidades, ou 20% do total, em que não teriam ocorrido homicídios, tentativas de homicídio, roubos, assaltos à mão armada ou estupros no ano passado. Mas ao checar a relação o Estado de Minas constatou que em pelo menos duas delas houve assassinatos. Ao retificar a informação, o número de municípios sem delitos considerados violentos caiu praticamente à metade. Dois dias antes, o governo do estado havia informado um aumento de 10,8% no número de crimes violentos em Minas em 2011 na comparação com 2010. (Págs. 1 e 24)

Fora de área

Como as regras da telefonia celular determinam que as operadoras cubram 80% das áreas urbanas dos municípios, quem vive nas zonas rurais sofre calado. O vaqueiro José Estevão Gonçalves, que mora num distrito de Jaboticatubas, na Grande BH, vai ao campo de futebol, único lugar onde o sinal é bom, para falar. Leilão de nova faixa, em maio, pode melhorar a situação. Mas há pouco interesse comercial das empresas nessas áreas. (Págs. 1 e 12)

Rejeição de contas vai barrar 192

Candidatos tiveram, em 2010, contas de campanhas rejeitadas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). Dos cinco partidos que lideram o ranking de desaprovação, apenas o PSB não pode ser considerado pequeno. (Págs. 1 e 6)

PHB: Prefeito e vice em rotas opostas para sucessão

Ontem, enquanto Marcio Lacerda (PSB) dava como certa a chapa com o PT, o petista Roberto Carvalho anunciava adesão de filiados à candidatura própria. (Págs. 1 e 3)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Fifa endurece com a organização da Copa

Secretário-geral Jérome Valcke critica atrasos e diz que é preciso "dar chute no traseiro" dos brasileiros. Para ele, o fundamental é organizar o Mundial e não conquistar o título. (Pág. 1)

Declaração do IR sem mistérios

Receita cria manual para facilitar preenchimento e JC lança hoje coluna para tirar principais dúvidas. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Abrindo caminho para 2014

Ainda longe de terminarem, as obras de duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio) ganharam novo fôlego com o começo da construção de uma ponte sobre o Arroio Dilúvio, parte do projeto de mobilidade urbana para a Copa do Mundo. (Págs. 1 e 40)

Editoriais

A avaliação da saúde trata do desempenho do SUS e Conquista no trânsito comenta redução de mortes em acidentes. (Págs. 1 e 16)
EBC Serviços

Comentários