Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais desta sexta-feira, 18 de maio.


 


 


O Globo
Manchete: Lei de Acesso - Executivo sai na frente e manda divulgar salários
Já Legislativo e Judiciário ainda estudam se vão abrir dados sobre suas folhas

O Palácio do Planalto determinou ontem a divulgação dos salários dos servidores do governo federal com base na Lei de Acesso à Informação Pública, mas Legislativo e Judiciário ainda não decidiram como agir. Os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, conversaram e vão aguardar a execução da medida pelo governo antes de anunciar se seguirão pelo mesmo caminho. Mas dirigentes dos dois poderes já declararam que a publicação de salários pode ferir a intimidade ou até a segurança de servidores — o que levaria o assunto a uma batalha judicial. Um dia depois da instalação da Comissão da Verdade, um dos integrantes do grupo, o advogado José Paulo Cavalcanti, afirmou que a presidente Dilma pediu prioridade na busca aos desaparecidos políticos. (Págs. 1, 3 e 10)

A imagem da presidente Dilma ao lado dos ex-presidentes Sarney, Collor, FH e Lula, na instalação da Comissão da Verdade, é testemunho de que o Brasil subiu um patamar na sedimentação da maturidade política e do regime democrático. Como discursou Dilma, foi de fato um ato de Estado. (Págs. 1 e Editorial)

CPI não chama governadores e Cavendish
Parlamentares da CPI que apura as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos, governos e empresas aprovaram ontem a convocação de 51 pessoas, mas pouparam o dono da Delta, Fernando Cavendish, e os governadores citados nas investigações. O relator Odair Cunha (PT-MG) nega acordo para blindar governadores: “Chamá-los agora, sem indícios suficientes, é fazer da CPI palco para se defenderem.” (Págs. 1 e 9)

Fotolegenda: Fernando Collor, que não conseguiu convocar jornalista para depor, observado por Chico Alencar e Miro Teixeira em sessão da CPI.

Agência rebaixa 16 bancos da Espanha
Com o país mergulhado na recessão, a agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota de 16 bancos espanhóis, entre eles o Santander, aumentando o temor sobre o agravamento da crise europeia. Já a Grécia, ameaçada de sair da zona do euro, foi rebaixada pela agência Fitch. A Bovespa fechou em baixa de 3,31%, no oitavo dia seguido de queda. Com a alta do dólar, a dívida das empresas brasileiras cresceu R$ 18,7 bilhões. (Págs. 1 e 27 a 29)



Pimentel viajou em avião de empresário
O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel (PT), usou um avião fretado pelo empresário João Dória Júnior para viajar em outubro do ano passado da Bulgária, onde integrava uma comitiva oficial do governo, para a Itália, onde se reuniu com empresários em evento organizado por Dória. A Comissão de Ética Pública deve analisar o caso. (Págs. 1 e 4)
Privatização do Galeão deve sair este mês
A área técnica do governo está preparada para o anúncio, este mês, da privatização do Galeão e de Confins, durante a assinatura dos contratos dos terminais já leiloados (Guarulhos, Brasília e Viracopos). O crescimento dos aeroportos e a necessidade de investimentos levaram Dilma a aprovar o leilão. (Págs. 1 e 32)
Rio+20
Extremos de chuva no Norte e seca no Nordeste do Brasil, este ano, desafiam cientistas climáticos que participarão da Rio+20. Os fenômenos são naturais, mas a frequência vem aumentando de maneira incomum, segundo eles. (Págs. 1 e Ciência)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: CPI poupa políticos e Delta, e senadores falam em pizza
Acordo entre governo e oposição restringe apuração a Cachoeira e auxiliares

Após acordo entre governo e oposição, a CPI do Cachoeira engavetou pedidos para investigar tanto a empreiteira Delta como governadores e parlamentares acusados de envolvimento com Carlinhos Cachoeira.

