Velório de Chico Anysio será aberto ao público no Theatro Municipal; cremação acontece no domingo


Ator estava internado desde 22 de dezembro de 2011 e sofria de enfisema pulmonar
João Cotta/Globo
Chico Anysio

Chico Anysio morreu aos 80 anos, após lutar bravamente contra problemas pulmonares e respiratórios
O velório de Chico Anysio, que morreu na tarde de ontem (23) no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, acontece a partir das 12h deste sábado (24) no Theatro Municipal, no centro do Rio. O velório será aberto ao público.
O humorista, falecido aos 80 anos de idade - ele completaria 81 anos no próximo dia 12 de abril -, será cremado no domingo (24) no cemitério do Caju, na região portuária da capital fluminense. As informações sobre o velório e a cremação de Chico Anysio são de Paulo César Pimpa, advogado da família. Não foi informado o horário da cremação.
O ator estava internado desde 22 de dezembro de 2011. Ele lutava contra um enfisema pulmonar. A doença se agravou em 2010, quando deu entrada no hospital com problemas cardiorrespiratórios.

Depois de 110 dias internado, Chico Anysio teve alta e chegou a voltar a trabalhar em 2011. Porém uma hemorragia digestiva o levou de volta para o hospital às vésperas do Natal. 

Sua última mulher, Malga Di Paula, esteve ao lado do marido todo o tempo. Ela compartilhava com os fãs, no Twitter, as informações sobre a saúde do comediante. 

No fim da vida, Chico fez campanha contra o cigarro, ao qual responsabilizou sua doença. 

Durante sua última internação, ele foi submetido a uma cirurgia abdominal, na qual foi retirado um segmento do intestino delgado.

 O humorista apresentou melhora após a cirurgia e chegou a descer para o quarto, mas uma infecção pulmonar complicou seu estado no fim de fevereiro e ele voltou para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). 

Seu quadro clínico piorou nas duas últimas semanas. O estado se tornou crítico nesta quinta (22). Apesar de ter perdido a batalha, Chico Anysio demonstrou ser um guerreiro incansável na luta pela vida.


Comentários