Em Arraial do Cabo, Ponto de Cultura promove oficinas de Pesca artesanal e Renda de bilros na Praia Grande



Rica expressão do patrimônio imaterial brasileiro, a cultura da pesca artesanal em Arraial do Cabo vem sendo transmitida por mestres da tradição oral a crianças e adultos dos 8 aos 71 anos, inclusive de municípios próximos como Cabo Frio e Campos dos Goitacazes, atraídos pelo conhecimento das artes e técnicas ancestrais e a identificação com as origens indígenas. 


Coordenado por Rose Cintra, o Ponto de Cultura dos Artesãos de Arraial do Cabo – que é fruto de um convênio entre a Associação dos Pescadores de Arraial do Cabo (APAC) com a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e Ministério da Cultura – oferece diversas oficinas, todas gratuitas, relacionadas às canoas e artefatos. 
A oficina de Rede de pesca artesanal (2ª, 3ª e 4ª das 14 às 17h) é ministrada por seu Gamalho, conceituado mestre da pesca local. Por lá já passaram mais de 60 alunos. Dona Glória ensina Renda de bilros (2ª, 3ª e 4ª das 14 às 17h) a mais de 30 pessoas inscritas e seu Manuel, a arte de “Entralhar” (colocar cortiças nas redes) e “Profiar” (costurar os panos de rede) (2ª e 6ª de 14 às 17h). 
Segundo a coordenadora, a oficina de Vigia da pesca ministrada por Mestre Quinzinho é única. O vigia é um pescador experiente que, do alto do morro, consegue avistar os cardumes, definindo a espécie e a quantidade dos peixes. Através de gestos com as mãos e com o auxílio de um pano branco, coordena a movimentação das canoas. Seus sinais são traduzidos pelo mestre da canoa que, dentro da embarcação, os transmite aos demais pescadores. “É uma arte da pesca que não pode ser perdida”, diz Rose Cintra. Como dependem das condições do mar, essas oficinas serão marcadas nos dias em que os responsáveis por elas sairão para pescar. Os interessados devem manter contato com o Ponto de Cultura
Quanto às rendeiras, vale dizer que em maio do ano passado, treze delas participaram do evento Fashion Business, na Marina da Glória, no Rio de Janeiro. Receberam um stand dos organizadores, que mandaram uma van para buscá-las. E já estão convidadas para, em julho deste ano, expor seus trabalhos na Mostra Internacional da Renda de Bilros em Peniche, cidade pesqueira que fica a 90 quilômetros de Lisboa, em Portugal. 
Outra boa notícia é o Festival de Lula, que a partir de 4 de abril próximo, também promovido pela Associação dos Pescadores de Arraial do Cabo, vai deliciar a cidade e seus visitantes. A propósito, a Associação dos Pescadores apóia o desenvolvimento da Maricultura, na praia do Forno, que produz mexilhão, ostra e vieira e abastece os melhores restaurantes de frutos do mar do Rio de Janeiro, Angra dos Reis e Búzios.

Comentários