A Delta só será alvo de apuração em seu escritório do Centro-Oeste. A comissão livrou, por ora, seu presidente licenciado, Fernando Cavendish. “Generalização cheira a devassa”, disse Paulo Teixeira (PT-SP). (Págs. 1 e Poder A4)

Análise

CPI precisa de novas provas, diz Fernando Rodrigues. (Págs. 1 e A8)

Por torpedo, deputado do PT promete blindar Sérgio Cabral
Por celular, o petista Cândido Vaccarezza prometeu ao governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), que o governo o blindará na CPI do Cachoeira. O deputado foi flagrado enviando o torpedo a Cabral durante a sessão da CPI: “Não se preocupe, você é nosso e nós somos teu [sic]”, escreveu ele, que disse se tratar de uma conversa entre amigos. (Págs. 1 e Poder A8)

“A relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe, você é nosso e nós somos teu [sic]”
Cândido Vaccarezza em mensagem de texto a Sérgio Cabral

Órgão federal terá de revelar nome e salário de servidor (Págs. 1 e Poder A10)


Fotolegenda: No topo
Técnicos da Aeronáutica instalam equipamentos na nova torre de controle do aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade; com 44 metros, ela tem o dobro da altura da antiga, que está em operação desde 1945. (Págs. 1 e Cotidiano C6)
Perícia da PF pode ajudar defesa de Eduardo Azeredo
Uma perícia da PF diz não ser possível garantir a veracidade de uma assinatura do deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG) em um recibo de R$ 4,5 milhões, valor supostamente destinado a caixa dois na sua campanha ao governo de Minas Gerais em 1998. (Págs. 1 e Poder A15)
Síria tem arma de destruição em massa, afirma Patriota
Em sabatina promovida pela Folha, o chanceler Antonio Patriota disse que o regime sírio e Bashar Assad tem armas de destruição em massa e que se suspeita que sejam biológicas. O fato justificaria a disposição para o diálogo que o Brasil tem tido com o regime de Assad.

“Você imagine o potencial desestabilizador que isso pode ter”, disse. (Págs. 1 e Mundo A20)

Dados negativos fazem o governo estudar medidas para a economia
Novos indicadores negativos acenderam o sinal amarelo e levaram o governo a estudar medidas para reativar a economia. Estão em análise ações na área de crédito a empresas, principalmente para o setor automotivo. Há quem defenda até aumentar os gastos públicos e reduzir o aperto fiscal para estimular o consumo e o investimento. (Págs. 1 e Poder A16)
Sistema do metrô deveria ter sido trocado em 2011
O sistema de sinalização da linha 3 do metrô paulistano, cuja falha provocou o choque entre dois trens, deveria ter sido trocado até julho do ano passado por um mais moderno e seguro.

A Alstom, que venceu a concorrência, disse que a conclusão se dará em dezembro de 2012. (Págs. 1 e Cotidiano C1)

Editoriais
Leia “Arreglo na comissão”, sobre acordo para esvaziar CPI do Cachoeira, e “Colisão no metrô”, acerca de acidente com trens em São Paulo. (Págs. 1 e Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma publicará salários do Executivo e irrita servidores
Funcionários públicos alegam que decisão expõe sua intimidade e dizem que ‘transparência tem limite’

A presidente Dilma Rousseff mandou publicar na internet os salários e “quaisquer vantagens pecuniárias” de todos os ocupantes de cargos no Executivo, um dia depois da entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação. Servidores federais ameaçam ir à Justiça, porque dizem que sua intimidade foi exposta. “Transparência tem limite”, disse o dirigente de confederação de servidores federais Jose Milton Maurício da Costa. “A corrupção não se dá no contracheque do servidor”, argumentou o líder de sindicato de funcionários públicos do Distrito Federal, Oton Pereira. Para a Controladoria-Geral da União, a informação sobre esses vencimentos “não é de caráter estritamente pessoal, porque o salário é pago com recurso público” e é fixado por lei - logo, é público desde a origem. A decisão de Dilma deve constranger os demais Poderes - o Senado já decidiu que seus vencimentos são informação protegida. (Págs. 1 e Nacional A4)

Oton Pereira
Sindicalista

“Hoje o governo Dilma virou balcão de negócios. Esses (os servidores comissionados) é que têm de ter sua renda exposta”.

