Bom dia! O resumo das principais notícias dos jornais desta quinta-feira, 3 de maio.


O Globo
Manchete: Depois da pressão de Dilma, ações de bancos despencam

Ex-delegado confessa crimes da ditadura

STF devolve a índios reserva no Sul da Bahia

Fotolegenda: PMs armados nas escolas

CPI convoca Cachoeira, mas não Cavendish

Pai terá de indenizar filha por abandono

Advogado é morto na porta do Fórum

Transoeste: uma obra em dois ritmos

Até bicicleta elétrica cai na Lei Seca

Dissidente cego chinês embaraça EUA

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Só as futuras poupanças devem ter regra alterada

Ativista chinês se diz ameaçado e deixa embaixada norte-americana

1ª fase da CPI foca Cachoeira e poupa deputados e governadores

STJ determina que pai pague por abandono afetivo da filha

Parto prematuro é a 2ª causa de morte até 5 anos

Elétricas podem ter de devolver R$ 7 bi a clientes

Opinião: Emanoel Araújo

Marion Strecker: Ruptura provocada pela internet na escola mal começou (Págs. 1 e Mercado B10)
Ex-delegado diz que matou e incinerou vítimas da ditadura (Págs. 1 e Poder A8)
Editoriais

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Blindagem do PT cai e Delta terá investigação ampliada

Dilma quer vincular poupança à taxa básica

Fotolegenda: Um caso sombrio

Ditadura teria incinerado corpos em usina

Pai que não cuidou da filha é condenado

Fotolegenda: Confrontos matam 11 no Egito

Câmara aprova banco de DNA de criminosos (Págs. 1 e Cidades C1)
Viracopos vai deixar de ter voos internacionais (Págs. 1 e Cidades C3)
Eugênio Bucci

Notas & Informações

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: CPI quebra sigilos e convoca Cachoeira

Quadrilha armou chantagem contra Agnelo

Seu bolso: Governo deve anunciar hoje nova poupança

Ficha corrida de agressões

STJ multa pai em R$ 200 mil por não dar amor à filha

Saúde privada: Cheque-caução é crime

Estatizações: Espanha apela ao Brasil

Briga judicial põe em risco memória de JK

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
Manchete: Importações em queda apontam recuperação

Fotolegenda: Senhor Austeridade

“Claudinho” dá as cartas no mercado

Rendimento da poupança será de 70% a 80% da Selic

WEG amplia sua linha com energia solar

Repsol replaneja seu futuro após perda da YPF (Págs. 1 e B12)
Cresce a presença brasileira nos leilões de vinhos raros (Págs. 1 e D8)
Multas a concessionárias vão mudar

Ambev eleva gastos com TI

Bühler nacionaliza a produção

Light promete mais investimentos

Recebíveis vão financiar canaviais

Cautela na bolsa

STJ revê ICMS em serviços de teles

Ideias

Ideias

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
Manchete: Clandestinos já são maioria nas estradas

Feriadão violento: 43 mortes nas rodovias de Minas. Na Páscoa foram 37 (Págs. 1 e 23)
Governo prepara as mudanças na poupança

Cachoeira: Bicheiro tinha Demóstenes no cabresto

TCE: Tribunal tenta, de novo, extinguir ações antigas

Abandono afetivo: Pai terá de pagar à filha R$ 200 mil

Deficientes são 23% da população de BH

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Nova previdência do servidor em 180 dias

Feriadão de violência nas estradas

Milho verde já está 20% mais caro

Ditadura pode ter incinerado pernambucanos

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Avança ideia de tornar crime cheque-caução cobrado em hospitais

Eleições 2012: O nome do PMDB a vice de Fortunati

Guerras e ditaduras ainda silenciam imprensa

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete: Queda de juros bancários ainda não chegou ao consumidor final

Três grupos estrangeiros disputam cachaça Ypióca

Cavendish não é chamado por CPI

Governo altera a regra da poupança

Grécia tem melhora de rating e deixa de ser grau de calote

WTorre já estuda vendado shopping center JK Iguatemi

Mastercard surpreende e lucro cresce 21%

Presidente da empresa, Gilberto Caldart, vê mercado de cartões ainda aquecido e diz que inadimplência maior no começo do ano é normal. (Págs. 1 e 32)
EBC Serviços

O polêmico estabelecimento, que ainda aguarda decisão da Justiça para abrir, pode ser comprado por grupo australiano. (Págs. 1 e 14)

