Em Búzios, taxista esclarece sobre acidente fatal com Bugre conduzido por chilenos


386718
por Guilherme Barcellos
Foto: O motorista que presenciou o acidente ocorrido com turistas chilenos na descida do Mirante de João Fernandes, negou ao PH que o Bugre tivesse atingido seu carro
O taxista Thiago Antonio esteve na tarde de quinta-feira (5) na redação do PH, para fazer esclarecimentos sobre acidente que tirou a vida de um turista chileno em 16 de março, na descida do mirante de João Fernandes. Falando sobre a matéria publicada na edição nº 1459 na qual testemunhas apontaram envolvimento do seu taxi Meriva, Thiago nega que tenha ocorrido qualquer envolvimento seu no ocorrido e desafia aqueles que teriam dito o contrário a uma acareação. De acordo com o taxista, ao se dirigir para um recuo na descida do Mirante de João Fernandes, para dar visão da praia Brava aos turistas que transportava, o motorista ouviu  um som alto vindo em sua direção proveniente de um veículo desgovernado.
- O Bugre estava sendo conduzido numa velocidade inadequada para aquele local. Ouvi o barulho como se o acelerador do veículo estivesse agarrado. Quando virei já havia acontecido o acidente; eles perderam o controle do veiculo. Em momento algum houve qualquer choque com o meu carro. Mesmo com a filha do meu passageiro, uma criança de aproximadamente cinco anos, em estado de choque, permaneci no local até estar certo de que os bombeiros estavam a caminho.
Contrariado com a versão publicada pelo PH, versão esta que nos foi passada por duas testemunhas que estiveram na redação após o ocorrido, Thiago Antônio disse que ajudou a parar o trânsito devido ao acidente e que está a disposição para prestar qualquer esclarecimento, a respeito do ocorrido. 
- O acidente foi muito grave; uma vida foi perdida. Estava mostrando Búzios para uma família de turistas náuticos que preferiram interromper o passeio depois de presenciarem o acidente fatal. Sou evangélico e em momento algum me ocorreu ter deixado de prestar qualquer esclarecimento do ocorrido. Pelo contrário. Contrariando pedido de meus passageiros de que os levasse para o ponto de embarque, chamei os bombeiros e permaneci no local até ter certeza de que estes estavam vindo – esclareceu o motorista. 
Indagado sobre qual a sua opinião em relação aos veículos piratas que são alugados constantemente em Búzios por pessoas sem credenciais para tal serviço, Thiago relatou que este tipo de atividade deveria sofrer o mesmo rigor da fiscalização que é feita nos táxis.
-Nos taxistas temos uma fiscalização rigorosa em nossos veículos o que não acontece com estes veículos alugados às vezes até por firmas piratas e alguns sem as condições adequadas para circular nas ruas- concluiu Thiago. 
do JPH

Comentários