Governo quer incentivar crédito para automóveis
Para ajudar a desovar os estoques das montadoras, o governo estuda liberar parte do dinheiro que os bancos são obrigados a manter depositado no Banco Central para aumentar o financiamento de automóveis. Além disso, a equipe econômica pode mudar as regras para ampliação do número de prestações e redução das entradas e dos juros dessas operações. (Págs. 1 e Economia B1) 
CPI poupa matriz da Delta e governadores
A CPI do Cachoeira poupou ontem a matriz da empreiteira Delta, que está em processo de negociação de venda, restringindo a quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico às filiais do Centro-Oeste. Os parlamentares também preservaram o dono da Delta, Fernando Cavendish, e governadores. (Págs. 1 e Nacional A6)
Fotolegenda: Caminhão volta ao centro
Caminhão trafega na Avenida Paulista: os chamados Veículos Urbanos de Carga (VUCs) foram liberados ontem pelo prefeito Gilberto Kassab para circular em horários de pico no centro expandido; antes, os cerca de 24 mil caminhões de pequeno porte só podiam abastecer os pontos comerciais das l0h às 16h. (Págs. 1 e Cidades C4)
Ex-refém é acusado de ajudar as Farc (Págs. 1 e Internacional A20)


Rio+20 quer mudar padrões de consumo (Págs. 1 e Vida A27)


Celso Ming
Mais saci do que tripé

Sem aviso prévio e sem maior satisfação à sociedade, o tripé de política econômica, tal como o conhecemos no País desde 99, está sendo desfeito. (Págs. 1 e Economia B2)

Thomas Friedman
Que venha a revolução

Bem-vindo à revolução no ensino das universidades: uma plataforma interativa que agregará as melhores universidades do mundo. (Págs. 1 e Visão Global A24)

Tutty Vasques
A mutação dos ecochatos

O fracasso histórico da Rio+20 vem sendo construído há meses em seus mínimos detalhes pelos organizadores e participantes do evento. (Págs. 1 e Cidades C6)

Notas & Informações
Uma fala exemplar

Na posse da Comissão da Verdade, a fala de Dilma foi exemplar pela dignidade, correção e limpidez. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: # Abaixo A Mordomia
A pressão popular pelo fim do 14° e do 15° salários na Câmara dos Deputados chegou às redes sociais e ganhou apoio de instituições da sociedade civil. A expressão que se tornou manchete do Correio Braziliense hoje foi tuitada ontem pela atriz Maria Paula para cobrar a extinção do privilégio. “Sei que a minha indignação é a indignação da maior parte da população”, disse. A escritora Elisa Lucinda e o humorista Welder Rodrigues, do grupo Os Melhores do Mundo, engrossaram o coro. O pagamento é uma afronta aos brasileiros que trabalham duro, em um momento de crise mundial, para sustentar a benesse. A campanha é endossada pelo povo nas ruas e por organizações como OAB, CNBB, Transparência Brasil e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE). (Págs. 1, 2, 3 e Visão do Correio, 14)
Servidor da Câmara terá aumento salarial
Reajuste em gratificação vai garantir ganhos entre 10% e 30% para os funcionários ativos e inativos, a partir deste mês. (Págs. 1 e 12)
Cachoeira: Por enquanto, CPI não ouvirá governadores
Comissão decide convocar 51 pessoas, a maioria ligada ao bicheiro Cachoeira. Mas a votação de requerimentos para ouvir três governadores acabou adiada. (Págs. 1, 4 e 6)
Concurso: OAB diz que edital da PM é homofóbico
A seleção de oficiais de saúde proíbe a participação de candidatos com "transtorno de identidade sexual". A corporação prometeu alterar as regras. (Págs. 1 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Governo avalia corte de IOF no crédito de carros
Sensível aos apelos da indústria automobilística, o Ministério da Fazenda quer evitar que os estoques acumulados nas concessionárias e nos pátios das montadoras evolua para uma crise no setor. O governo pode agir nos próximos dias para baratear o crédito na aquisição de veículos, reduzindo de 0,5 a até um ponto percentual a alíquota de 2,5% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide nas operações de financiamento. A ideia é que a atuação oficial fique restrita ao crédito. Novos estímulos tributários à indústria estão praticamente descartados, uma vez que o espaço fiscal do governo para o ano está comprometido.