Embora siga como especulativo, a S&P alterou a classificação após o país ter reduzido sua dívida em um terço com a reestruturação. (Págs. 1 e 31)

Para que os juros continuem caindo, hoje serão conhecidas mudanças nas cadernetas. (Págs. 1 e 10)

O dono da Delta não foi convocado na primeira relação. Cachoeira depõe no próximo dia 15. (Págs. 1 e 6)

Fundada em 1846 no Ceará, a fábrica de aguardente Ypióca está sendo sondada por gigantes do negócio de bebidas, os grupos Diageo, Campari e Pernod Ricard, apurou o BRASIL ECONÔMICO. (Págs. 1 e 16)

O que era para ser o sonho dos juros baixos se transforma no pesadelo da falta de informações. A reportagem do BRASIL ECONÔMICO percorreu agências dos seis maiores bancos do país e ouviu uma série de exigências para ter acesso às novas taxas. (Págs. 1 e 4)

No dia mundial da liberdade de expressão, entidades denunciam crimes contra jornalistas. (Págs. 1, 4 e 5)

Partido deve aprovar aliança e indicar Sebastião Melo na chapa com PDT. (Págs. 1 e 6)

Câmara aprovou e enviou ao Senado projeto do Executivo que fixa multa e prisão nos casos em que estabelecimentos exigem garantias antes de atender paciente. (Págs. 1 e 38)

Livro de ex-delegado do Dops reacende casos de desaparecidos como Fernando Santa Cruz e Eduardo Collier. (Págs. 1 e 4)
Abandono afetivo de filha gera multa de R$ 200 mil (Págs. 1 e 8)

Mào (50 espigas) está sendo vendida por R$ 12 por causa da seca, enquanto em 2011 não passava de R$ 10. (Págs. 1 e Economia 1)

Foram registrada 13 mortes nas rodovias que cortam o Estado, apenas uma a menos que na Semana Santa. (Págs. 1 e Cidades 2)

Discutida há cinco anos e motivo de racha entre governo e sindicatos, lei que cria regime complementar para o funcionalismo federal foi sancionada por Dilma e entra em vigor em novembro. (Págs. 1 e Economia 5)

Proporção é semelhante à do Brasil (23,9%) e à de Minas (22,6%). Acessibilidade é o maior problema, como atesta o deficiente visual Antônio José de Paula. (Págs. 1 e 25)

Em decisão inédita, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou a indenização à mulher, que na infância e adolescência não teve o mesmo tratamento dado pelo pai aos outros filhos, em Sorocaba (SP). (Págs. 1 e 10)

Projeto que encerra processos com mais de cinco anos, barrado pelo governador, é reenviado à Assembleia. (Págs. 1 e 8)

Acusado de receber propina de R$3 milhões, além de mimos como vinhos caríssimos, o senador Demóstenes Torres agia como despachante de luxo do contraventor Carlinhos Cachoeira, de quem recebia ordens. É o que mostram diálogos interceptados pela Polícia Federal. (Págs. 1, 3 e 4)

Em reunião da presidente Dilma com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, foram delineadas as ações para baixar o rendimento da caderneta. Parte delas deve ser anunciada hoje. Objetivo é evitar que, com corte maior do juro, aplicações atreladas a títulos do governo migrem em massa para a poupança. (Págs. 1 e 12)

O transporte intermunicipal oficial está perdendo cada vez mais terreno para os piratas no estado. Estimativa do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) é que o número de veículos irregulares já atinja 20 mil, superando em 21% os 16.470 da frota cadastrada no órgão, entre linhas regulares e fretados. Em algumas cidades do Norte de Minas os chamados perueiros do sistema paralelo praticamente acabaram com o transporte formal. Também na Grande BH é fácil constatar que eles estão por toda parte, como na BR-040, saída para Ribeirão das Neves. O avanço dos clandestinos, além de reduzir a arrecadação de impostos, expõe os passageiros a risco, em veículos sem inspeções periódicas. (Págs. 1, 21, 22 e o Editorial ‘Mais perigo sobre rodas’, 6)

Alexandre Schwartsman

Tony Volpon

Superior Tribunal de Justiça deve rever decisão já consolidada em súmula que veda a cobrança de ICMS sobre serviços acessórios às telecomunicações, como habilitação de celulares e transferência de assinaturas. (Págs. 1 e E1)

