No Rio, passageiros se revoltam com reajuste das barcas e pedem melhoria no serviço prestado


Tarifa do bilhete vai aumentar mais de 60% e preço passa de R$ 2,80 para R$ 4,50

Evelyn Moraes, do R7
 Catamarã Gávea I
Passageiros das barcas e catamarãs estão revoltados com o aumento da passagem; eles reclamam do serviço prestado e prometem novos protestos

Os passageiros que utilizam as barcas como meio de transporte no Rio de Janeiro estão revoltados com o aumento de 60,7% no valor do preço do bilhete. A passagem, que custava R$ 2,80, passa a ser vendida a R$ 4,50 a partir deste sábado (3). A notícia foi recebida com protestos pelos usuários, que já não estavam satisfeitos com o serviço e passaram a reclamar mais ainda.
Atentos ao reajuste, os passageiros prometem novas manifestações para este sábado e também para a próxima segunda-feira (5), primeiro dia útil da nova tarifa. 
O atraso nos horários e a falta de segurança são as principais queixas de quem utiliza o serviço diariamente. O agente de crédito Ozanam Araújo mora em Niterói e vai para o trabalho de barca ou catamarã. Ele reclama do excesso de passageiros. 

- O serviço é mal realizado. As barcas novas melhoraram apenas no tempo de viagem, mas não têm nenhuma segurança. Eles excedem o número de passageiros permitido. Eu ando até com medo. 

A advogada Nadir Amorim disse que o reajuste no preço do bilhete é um absurdo. Segundo ela, o valor não condiz com o serviço prestado pela concessionária Barcas S/A. 

- Este aumento é um absurdo. Levando em consideração o tempo que a pessoa espera para entrar na barca e a falta de manutenção, a passagem não poderia aumentar de jeito nenhum. Para aumentar, tem que oferecer um serviço decente. 

O funcionário público Nilson da Silva disse considerar os funcionários da Barcas S/A despreparados para trabalhar com o público. 

- O serviço das barcas é péssimo. O Ministério Público já deveria ter mandado interditar as estações. Tem colete vencido, não tem segurança nenhuma, falta informação e este aumento é um absurdo. Enquanto não acontecer uma tragédia, eles não vão tomar uma providência. Tem que melhorar urgentemente.

Outra reclamação dos passageiros é o conforto dentro das barcas e catamarãs. A corretora de imóveis Elizabeth Pinho disse que viaja na porta da barca para aproveitar o vento que vem de fora, pois o calor incomoda durante viagem. 

- Tinham que colocar ar condicionado nos catamarãs. Eu não sei o que acontece no verão. Nesta época, era obrigação da concessionária colocar o ar condicionado para funcionar. Eu tenho que viajar na porta por causa do calor.

Passageiros viajam em pé e nas escadas 

A Barcas S/A disponibiliza assentos com capas na cor laranja nas primeiras fileiras dos catamarãs para idosos, gestantes e pessoas com necessidades especiais, mas muitos passageiros não respeitam e acabam ocupando as cadeiras preferenciais. O analista de sistemas Felipe Padilha disse que já flagrou usuários com menos de 60 anos retirando as capas para ocupar os lugares.

- Quando a barca está lotada, alguns passageiros retiram a capa laranja da poltrona que indica que ela é preferencial. Com isso, os novos ficam sentados e vários idosos ficam em pé ou até mesmo nas escadas.

Justificativa

De acordo com a Agetransp (Agência Reguladora de Transportes), um estudo coordenado por uma empresa terceirizada verificou que há um desequilíbrio econômico e financeiro no contrato com a concessionária responsável pelo serviço de barcas. A análise foi enviada para a Secretaria Estadual de Transportes que, após um cálculo, informou a necessidade do aumento de cerca de 60%.
Alerj é contra o aumento
O deputado Marcelo Simão, presidente da Comissão de Transportes da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), desaprovou o aumento. Simão espera, ao menos, que a alteração no valor do bilhete seja convertida na melhoria dos serviços.
- Nós somos contra o aumento nas passagens, em que pese o subsídio dado pelo governo. Minha preocupação, agora, é saber se essa majoração nos preços dos bilhetes vai ser revertida na melhoria dos serviços: compra de novas embarcações para substituir as atuais, que são muito antigas, e reforma das estações que mais parecem currais. Os passageiros não podem continuar sofrendo com a falta de qualidade no serviço. Vamos cobrar.
Problemas 

A concessionária responsável pelo serviço de barcas informou que três embarcações da linha praça 15 - praça Arariboia foram depredadas no último domingo (26). Segundo a empresa, a segurança do transporte havia sido reforçada em razão do grande número de foliões previsto para o último dia de Carnaval.

Ainda de acordo com a concessionária, “as embarcações foram retiradas de operação para manutenção e reparos nos assentos rasgados, nas televisões e nas janelas quebradas”.
Segundo a empresa, os passageiros também jogaram coletes salva-vidas na baía de Guanabara e esvaziaram os extintores de incêndio. O material deve ser reposto em breve.
A Barcas S/A foi procurada pela reportagem do R7, mas até a publicação desta matéria, não havia respondido.
barca
Passageiro diz que usuários retiram capa de assentos preferenciais e idosos ficam em pé. Foto: Evelyn Moraes/R7

Comentários