Representantes da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) têm concentrado seus esforços em obter uma nova redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Na terça-feira, o presidente da Anfavea e da Fiat, Cledorvino Belini, se encontrou com o ministro Guido Mantega. No dia seguinte, voltaram a conversar por telefone. Ontem, representantes da Anfavea se reuniram com integrantes do alto escalão da Fazenda. (Págs. 1 e A3)

Procurador exige mudança na Cimpor
Parecer do procurador-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Gilvandro Vasconcelos de Araújo, reprova a entrada do grupo Votorantim na cimenteira portuguesa Cimpor e aprova, com restrições, a aquisição feita pela Camargo Corrêa. Os negócios foram realizados em fevereiro de 2010. Segundo o documento, a presença da Votorantim na Cimpor ampliaria significativamente o poder de concentração no mercado brasileiro, uma vez que ela já detém participações que variam de 31% (no Sudeste) a 89% (no Sul).

No caso da Camargo, a concentração não alcançaria 20% na média do mercado nacional. No entanto, do ponto de vista da competição horizontal, Camargo e Cimpor, juntas, superariam esse percentual em vários Estados. Diante disso, o parecer recomenda que a Camargo se desfaça de ativos em cimento e concreto.
(Págs. 1 e B1)

Brasil começa a sofrer contágio da crise
O contágio da economia brasileira pela crise na Europa se intensificou. O crédito externo parou completamente para as empresas em maio. Desde o fim de abril, quando Braskem e Banco do Nordeste fecharam operações no total de US$ 800 milhões, nenhuma outra companhia se arriscou a acessar os mercados internacionais. O aumento da aversão ao risco, que ao lado de medidas adotadas pelo governo levou o dólar a superar a barreira dos R$ 2, acentuou a saída de investidores. Em maio, a Bovespa já caiu 12,6%, o maior recuo desde outubro de 2008, auge da crise internacional.

Por causa da perda de valor do real, investidores começam a se preocupar com o endividamento das companhias. Parte significativa das dívidas das empresas brasileiras é em moeda estrangeira, o que significa que haverá impacto nos balanços quando forem convertidas em reais pelo câmbio do fim do trimestre.

Levantamento do Valor Data com 238 demonstrações contábeis do primeiro trimestre mostra aumento de quase 50% na dívida financeira líquida. (Págs. 1 e A16)

Aneel multa Bertin por termelétrica
A situação já crítica dos projetos de energia assumidos pelo Grupo Bertin se agravou ainda mais. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu multar a empresa em R$ 63 milhões pelo atraso na construção da termelétrica José de Alencar, uma das usinas a gás assumidas pela empresa em 2008 e que não saíram do papel. Segundo a Aneel, a empresa tem ao menos mais seis usinas "em situação muito delicada" a serem analisadas.

O grupo informou que pretende "defender seus interesses neste caso, mesmo que por via judicial". (Págs. 1 e B6)

Atraso marca petroquímica em Suape
A Petroquímica Suape não cumpriu seu cronograma de colocar em operação a fábrica de PTA (ácido tereftálico purificado), matéria-prima para a produção de resina PET, no início do ano. A Petrobras está "reformulando" seus projetos e as estimativas mais otimistas preveem o início da produção para o fim do ano ou início de 2013. O complexo industrial da Petrobras, com investimentos de cerca de US$ 2,5 bilhões, prevê outras duas fábricas - de resinas para embalagens PET e de fios têxteis -, que também estão em compasso de espera. (Págs. 1 e B8)
Saída da Grécia do euro põe o mundo em risco
A irritação com a Grécia na Europa alcançou níveis extremos. Afinal, 80% dos gregos dizem ser a favor da permanência do país na zona do euro, mas não elegem políticos preparados para implementar o programa negociado. Isso deixa os credores loucos. Eles estão cada vez mais inclinados a aceitar a saída da Grécia do grupo da moeda única, até a festejam. Mas precisam ter cuidado com o que desejam.

