Dia Mundial da Liberdade de Imprensa: jornalistas divergem sobre risco desse direito ser violado no Brasil


Anderson Scardoelli

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, comemorado na quinta-feira, 3, conforme definição da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, o tema provoca divergência entre jornalistas. Há os que acreditam que esse direito não corre o risco de ser violado no País e sugerem que o trabalho da mídia precisa ter limites definidos por lei. Outros, porém, acreditam existir a ameaça à liberdade de imprensa no País.

Colunista da versão online de O Globo, Ricardo Noblat afirma que a Liberdade de Imprensa existente no Brasil é mínima e que até mesmo a situação ínfima pode desaparecer. Ele cita que poucos veículos de comunicação conseguem exercer esse direito com plenitude. Além de criticar a postura adotada pelo governo, o jornalista diz que essa liberdade também está em risco devido à iniciativa privada. Declara que os patrocinadores têm força sobre a linha editorial de diversas empresas de comunicação. 

liberdade_de_imprensa
“Temos muito pouco de Liberdade de Imprensa no Brasil. Isso acontece pela dependência econômica dos veículos. São pouquíssimos os que conseguem se manter de forma independente, sem precisar de dinheiro. E essa dependência não é em relação somente ao governo, mas também à iniciativa privada. Os patrocinadores interferem nos assuntos que são discutidos, o que interfere na publicação”, conta Noblat. “Enquanto não tiver independência financeira, haverá controle da liberdade de imprensa”, conclui.

Ao contrário do jornalista de O Globo, o diretor da Agência Dinheiro Vivo, Luis Nassif, afirma que o direito à Liberdade de Imprensa no Brasil não só está assegurado, como tem se fortalecido. O jornalista conta que as redes sociais ajudaram todo o tipo de conteúdo ganhar espaço – sem precisar da aprovação dos editores da “velha mídia”, como define. Nassif avalia que á Liberdade de Imprensa tem que ter controle. “Todo poder tem limite, porque a imprensa não pode ter? É necessário, pois a mídia, principalmente a reportagem investigativa, não pode estar associada ao crime organizado”.

A criação de leis que visam ditar o trabalho da mídia é justamente o que a enfraquece, avalia o comentarista do ‘Jornal das Dez’, da Globonews, Merval Pereira. O jornalista acredita que a Liberdade de Imprensa é alvo de políticos, que não conseguem o controle do conteúdo devido ao trabalho dos veículos de comunicação e por pressão da sociedade, sugere. Com essa postura das próprias empresas midiáticas e da população, ele afirma que a Liberdade de Imprensa não corre o risco de ser violada no País.

O risco existe, avaliam internautas
A respeito do assunto, o Comunique-se perguntou em seu perfil no Twitter e em sua Fan Page se a Liberdade de Imprensa está sob-risco de violação. A maioria dos internautas afirmou que sim, tal direito está ameaçado. Consultor de redes sociais, Marcos Matias justificou essa ameaça ao Partido dos Trabalhadores. “Com o PT no poder, sempre”, publicou no microblog. O blogueiro Clecio foi outro a se manifestar. Para ele, porém, a Liberdade de Imprensa nsequer existe no Brasil. “Temos a ‘liberdade de empresa’: tenho meus canais de comunicação para beneficiar políticos e empresários”, exemplificou.

Do comunique-se

Comentários