Piora do cenário internacional, principalmente na Europa, e dúvidas quanto ao ritmo de crescimento nos EUA e na China levam as corretoras participantes da Carteira Valor a recomendar papéis defensivos voltados à economia local. (Págs. 1 e D3)

A Ecoagro, primeira securitizadora autorizada pela CVM a estruturar e distribuir títulos do agronegócio, prepara emissão de RS 40 milhões em Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) para produtores de cana-de-açúcar, diz Moacir Teixeira. (Págs. 1 e B14)

Terceira pior distribuidora no ranking de qualidade da Aneel, a Light promete investir R$ 460 milhões neste ano para melhorar a qualidade do serviço e atender o crescimento do mercado fluminense. (Págs. 1 e B9)

A multinacional suíça Bühler iniciou a produção local de equipamentos para a indústria alimentícia em sua fábrica de Joinville (SC). Até agora, a unidade atuava apenas na montagem das máquinas, com peças importadas. (Págs. 1 e B8)

Até o fim de 2013, a Ambev pretende investir R$ 160 milhões em tecnologia da informação. Os recursos serão direcionados, primordialmente, à aquisição de softwares e dispositivos móveis. (Págs. 1 e B3)

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) discute mudanças no valor das multas impostas às concessionárias de rodovias para uniformizar os contratos celebrados antes e depois de 2008. (Págs. 1 e A5)

Depois de dois anos de pesquisas, a WEG decidiu ampliar o escopo de sua produção de equipamentos para incluir a energia solar. A área de geração, transmissão e distribuição de energia do grupo, que engloba as energias renováveis, é uma das mais importantes da WEG. No resultado do primeiro trimestre, respondeu por 23% da receita líquida total, de R$ 1,37 bilhão. Ela só fica atrás dos negócios relativos a equipamentos eletroeletrônicos industriais, que representaram 63%. Umberto Gobbato, diretor-superintendente da WEG Automação, diz que a empresa pretende, até o fim do ano, ter presença em cinco projetos de energia solar no país. (Págs. 1 e B1)

A base da proposta para a mudança da remuneração da poupança, que será encaminhada por medida provisória para o Congresso, é garantir à caderneta uma rentabilidade equivalente a 70% da taxa Selic. Discutia-se, ainda, a possibilidade de criar uma escala de acordo com o valor dos depósitos. Até uma determinada faixa (R$ 50 mil ou R$ 70 mil, por exemplo), o poupador receberia 80% da Selic e acima desse valor, 70%. Para as aplicações já existentes não deve haver mudanças.

Desde 31 de agosto, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) mudou subitamente o rumo da política de juros, o mercado ficou curioso em saber quem está por trás do fundo R&C FIM, que, apenas naquele dia, ganhou R$ 7 milhões ao antever o movimento inesperado. O dono do fundo é Cláudio Coppola Di Todaro, mais conhecido como “Claudinho”, que, sem perceber, tornou-se uma espécie de oráculo do mercado. Suas apostas de juros passaram a ser replicadas por outros investidores e até por grandes instituições. Sua empresa, a RC Gestão de Recursos, tem quatro dos dez fundos que mais acertaram resultados do Copom desde agosto. (Págs. 1 e C16)

Para o presidente do Budesbank, Jens Weidemann, conhecido como "dr. não", estabilidade de preços e união monetária são compatíveis "se as autoridades nacionais fizerem seu trabalho". (Págs. 1 e A12)

O desaquecimento na economia global ampliou, em abril, os danos ao desempenho exportador brasileiro: as vendas caíram 8% e aumentaram apenas 2% no primeiro quadrimestre, na comparação das médias diárias com igual período de 2011. Mas a queda das importações, de 3% no mês passado, indica algo mais: a fraca recuperação da economia doméstica. Isso amenizou a diminuição do saldo comercial, que fechou o mês em US$ 881 milhões.