O perigo de contágio é óbvio. Já o risco de longo prazo é mais sutil. Ou a zona do euro é uma união monetária irrevogável ou não - e se países em dificuldades saem, não é. Seria, nesse caso, um sistema de moeda fixa excepcionalmente rígido. Isso terá dois resultados terríveis: as pessoas não confiarão na sobrevivência do euro e as vantagens econômicas da moeda única em grande medida desaparecerão. (Págs. 1 e A13)

Indústria canavieira agoniza no Rio
O destino de duas das principais usinas de cana de Campos dos Goytacazes é emblemático da situação enfrentada pela região. A Usina Sapucaia, a maior do polo, teve a falência decretada em abril e depois suspensa pela Justiça até a próxima assembleia de credores. Já o empresário Renato Abreu decidiu parar de vez as atividades comerciais da Usina Pureza, na vizinha São Fidélis, e transformá-la em escola e museu. "Não tem cana para moer. Estava comprando cana a 100 quilômetros de distância".

A região de Campos, hoje mais conhecida por abrigar as maiores reservas de petróleo do país, chegou a ter 23 usinas em funcionamento. Hoje, restam apenas três. (Págs. 1 e B14)

Divulgação de votos do Copom divide ex-diretores do BC (Págs. 1 e C1)


Os bancos na berlinda, no Brasil e no mundo (Págs. 1 e Eu & Fim de Semana)


Consumo avança 3% no 1º trimestre
Aumento do salário mínimo e as medidas de estímulo ao setor de linha branca sustentaram o desempenho do varejo no primeiro trimestre, com vendas 3% superiores ao período imediatamente anterior. (Págs. 1 e A4)
"Frenazo" argentino
Economia argentina já dá sinais de freada brusca e o crescimento do PIB no ano não deverá ultrapassar os 2%, resultado das barreiras às importações e do desaquecimento econômico no Brasil. (Págs. 1 e A11)
Soja tem prêmio recorde
Impulsionado pela quebra da produção na América do Sul, o prêmio pago pela soja nos portos brasileiros atingiu o maior valor em pelo menos cinco anos, com alta de 250% em relação ao período fevereiro-maio do ano passado. (Págs. 1 e B12)
Rússia perde US$ 100 bí em um ano
A fuga de capital da Rússia para o exterior chegou à cifra de US$ 100 bilhões nos últimos 12 meses, como reflexo das incertezas políticas quanto às reformas no país, apesar da melhora do cenário econômico local. (Págs. 1 e C3)
Basileia 3 exigirá US$ 566 bi
Os 29 maiores bancos do mundo precisarão levantar US$ 566 bilhões em capital adicional, ou 23% a mais do que tinham no fim de 2011, para se adaptar às regras mais duras de capital mínimo do Acordo de Basileia 3. (Págs. 1 e C7)
Chineses ficam com West LB no Brasil
O China Construction Bank, segundo maior banco chinês em valor de mercado, fechou a compra dos ativos do banco alemão West LB no Brasil. Os termos do negócio não foram revelados. (Págs. 1 e C9)
Remessa livre de IR
Superior Tribunal de Justiça (STJ) decide que não há retenção de Imposto de Renda na fonte sobre remessas de pagamento por serviços prestados por empresas estrangeiras sem estabelecimento no Brasil. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Claudia Safatle

Crescer pelo estímulo ao consumo com maior oferta de crédito não é mais uma receita disponível para o país. (Págs. 1 e A2)

Ideias
Naercio Menezes Filho

Pode ser que devamos proteger a indústria, mas o argumento de que ela gera melhores empregos não se sustenta. (Págs. 1 e A15)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Estacionamentos em igrejas têm os dias contados (Págs. 1 e 21)


