Em Macaé, soltura de tartarugas bebês neste sábado


Assim que são colocadas na areia, as tartaruguinhas correm para o mar
Do R7, em Campos
Divulgação / Tamar
 tartarugas
Filhotes de tartaruga correram para o mar na praia Campista, em Macaé, em fevereiro passado

Cerca de 50 filhotes de tartaruga do tipo cabeçuda serão soltos na praia do Pecado, na lagoa de Imboassica, em Macaé, no norte fluminense, na manhã deste sábado (10). As tartaruguinhas são colocadas na areia e logo correm para o mar.
Essa é a segunda soltura de tartaruguinhas desta temporada em Macaé. A primeira foi na praia Campista em fevereiro. Enquanto os animais são colocados na praia, especialistas do projeto Tamar farão palestras sobre a importância da preservação do meio ambiente e das espécies marinhas.
Os filhotes foram recolhidos das praias da região ainda enquanto eram ovos e estavam amadurecendo nos berçários do projeto Tamar antes de voltarem para o oceano. Da espécieCaretta caretta, eles foram resgatados por funcionários do projeto Tamar, que percorrem as praias do norte do Estado à procura dos locais de desova.


O objetivo é evitar que os ovos sejam destruídos por causa do excesso de iluminação, trânsito de veículos ou ação dos banhistas. Esse monitoramento é mais intenso no período de reprodução, entre setembro e março.
A base do Projeto Tamar no norte do Estado fica no Farol de São Thomé, em Campos dos Goytacazes. Ali, os especialistas concentram o monitoramento de mais de 105 km de praias, entre os municípios de Campos dos Goytacazes, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana.
Na última temporada reprodutiva, 1.624 desovas foram protegidas na região e cerca de 126 mil filhotes liberados ao mar. As tartarugas nascem nas praias da região e voltam depois para colocar os ovos.

O Tamar atua com cinco espécies de tartarugas marinhas, todas ameaçadas de extinção: cabeçuda (Caretta caretta), de pente (Eretmochelys imbricata), verde (Chelonia mydas), oliva (Lepidochelys olivacea) e de couro (Dermochelys coriacea).

Comentários