No Rio, familiares de bombeiros e PMs fazem protesto em apoio aos militares presos durante greve


Manifestantes vão se reunir em frente ao Copacabana Palace por volta das 10h
bombeiros
Guto Maia / 09.02.2012/ Agência Estado
Mais de 20 policiais e bombeiros foram presos durante greve
Familiares e amigos de bombeiros e PMs fazem na manhã deste domingo (4) um protesto em apoio aos militares que foram presos durante a greverealizada às vésperas do Carnaval deste ano. Mais de 20 agentes foram parar no Complexo Penitenciário de Bangu, na zona oeste, por causa das manifestações que pediam melhores salários para bombeiros e policiais do Estado. 
Os manifestantes vão se reunir em frente ao Copacabana Palace, na zona sul, por volta das 10h. Sem fardas e desarmados, bombeiros e policiais militares devem engrossar o coro do protesto. 
Ao todo, 15 bombeiros e 93 policiais militares respondem a processos administrativos por participarem do movimento grevista e podem ser expulsos da corporação. 
Daciolo pode ser expulso do Corpo de Bombeiros
Apontado como líder dos bombeiros grevistas, o cabo Benevenuto Daciolo pode ser expulso da corporação nesta segunda-feira (5). O militar responde por aliciamento e incitamento a motim depois que escutas telefônicas, autorizadas pela Justiça, supostamente flagraram o cabo negociando estratégias de greve com líderes do movimento na Bahia e no Rio. 

Após o episódio, Daciolo chegou a ficar nove dias preso na penitenciária de segurança máxima de Bangu 1. O processo disciplinar contra Daciolo foi aberto no último dia 16 de fevereiro. A decisão sobre o futuro do militar ainda está dentro do novo prazo estipulado pelo Estado para conclusão do procedimento.

No auge da greve dos bombeiros e policiais do Rio, o governador Sérgio Cabral (PMDB) publicou um decreto no Diário Oficial em que muda de 30 para 15 dias o tempo para militares e bombeiros serem expulsos das corporações.
O caso de Daciolo é analisado por três oficiais da corporação. No fim do processo, um relatório será apresentado ao comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, que decidirá se o cabo será expulso ou não.
Procurado pelo R7, o Corpo de Bombeiros informou que a ação contra Daciolo está em andamento e ainda não foi marcada uma data para a decisão final. No entanto, segundo o cabo, a corporação determinou que o militar compareça ao Quartel Central na manhã de segunda-feira para que seja comunicado o resultado do processo.
- Eu estava trabalhando até ontem [terça-feira] no quartel de Botafogo, mas fui afastado até segunda-feira às 11h para aguardar a decisão da corporação.

Comentários