Cachoeira: CPI deixa políticos fora da investigação (Págs. 1, 3 e 4)


Dólar em alta: quem ganha e quem perde (Págs. 1 e 13)


Pouco avanço contra a pedofilia (Págs. 1 e 12)


Omissão e morte: Juiz nega proteção e mulher é estrangulada (Págs. 1 e 24)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Dengue cai no País mas avança no Estado
Nos primeiros quatro meses do ano, casos da doença subiram 203% em Pernambuco. Em quase todos os demais Estados houve redução. No Recife, notificações saíram de 1.680 para 7.790. (Págs. 1 e Cidades 4)
Bacia leiteira é reforçada na seca
Governo anuncia reajuste do litro de leite pago ao produtor de R$ 0,76 para R$ 1 e inaugura adutoras e sistemas de abastecimento. Duas fábricas de gesso foram flagradas roubando água da Adutora do Oeste. (Págs. 1, Economia 1 e Cidades 3)
Federais em greve deixam 50 mil sem aula
Professores da UFPE, Rural e Univasf aderiram, ontem, a movimento nacional. (Págs. 1 e Cidades 1)
Ahmadinejad estará presente na Rio+20
O polêmico presidente do Irã confirmou sua vinda para o encontro ambiental. (Págs. 1 e Cidades 5)
UPE pode ter câmpus na Arena da Copa
Sete dos principais cursos da instituição, incluindo medicina estão no projeto. (Págs. 1 e Economia 5)
Temer defende Comissão da Verdade
Vice-presidente diz que não é preciso convencer militar contrário às investigações. (Págs. 1 e 4)
Lei do Acesso começa a pressionar os poderes (Págs. 1 e 4)


------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Dilma divulgará salários de servidores e Piratini promete fazer o mesmo
Decreto da presidente manda publicar nome do funcionário, remuneração básica e vantagens. No serviço público estadual, regra deve valer até final do ano. (Págs. 1 e 6)
Cachoeira: Deputado promete e CPI livra Cabral
Flagrado por TV, torpedo de Cândido Vaccarezza (PT-SP) revelou acordão que pode levar a “pizza”. (Págs. 1 e 8)
Eleições 2012: Villaverde pressionado a desistir
De olho na prefeitura de SP, PT nacional pede apoio a Manuela em Porto Alegre. (Págs. 1 e 12)
Magistério: Recorde de reprovação força novo concurso
92% dos professores não passaram nas provas, em novo alerta para a educação do RS. (Págs. 1, 4 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Custo do engarrafamento em São Paulo já está em R$ 52,8 bi ao ano
Os prejuízos causados pela lentidão do trânsito na capital já representam cerca de 13% do PIB da cidade. O estudo, publicado com exclusividade pelo BRASIL ECONÔMICO, é do secretário municipal Marcos Cintra. Em 2008, a estimativa era de R$ 33 bi. (Págs. 1 e 6)
Gigante da logística coloca US$ 6,5 bilhões no Brasil
Ao mesmo tempo em que aumenta o valor dos fretes e corta rotas deficitárias, a dinamarquesa Maersk prepara investimentos em portos e petróleo no país, apurou o BRASIL ECONÔMICO. (Págs. 1 e 14)
Portabilidade vai ser arma do BB
Banco quer intensificar briga por cliente com oferta on-line de crédito imobiliário. (Págs. 1 e 24)
Um Setúbal dobra o lucro da Itautec
Como, em apenas 2 anos à frente do conselho, Ricardo Setubal deu virada na empresa. (Págs. 1 e 26)
Crise provoca uma corrida a bancos na Espanha e Grécia
Somente o espanhol Bankia, parcialmente nacionalizado, sofreu saques de mais de € 1 bilhão em uma semana. (Págs. 1 e 25)

Expansão industrial passa por integração com outros países
Seminário em homenagem aos 60 anos do BNDES discute potencial do mercado latino-americano. (Págs. 1 e Suplemento Especial) 
EBC Serviços

Comentários