Juiz mantém censura a livro que afirma que Lampião era homossexual


No dia 25 de novembro de 2011, o juiz da 7ª Vara Cível de Aracaju Aldo Albuquerque suspendeu o lançamento do livro "Lampião Mata Sete" a pedido de Expedita Ferreira, filha do cangaceiro . A proibição se deu porque a obra fala que o Rei do Cangaço era homossexual. Em 2012, Aldo manteve sua decisão de não publicar o romance, informou o site do Correio do Povo.
Livro proibido pela Justiça diz que Lampião era homossexual; família nega

Pedro de Morais, autor do livro, afirmou que irá recorrer da decisão no Tribunal de Justiça de Sergipe. Ele disse, ainda, que se o livro continuar censurado, vai jogar os mil exemplares restantes da obra no Rio Sergipe.


Aldo Albuquerque defende sua decisão a partir da Constituição Federal que "protege a inviolabilidade da individualidade das pessoas". Para o magistrado, os crimes cometidos pelo cangaceiro são de interesse público, mas não sua sexualidade. 
do portal imprensa

Comentários