Donos da fazenda onde o ex-presidente passou os últimos anos de vida querem vender o imóvel. No local estão livros, móveis e parte da história do homem que construiu Brasília. (Págs. 1 e 30)

Depois de suas empresas serem desapropriadas na Bolívia e na Argentina, espanhóis pedem ajuda aos brasileiros nas negociações e podem investir mais no país. (Págs. 1 e 17)

Projeto aprovado ontem pela Câmara prevê até um ano de prisão para os responsáveis dos hospitais que impuserem condições financeiras para atender casos de emergência. (Págs. 1 e 7)

A decisão do tribunal é inédita. Juristas a veem como um marco no direito de família. Antes da vitória no STJ, a autora da ação, que já é adulta, havia obtido na Justiça o reconhecimento da paternidade. Especialistas temem que a sentença estimule abusos de pessoas interessadas apenas em lucrar com a situação. (Págs. 1 e 9)

Indiciado pela polícia por injúria racial contra uma jovem negra, o médico Heverton Campos Menezes recebeu ontem a intimação para prestar depoimento. Desde 1994 ele acumula nove denúncias por vários crimes, como desacato e lesão corporal, mas ainda não foi condenado em nenhum caso. (Págs. 1, 25, 26 e Visão do Correio, 18)

A presidente Dilma deve divulgar as novas regras que vão reduzir o rendimento de novas cadernetas de poupança, conforme antecipou o Correio Braziliense há duas semanas. Mas há também uma boa notícia: vai diminuir o Imposto de Renda sobre a participação de funcionários no lucro das empresas. (Págs. 1 e 12)

Escutas telefônicas mostram que Carlinhos Cachoeira tentou enfraquecer o governador para que o GDF atendesse aos interesses da construtora Delta. Em várias ligações, o araponga Idalberto Matias, o Dadá, combinou com o chefe da organização criminosa a utilização de suposta denúncia do Ministério Público para desestabilizar politicamente o petista. O porta-voz da campanha era sempre o senador Demóstenes Torres, braço político da quadrilha. (Págs. 1 e 4)

Ao decidir que delegados da Polícia Federal e procuradores que participaram da Operação Monte Carlo serão os primeiros a depor, a CPI do Cachoeira enfrentou um impasse: o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, rejeitou o convite. A comissão quer que ele explique a suposta demora em pedir a abertura de inquérito contra o senador Demóstenes Torres, uma das peças-chaves do escândalo de corrupção. O parlamentar e Cachoeira vão ser interrogados ainda neste mês. O bicheiro, no dia 15. O senador, no dia 31. Pelo menos de início, o plano de trabalho da CPI não inclui a convocação de governadores suspeitos de ligações com o esquema do contraventor. E não está afastada a hipótese de as investigações sobre a Delta Construções serem estendidas a todo o país. (Págs. 1 e 2 a 5)

Ministro sem agenda

Por que matar jornalistas?

Ferido é socorrido no Cairo: ao menos 11 pessoas morreram e 200 ficaram feridas em confrontos nas ruas. (Págs. 1 e Internacional A19)

O Superior Tribunal de Justiça reconheceu que filhos cujos pais deixaram de cumprir a obrigação legal de cuidar deles têm direito a indenização. Em decisão inédita, o STJ fixou em R$ 200 mil o valor que um acusado de abandonar a filha tem de pagar a ela pelos danos morais. O pai negou o abandono, mas admitiu ter agido com 'desmazelo'. (Págs. 1 e Vida A26)

Um livro divulgado ontem sugere que corpos de militantes mortos pela ditadura em São Paulo e no Rio foram incinerados numa usina de cana em Campos dos Goytacazes (RJ), nos anos 70 e 80. Memórias de uma Guerra Suja, com depoimentos de Cláudio Guerra, ex-delegado e acusado de envolvimento com o crime organizado no Espírito Santo, indica que entre as vítimas está o comunista David Capistrano. (Págs. 1 e Nacional A11) 

O ativista cego Chen Guangcheng chega a hospital de Pequim após sair da Embaixada dos EUA porque sua família foi ameaçada; apesar de garantias de Washington, ele corre risco, dizem colegas. (Págs. 1 e Internacional A14)

O governo decidiu apressar as mudanças na regra de remuneração da caderneta de poupança para abrir espaço para a continuidade dos cortes de juros. Ontem, a presidente Dilma Rousseff pediu novos cálculos ao ministro da Fazenda, Guido Mantega. A alternativa que ganhou maior adesão nos últimos dias é a que garante ao poupador um rendimento de 80% da taxa Selic, que hoje está em 9% ao ano. (Págs. 1 e Economia B1)
Dilma Rousseff se reunirá hoje com sindicalistas, empresários e integrantes do conselho político. (Págs. 1 e Economia B3)

CPI quer apurar ligações da empreiteira com Cachoeira, mas, por ora, não convoca governadores suspeitos
Análise: Dora Kramer
Sérgio Cabral precisa explicar conduta e provar honestidade. (Págs. 1 e A6)

Leia “Censo de problemas”, sobre dados sociais decepcionantes; e “Trilhos e corredores”, acerca de queda no transporte por ônibus em São Paulo. (Págs. 1 e Opinião A2)

Por que querem afinal acabar com a Fundação Bienal?

