Lei Seca: projeto que amplia provas pode ser votado nesta quarta


 Hugo Leal
Foto: David Ribeiro
Hugo Leal: projeto apresentado logo após decisão do STJ.
O presidente da Câmara, Marco Maia, poderá pautar para a próxima semana a votação do projeto que autoriza o uso de testemunhos, exame clínico, imagens e vídeos como meios de prova para confirmar o estado de embriaguez de motoristas (PL 3559/12). O projeto é de autoria do presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal (PSC-RJ).
O pedido para marcação da data de votação foi feito pelos integrantes da frente, que se reuniram com Maia nesta terça-feira. Prevista para a quarta-feira (11), a inclusão da matéria na Ordem do Dia depende, porém, de acordo com os líderes partidários.
A estratégia dos parlamentares é votar agora a ampliação do número de meios de prova, que seria consensual, e deixar para um segundo momento o aumento das penas para quem for flagrado sob efeito de álcool e a mudança nos índices de alcoolemia. Atualmente, pela Lei Seca (11.705/08), só há crime quando a concentração de álcool no motorista for superior a 0,6 grama por litro de sangue. Segundo Marco Maia, esta segunda votação poderia ser feita em até 40 dias.


Decisão judicial
A iniciativa da votação do projeto vem uma semana depois que uma das turmas recursais do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que apenas os resultados obtidos por meio de bafômetro e exame de sangue podem ser aceitos como prova de embriaguez no trânsito. Para os parlamentares da frente, a decisão comprometeu a eficácia da Lei Seca.

O PL 3559/12 foi apresentado por Hugo Leal, que é autor da proposta que deu origem à Lei Seca, no mesmo dia da decisão do STJ. O texto, construído com a ajuda de especialistas em trânsito, foi discutido com o Ministério da Justiça e com a Casa Civil da Presidência da República.
Atualmente, o debate na Câmara sobre a ampliação dos meios de prova para crimes de trânsito está concentrada no PL 2788/11, do Senado, que tramita em conjunto com mais 16 projetos. O relator na Comissão de Viação e Transportes é o deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), que ainda não apresentou parecer.
Íntegra da proposta:
Reportagem – Janary Júnior 
Edição – Ralph Machado


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'



Comentários