Um parecer técnico do Tribunal de Contas da União vai recomendar a seus ministros que obriguem as 63 distribuidoras de energia do país a devolver R$ 7 bilhões cobrados a mais dos consumidores na conta de luz durante pelo menos sete anos. O próprio TCU identificou a falha, em 2007. (Págs. 1 e Mercado B1)

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que complicações do parto prematuro são a segunda causa de morte até cinco anos, atrás da pneumonia. O Brasil, com 279 mil casos em 2010, está em faixa intermediária. Para especialista, o dado põe o país em “situação de atenção”. (Págs. 1 e Saúde C10)

Em decisão inédita no país, o Superior Tribunal de Justiça condenou um pai a pagar indenização de R$ 200 mil por abandono afetivo à filha que teve fora do casamento, hoje adulta. 
Para a relatora do caso, ministra Nancy Andrighi, abre-se “um caminho para a humanização da Justiça”. O advogado do pai afirmou que deve recorrer. (Págs. 1 e Cotidiano C1)

A primeira fase de depoimentos da CPI do Cachoeira foca o grupo do empresário Carlinhos Cachoeira, poupando o comando da construtora Delta e políticos — deputados e governadores. 

Após seis dias refugiado na embaixada norte-americana, o dissidente cego Chén Guangcheng deixou o local e se internou em um hospital de Pequim. Ele disse que o governo chinês ameaçou espancar sua mulher até a morte. A China acusou os Estados Unidos de interferir em um assunto doméstico e quer uma retratação do governo americano. (Págs. 1 e Mundo A14)

Dilma pode anunciar hoje mudança na remuneração para facilitar a queda dos juros
As mudanças devem atingir só as novas aplicações. Entre as propostas em debate, estão a que prevê associar a remuneração a um percentual da Selic, a cobrança de IR e a correção com base em um índice de preços. (Págs. 1 e Poder A4 e A6)

O dissidente cego Chen Guangcheng deixou os EUA num embaraço diplomático, ao dizer que só concordou em sair da embaixada americana em Pequim após ameaças de morte do governo chinês à sua mulher. Os EUA negam ter transmitido tal mensagem. (Págs. 1 e 29)

Ao parar sua bicicleta elétrica para filmar uma blitz da Lei Seca montada sobre a ciclovia do Arpoador, um cinegrafista teve o veículo rebocado por não portar habilitação e estar sem capacete. (Págs. 1 e 15)

Com data para serem inauguradas — 13 de junho, início da Rio+20 —, as obras do corredor expresso BRT Transoeste aceleram no trecho Barra-Recreio, mas andam devagar após o Túnel da Grota Funda até Santa Cruz. (Págs. 1 e 14)

Advogado e dono de duas escolas, Benedito do Carmo Mangia, de 60 anos, foi executado com um tiro na porta do Fórum da Barra, onde participaria de uma audiência. O atirador simulou uma pane no carro para emboscar a vítima. (Págs. 1 e 19)

Em decisão inédita, o Superior Tribunal de Justiça condenou um pai a pagar R$ 200 mil à filha por abandono afetivo. Ela obteve na Justiça reconhecimento da paternidade e alegou que não recebeu o tratamento dado aos irmãos. (Págs. 1 e 10)

No plano de trabalho para os primeiros 180 dias da CPI mista de Carlinhos Cachoeira, apresentado ontem pelo relator Odair Cunha (PT-MG), já consta a convocação e quebra de sigilos do bicheiro, mas ainda não há previsão de depoimentos do dono da Delta, Fernando Cavendish, e de governadores envolvidos no escândalo. (Págs. 1 e 3)

O PM João Carlos Oliveira faz a segurança do Colégio Júlia Kubitschek em seu dia de folga. Os policiais que aderirem ao Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) podem trabalhar armados e revistar alunos. (Págs. 1 e 19)

O STF anulou ontem, por sete votos a um, títulos de propriedade de fazendeiros que ocupavam terras numa reserva de índios pataxós, na Bahia. A área, de 54 mil hectares, tem sido palco de conflitos. (Págs. 1 e 11)

O ex-delegado do Dops Cláudio Antônio Guerra diz, em livro de memórias, que corpos de militantes foram incinerados numa usina de açúcar no Rio e que Sérgio Fleury foi assassinado pelo próprio regime. (Págs. 1 e 13)

Nova fórmula para a correção da poupança será apresentada hoje

No primeiro dia útil após o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff na TV atacando os bancos pelos juros altos, o mercado reagiu e as ações das principais instituições financeiras do país despencaram. Enquanto o Ibovespa, índice de referência do mercado, subiu 0,98%, os papéis de todos os bancos recuaram. Os do Banco do Brasil (BB) caíram 2,71% por que os analistas entendem que a instituição pode ter sua margem de lucro reduzida com o corte drástico dos juros determinado pelo governo. Mas caíram também ações de Itaú Unibanco PN (-2,48%), Bradesco PN (-1,4%) e Santander (-0,19%). Para especialistas, as quedas mostram a aversão dos investidores a interferências do governo no setor. Cientistas políticos dizem que, com o discurso de Primeiro de Maio, Dilma quis fazer a população pressionar os bancos. Hoje, a presidente se reúne com políticos, empresários e líderes sindicais para apresentar a proposta do governo para mudar a remuneração da caderneta de poupança. Uma das alternativas é ter remuneração variável entre 65% e 80% da taxa básica de juros (Selic), em vez de TR mais 6% ao ano, como é hoje. A mudança só valerá para os novos depósitos. (Págs. 1 e 21 a 23)

O governo deve anunciar hoje mudanças nas regras da poupança. O novo modelo foi discutido ontem pela presidente Dilma com o ministro Guido Mantega (Fazenda) e com o presidente do BC, Alexandre Tombini. 

A investigação sobre a empreiteira se limitará à sua atuação no Centro-Oeste. Cachoeira e o senador Demóstenes Torres serão ouvidos neste mês. (Págs. 1 e Poder A8)

Querem acabar com uma das poucas instituições de respeito internacional: a Fundação Bienal de São Paulo, com magníficos 60 anos de existência. Esse desmando do Ministério da Cultura deveria levar a uma comoção paulistana. (Págs. 1 e Opinião A3)

A CPI do Cachoeira tirou a blindagem montada pelo PT para proteger o governo federal e decidiu investigar em todo o Brasil, e não só no Centro-Oeste, as ligações da empreiteira Delta, que executa obras do PAC, com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Quanto aos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiroz (PT-DF) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), a CPI nada decidiu. Os nomes de Agnelo e Perillo aparecem nas escutas telefônicas obtidas pela Polícia Federal. Quanto a Cabral, os parlamentares de oposição desejam convocá-lo por causa da ligação com o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta e suspeito de ser “sócio oculto” de Cachoeira. (Págs. 1 e Nacional A4 e A6 a A8)

Crescimento em pauta

Um país em que os repórteres são fuzilados é um país em que o direito à informação está sendo seqüestrado. A liberdade de imprensa reflui. (Págs. 1 e Espaço Aberto, A2)

O despreparo de Brizola Neto combina com o critério para o preenchimento de vagas no governo. (Págs. 1 e A3)

As compras externas de matérias-primas e bens intermediários caíram 6,6% em relação a abril de 2011, indicando fraco apetite da indústria por insumos, enquanto as de bens de consumo recuaram 11%, arrastadas pela menor importação de automóveis. Já as exportações de produtos básicos diminuíram 7,2% e as de industrializados, 8,2% na mesma base de comparação. Para o economista Francisco Pessoa, da LCA Consultores, os indicadores de abril conhecidos até agora acendem “um sinal amarelo” para a indústria no início do segundo trimestre. (Págs. 1 e A3)

A divulgação da medida foi adiada para hoje. A presidente Dilma Rousseff terá, à tarde, vários encontros para obter apoio político à alteração das regras da poupança. Primeiro, com o Conselho Político e, em seguida, com as centrais sindicais e empresários. Antes, deverá ter nova discussão com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para fechar o texto final. (Págs. 1 e C1)

Situação da indústria e do mercado de crédito mostra que o “modelo Lula” de crescimento chegou à exaustão. (Págs. 1 e A14)

De 2009 a 2011, quase toda a perda de participação dos manufaturados se deveu à queda de preços em relação aos primários. (Págs. 1 e A15)

Comentários